Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Biomassa da Matéria Seca e Razão da Área Foliar em Mudas de Maracujazeiros Irrigadas com Agua Salina Efontes de Potássio

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a289

 

downloadpdf

A. R. Silva1, F. F DE. Oliveira1, F. T. C. Bezerra2, L. F. Calvacante3 & M. A. F. Bezerra2

 

Resumo: O experimento foi desenvolvido no período de setembro a novembro de 2014 para avaliar os efeitos da salinidade da água de irrigação e fontes de potássio no crescimento de mudas de maracujazeiro amarelo. As atividades foram desenvolvidas em abrigo telada do Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Paraíba, Areia, Paraíba, em delineamento de blocos ao acaso em fatorial 5 x3, referente a salinidade crescente da água de irrigação de  0,3; 1,0; 2,0; 3,0 e  4,0 dS m-1), três fontes de potássio no solo (sem potássio, com cloreto de potássio e com sulfato de potássio), em três  repetições e três plantas por tratamento. Foram avaliadasa massa da matéria seca da raiz, da parte aérea (folhas e caule) e total (raiz e parte aérea), área foliar efetiva e razão da área foliar. Apesar da salinidade da água inibir a biomassa das mudas não reduziu a razão da aérea foliare os maiores valores foram registrados  nos tratamentos com cloreto de potássio. Dentre as fonte de potássio, os maiores valoresda biomassa corresponderam as mudas tratadas com sulfato de potássio.

Palavras-chave: Adubação, sulfato, caule.

 

Abstract: An experiment was carried out during the period of September to December/2015 in order to evaluate the effects of saline water irrigation and potassium sources on initial growth of yellow passion fruit seedlings. Activities were conducted in greenhouse conditions from Agrarian Science Centre, Federal University Paraiba, Areia City, Paraíba State, Brazil. Treatments were distributed in randomized blocs using a factorial design 5 x3 referring at levels of saline water of 0.3, 1.0, 2.0, 3.0 and 4.0 dS m -1) and three sources of potassium (soil without potassium, with potassium chloride and potassium sulfate, with tree replications per treatment. The variable analyzed were dry matter in root, and aerial part   of seedlings corresponding to leaves and stems, and total of the seedlings referring root and shoot, effective leaf area, ratio of leaf area. In spite of saline water inhibit the seedling biomass no decreased the ratio leaf area and more values were obtained in plants of the treatments with potassium chloride. Among potassium sources the more values of biomass corresponded the seedlings treated with potassium sulfate.

Key words: Fertilization, sulfate, stem.

 

1 Doutoranda, Castilla La Mancha, Espanha. Caixa Postal CEP 60811-275, Fortaleza - Ceará. Fone (85)8523-6816. Email: krishnaribeiro@yahoo.com.br
2 Doutoranda, UFC- Fortaleza-Ceará. Email: emsuf@gmail.com
3 Doutor, Professor/UNILAB, Redenção - Ceará.. Email: sousagg@unilab.edu.br
4 Doutor, Professor/UFC , Fortaleza - Ceará. Email: thales@ufc.br
5 Doutorando, UFC- Fortaleza-Ceará. Email: fjfm.agro@gmail.com
6 Doutorando, Castilla La Mancha, Espanha. Email: fellyperodrigo@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

BEZERRA, M. A. F.; PEREIRA, W. E.; BEZERRA, F. T. C.; CALVACANTE, L. F.; MEDEIROS, S. A. S. Água salina e nitrogênio na emergência e biomassa de mudas de maracujazeiro amarelo. Agropecuária técnica, v. 35, n.1, p.150-160, 2014.

CALVACANTE, L. F.; SILVA, G. F.; GHEYI, H. R.; DIAS, T. J.; ALVES, J. C.;

COSTA, A. P. M. Crescimento de mudas de maracujazeiro amarelo em solo salino com esterco bovino liquido fermentado. Ciências Agrárias , v.4, n. 4, p.414-420, 2009ZHU, J. K. Plantsalttolerance . Trends in plant Science, v.6, n.2, 66-71.p, 2001.

GURGEL, M. T.; FERNANDES, P. D.; SANTOS, F. J. S.; GHEYI, H. R.; BEZZERRA, I. L.; NOBRE, R. G. Estresse salino na germinação e formação de porta-enxerto de ceroleira. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.7, n.1, p.31-36, 2003. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662003000100006

JACOBY, R. P.; TAYOR, N. L.; HARVEY, M. The role of mitochondial respiration in salinity tolerance. Trends in Plant Science, v.16, n.11, p.614-623, 2011. http://dx.doi.org/10.1016/j.tplants.2011.08.002

JOUYBAN, Z. The effects of salt stress on plant growth. Tec J Engin& App Sci, v.2, n.1, p.7-10, 2012.

LAURA, M. M. M.; FURLANI , P. R.; ALVARES, V.; SOARES-SCOTT, M. D.; BERNACCI, L. C. ; FILHO, J. A. A. Novas tecnologias melhoram a produção de mudas de maracujá. Campinas; O agronômicoIAC, v.51, n.1, 30-33.p, 2002.

MUNNS, R., TESTER, M. 2008. Mechanisms of salinity tolerance.Annu.Rev. Plant Biol.59: 651-81 http://dx.doi.org/10.1146/annurev.arplant.59.032607.092911

PADRO, R. M.; BRAGHIROLLI, L. F.; NATALE, W.; CORREA, M. C. M.; ALMEIDA, E. V. Aplicação de potássio no estado nutricional e na produção de matéria seca de mudas de maracujazeiro amarelo. Revista Brasileira de Fruticultura, v.26, n.2, p. 295-299, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452004000200028

PALACIO, V. S.; BARBOSA, M. A. G.; CELEDONIO, C. A.; SOUSA, C. H. C.; NUNES, R. L. C. Biomassa de mudas de maracujazeiro amarelo produzido em diferentes substratos. II reunião sul-americanaspara o manejo de sustentabilidade da irrigação em regiões áridas e semiáridas... Cruz das Almas. Anais eletrônicos. Cruz das almas; UFRB. 2011. Disponível em http: http://www.bibliotekevirtual.org/index.php/2013-02-07-03-02-35/simposios/131-2sulamericana-ufrb/427-2sulamericana-ufrb-a031.html. Acessoem 30 maio. 2011.

PASQUAL, M.; CHALFUN, N. N. J.; RAMOS, J. D. Fruticultura comercial: Propagação de plantas frutíferas. Lavras: UFLA/FAEPE, 2001. 137p.

RENGASAMY, P. World salinization whit emphasis on Australia.J exp Bot, v.57, 1017-1023.p, 2006.

RICHARD, P.; NICOLAS, T. A.; HARVEY, M. The role of mitochondrial respiration in salinity tolerance. Trends in plant science, v.16, n.11, p. 614-623, 2011. http://dx.doi.org/10.1016/j.tplants.2011.08.002

ROSELEM, C. A. Interação de potássio com outros íons. In: YAMADA, T.; ROBERTS, T. I. (Ed). Potassio na agricultura Brasileira, Piracicaba: Instituto da potassa e o fosfato, instituto internacional da Potassa, 2005. p.239-256.

SOARES, L. A. A.;LIMA, G. S.; NOBRE, R. G.; GHEYI, H. R.; PEREIRA, F. H. F. Fisiologia e acumulo de fitomassa pela mamoneira submetida ao estresse salino e adubação nitrogenada. Revista verde de agroecologia e desenvolvimento sustentável, v.8, n.1, p.247-256, 2013

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Plant physiology.3 ed. Sunderland: Sinauer Associates, 2002. 798p TESTER, M.; DAVENPORT, R. Na+ tolerance and Na+ transport in higher plants. AnnalsofBotany, Oxford, v.91, p.503-527, 2003.