Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Crescimento e Qualidade de Porta-Enxerto de Goiabeira Sob Irrigação com Águas Salinizadas e Doses de Nitrogênio1

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a100

 

downloadpdf

E. M. da Silva2, R. G. Nobre3, H. R. Gheyi4, F. W. A. Pinheiro5, L. de P. Souza6 & A. S. Dias7

 

Resumo: Estudou-se o crescimento e a qualidade de porta-enxerto de goiabeira cultivar Paluma irrigado com água de níveis crescentes de salinidade, sob distintas doses de nitrogênio. O experimento foi desenvolvido em casa de vegetação do CCTA da UFCG com delineamento em blocos casualizados, em esquema fatorial 5 x 4, correspondente aos níveis de condutividade elétrica da água (CEa) de 0,3; 1,1; 1,9; 2,7 e 3,5 dS m-1 associado às doses de 70, 100, 130 e 160% de nitrogênio (N), com quatro repetições, utilizando duas plantas úteis por unidade experimental. A adubação nitrogenada na dose de 100% e de 70 a 130% de N reduz o efeito da salinidade da água irrigação sobre o diâmetro do caule aos 160 dias após a emergência (DAE) e o índice de qualidade de Dickson aos 190 DAE, respectivamente. A irrigação com CEa a partir de 0,3 ds m-1 reduz o crescimento dos porta-enxerto de goiabeira, principalmente, aos 80 DAE. A dose de 70% de N proporciona maior crescimento dos porta-enxerto de goiabeira aos 80 e 160 DAE.

Palavras-chavePsidium guajava L., salinidade, adubação.

 

Abstract: The growth and quality of rootstock guava cultivate Paluma irrigated with water of increasing salinity levels, under different nitrogen doses was studied. The experiment was developed at greenhouse of the CCTA of UFCG with a randomized block design in a factorial 5 x 4, corresponding to the electrical conductivity of irrigation water (ECw) 0.3; 1.1; 1.9; 2.7 and 3.5 dS m-1 associated with doses of 70, 100, 130 and 160% of nitrogen (N), with four replications, using two plants per experimental unit. Nitrogen fertilization at the dose of 100% and 70-130% of N reduces the effect of salinity of the irrigation water on the stem diameter at 160 days after emergence (DAE) and the Dickson quality index to 190 DAE, respectively. Irrigation with ECw from 0.3 ds m-1 reduces the growth of the of rootstock guava, primarily, to 80 DAE. The dose of 70% N promotes greater growth of rootstocks guava at 80 and 160 DAE.

Key wordsPsidium guajava L., salinity, fertilizer.

 

1 Parte do trabalho de dissertação do primeiro autor, financiado pelo CNPq Edital Universal;
2 Mestre em Horticultura Tropical CCTA/UFCG, Pombal – Paraíba, Brasil. Email: evandroagroman@hotmail.com;
3 Eng. Agrônomo, Professor Adjunto II, CCTA/UFCG, Pombal, Paraíba, Brasil. E-mail: rgomesnobre@pq.cnpq.br;
4 Professor Visitante Nacional Sênior (CAPES), NEAS/UFRB, Cruz das Almas, Bahia, Brasil. E-mail: hans@pq.cnpq.br;
5 Acadêmico de Agronomia, CCTA/UFCG, Pombal, Paraíba, Brasil. E-mail: wesley.ce@hotmail.com;
6 Mestrando em Horticultura Tropical, CCTA/UFCG, Pombal – Paraíba, Brasil .Email: engenheiropadua@hotmail.com;
7 Mestrando em Produção Vegetal, UAST/UFRPE, Serra Talhada - Pernambuco, Brasil. E-mail: sudario_dias@hotmail.com

 

Literatura Citada

ALCARDE, C. A. Fertilizantes. In: NOVAES, R. F.; ALVAREZ V, V. H.; BARROS, N. F.; FONTES, R. L. F.; CANTARUTTI, R. B.; NEVES, J. C. L. Fertilidade do solo. 1 ed., Viçosa: SBCS, 2007. p. 737-768.

BLANCO, F. F.; FOLEGATTI, M. V.; HENRIQUES NETO, D. Doses de N e K no tomateiro sob estresse salino: I. Concentração de nutrientes no solo e na planta. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.12, n.1, p.26–33, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662008000100004

CAVALCANTE, L. F; VIEIRA, M. S.; SANTOS, A. F.; OLIVEIRA, W. M.; NASCIMENTO, J. A. M. Água salina e esterco bovino líquido na formação de mudas de goiabeira cultivar Paluma. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 32, n. 01, p. 251-261, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452010005000037

CLAESSEN, M. E. C. (Org.). Manual de métodos de análise de solo. 2.ed. rev. atual. Rio de Janeiro: Embrapa CNPS, 1997. 212p.

DIAS, M. J. T.; SOUZA, H. A.; NATALE, W.; MODESTO, V. C.; ROZANE, D. E. Adubação com nitrogênio e potássio em mudas de goiabeira em viveiro comercial. Ciências Agrárias, v. 33, suplemento 1, p. 2837-2848, 2012. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33supl1p2837

DICKSON, A.; LEAF, A. L.; HOSNER, J. F. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. The Forest Chronicle, v. 36, n. 1, p. 10-13, 1960.

FERREIRA, D. F. Sisvar: um sistema computacional de análise estatística. Ciência e agrotecnologia, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011. http://dx.doi.org/10.5558/tfc36010-1

FRANCO, F. C.; PRADO, R. M.; BRACHIROLLI, L. F.; ROZANE, D. E. Curva de crescimento e marcha de absorção de macronutrientes em mudas de goiabeira. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 31, n. 6, p. 1429-1437, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832007000600020

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA-IBGE. Produção agrícola municipal, Rio de Janeiro, v. 39, p.1-101, 2012.

LIMA, L. G. S.; ANDRADE, A. C.; SILVA, R. T. L.; FRONZA, D.; NISHIJIMA, T. Modelos matemáticos para estimativa de área foliar de goiabeira (Psidium guajava L.). In: 64ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC. São Luiz: UFMA, 2012.

MEDEIROS, J. F. Qualidade da água de irrigação e evolução da salinidade nas propriedades assistidas pelo "GAT" nos Estado do RN, PB e CE. 1992. 173 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) – Universidade Federal da Paraíba, Campina Grande, 1992.

MENDONÇA, V. Cultura da goiaba. Mossoró: UFERSA, 2011. 40 p.

MUNNS, R. Genes and salt tolerance: bringing them together. New Phytologist, v.167, p.645-663, 2005. http://dx.doi.org/10.1111/j.1469-8137.2005.01487.x

OLIVEIRA, F. A.; CARRILHO, M. J. S. O.; MEDEIROS, J. F.; MARACAJÁ, P. B.; OLIVEIRA, M. K. T. Desempenho de cultivares de alface submetidas a diferentes níveis de salinidade da água de irrigação. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.15, n.8, p.771–777, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662011000800002

RHOADES, J. P.; KANDIAH, A.; MASHALI, A. M. The use saline waters for crop production (Org). Roma: FAO, 1992.

SOARES, L. A. A.; NOBRE, R. G.; GHEYI, H. R.; LIMA, G. S.; SILVA, A. O.; SOARES, S. S. Componentes de crescimento da mamoneira cultivada com águas salinas e doses de nitrogênio. Irriga, Edicão Especial, p. 40 - 54, 2012.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. 954p.

TÁVORA, F. J. A. F.; FERREIRA, R. G.; HERNANDEZ, F. F. F. Crescimento e relações hídricas em plantas de goiabeira submetidas a estresse salino com NaCl. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 23, n. 2, p. 441-446, 2001. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452001000200050

WILLADINO, L.; CAMARA, T. R. Tolerância das plantas à salinidade: Aspectos fisológicos e bioquímicos. Enciclopédia biosfera, v.6, n.11; p. 1-23, 2010.