Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Produção de Fitomassa de Porta-Enxerto de Goiabeira sob Estresse Salino e Adubação Nitrogenada

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a216

 

downloadpdf

L. de P. Souza1, R. G. Nobre2, H.R. Gheyi3, E. M. da Silva1, F. W. A. Pinheiro4 & L. L. de S. Almeida4

 

Resumo: O estresse salino promovido pelos sais do solo e/ou da água de irrigação limita a exploração racional da agricultura principalmente nas regiões áridas e semiáridas. Nesse sentido, objetivo é avaliar, aos 190 dias após a emergência, a produção de massa fresca e seca de porta-enxerto de goiabeira ‘Crioula’, irrigado com águas salinizadas associadas a doses crescentes de adubação nitrogenada. O experimento foi conduzido em casa de vegetação do Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar da Universidade Federal de Campina Grande, Pombal – PB, sob delineamento experimental de blocos casualizados, em esquema fatorial 5 x 4, com 4 repetições, e utilizando duas plantas úteis por unidade experimental. Os tratamentos foram compostos de cinco níveis de condutividade elétrica da água – CEa (0,3; 1,1; 1,9; 2,7 e 3,5 dS m-1) e quatro doses de nitrogênio (70%, 100%, 130% e 160% de N). A fitomassa fresca de caule e total de mudas de goiabeira decresceram linearmente a partir da CEa de 0,3 dS m-1. O nitrogênio na dose de 70% promoveu maior fitomassa fresca de caule e de folha, fitomassa seca de folha, de raiz e total de porta-enxerto de goiabeira ‘Crioula’. Não houve interação significativa sobre as distintas variáveis.

Palavras-chave: Psidium guajava L., salinidade, condutividade elétrica.

 

Abstract: The salt stress caused by soil salts and / or irrigation water limits the rational exploitation of agriculture especially in arid and semiarid regions. Thus, this research was carried out to evaluate the 190 days after emergence, fresh pasta production and dried rootstock of guava 'Creole' irrigated with salted water associated with increasing doses of nitrogen fertilization. The experiment was conducted in a greenhouse of the Center for Science and Technology Agrifood the Federal University of Campina Grande, Pombal - PB, in a randomized block design in a factorial 5 x 4, with 4 repetitions, and using two plants per experimental unit. The treatments consisted of five levels of electrical conductivity of water – CEa (0.3, 1.1, 1.9, 2.7 and 3.5 dS m-1) and four doses of nitrogen (70%, 100%, 130% and 160% N). The fresh weight of stem and full of guava plants decreased linearly from the CEa 0.3 dS m-1. 70% nitrogen rate promotes higher fresh weight of stem and leaf, dry weight of leaf, root and total rootstock of guava 'Creole'. No significant interaction between treatments.

Key words: Psidium guajava L., salinity, conductivity.

 

1 Eng. Agrônomo, Pós-graduando em Horticultura Tropical, Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar, Universidade Federal de Campina Grande, CEP 58015-570 Pombal, PB, Fone (87) 96373266. e-mail: engenheiropadua@hotmail.com, evandroagroman@hotmail.com
2 Prof. Doutor Adjunto III CCTA/ UAGRA/UFCG, Pombal, PB.e-mail: rgomesnobre@pq.cnpq.br;
3 Prof. Visitante Nacional Sênior (CAPES), NEAS/ UFRB, Cruz das Almas- Bahia. E-mail: hans@pq.cnpq.br;
4 Graduando em Agronomia, CCTA/UFCG, Pombal, PB. wesley.ce@hotmail.com; luana_lucas_15@hotmail.com

 

Literatura Citada

AYERS, R. S.; WESTCOT, D. W. A qualidade da água na agricultura. Campina Grande: UFPB, 1999. 153 p. (Estudos FAO: Irrigação e Drenagem, 29).

CAVALCANTE, I. H. L. et al. Produção, exportação de nutrientes e composição mineral em dois genótipos de goiabeira, Científica, Jaboticabal, v.33, n. 2, p. 112-119, 2005.

CAVALCANTE, L. F. et al. Water salinity and initial development of four guava (Psidium guajava L.) cultivar in north-eastern Brazil. Journal of Fruit and Ornamental Plant Research, Skierniewice, v. 15, p. 71-80, 2007.

CAVALCANTE, L. F; VIEIRA, M. S; SANTOS, A. F; OLIVEIRA, W. M; NASCIMENTO, J. A. M. Água salina e esterco bovino líquido na formação de mudas de goiabeira cultivar paluma1 Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 32, n. 1, p. 251-261, Março 2010.

COSTA, J. R. M. et al. Caracterização dos frutos de maracujá-amarelo irrigado com água salina. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 5, n. 1, p. 143-146. 2001. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662001000100027

Danilo, E. R.; William N.; Prado, R. de M.; José C. B. Tamanho da amostra foliar para avaliação do estado nutricional de goiabeiras com e sem irrigação. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.13, p.233–239, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662009000300003

DIAS, M. J. T. et al. Adubação com nitrogênio e potássio em mudas de goiabeira em viveiro comercial. Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, suplemento 1, p. 2837-2848, 2012. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33supl1p2837

DIAS, M. J. T.; SOUZA, H. A.; NATALE, W.; MODESTO, V. C.; ROZANE, D. E. Adubação com nitrogênio e potássio em mudas de goiabeira em viveiro comercial. Ciências Agrárias, v. 33, suplemento 1, p. 2837-2848, 2012. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33supl1p2837

FERNANDES, P.D.; GHEYI, H. R.; ANDRADE, E. P.; MEDEIROS, S. S. Biossalinidade e produção agrícola. In: GHEYI, H. R.; DIAS, N. S.; LACERDA, C. F. Manejo da salinidade na agricultura. Fortaleza, INCT Sal, 2010. 472p.

FERREIRA, R. G; TÁVORA, F. J. A. F.; HERNANDEZ, F. F. F. Distribuição da matéria seca e composição química das raízes, caule e folhas de goiabeira submetida a estresse salino. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 36, n. 1, p. 79-88, 2001. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2001000100010

FRANCO, F. C. et al. Curva de crescimento e marcha de absorção de macronutrientes em mudas de goiabeira. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 31, n. 6, p. 1429-1437, 2007.

FREIRE, J. O.; CAVALCANTE, L. F.; REBEQUI, A. M.; DIAS, T. J.; NUNES, J. C.; CAVALCANTE, I. H. L. Atributos qualitativos do maracujá amarelo produzido com água salina, biofertilizante e cobertura morta no solo. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 5, n. 1, p. 102-110, 2010. http://dx.doi.org/10.5039/agraria.v5i1a674

MAAS, E. V. Salt tolerance of plants. Applied Agricultural Research, New York, v.1, p. 12-36, 1984.

NEVES, A.L.R.; LACERDA, C.F. de; GUIMARÃES, F.V.A.; HERNANDEZ, F.F.F.; SILVA, F.B.; PRISCO, J.T. & GHEYI, H.R. Acumulação de biomassa e extração de nutrientes por plantas de feijão-de-corda irrigadas com água salina em diferentes estádios de desenvolvimento. Ciência Rural, v.39, n.3, p. 758-765, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782009005000014

RHOADES, J. D.; LOVEDAY, J. Salinity in irrigated agriculture. In: STEWART, B. A.; NIELSEN, D. R. (Ed.). Irrigation of agricultural crops. Madison : American Society of Agronomy, 1990. p. 1089-1157. (ASA. Monograph, 30).

Rozane, D. E.; Brugnara, V.; Souza, H. A.; Amorim, D. A. Condução, arquitetura e poda da goiabeira para mesa e/ou indústria. In: Natale, W.; Rozane, D. E.; Souza, H. A.; Amorim, D. A. Cultura da goiaba do plantio à comercialização. Jaboticabal: FCAV/Capes/CNPq/ FAPESP/Fundunesp/ SBF, v. 2. pp. 429-470, 2009.

SOARES, L. A. A.; NOBRE, R. G.; GHEYI, H. R.; LIMA, G. S.; SILVA, A. O.; SOARES, S. S. Componentes de crescimento da mamoneira cultivada com águas salinas e doses de nitrogênio. Irriga, Edicão Especial, p. 40 - 54, 2012.

TAVORA, F. J. A. F.; PEREIRA, R. G. HERNADEZ, F. F. F. Crescimento e relações hídricas em plantas de goiabeira submetidas a estresse salino com Na Cl. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 23, n 2, p. 441- 446, 2001.