Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Germinação e Desenvolvimento Radicular de Melancia e Pepino em Diferentes Níves de Salinidade

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a331

 

downloadpdf

W. P.Salomão1, K. E. F.Silva2, M. D. de A.Gomes3 & S. S. Conceição2

 

Resumo: A presença de sais no solo causa o aumento da pressão osmótica, gerando estresse hídrico e ação tóxica de alguns elementos para muitas plantas. O objetivo do trabalho foi avaliar a germinação e desenvolvimento radicular de sementes de melancia (Citrullus lanatus Schrad) e de pepino (Cucumis sativus L.) em diferentes níveis de salinidade. As sementes foram expostas a solução salina de NaCl, em cinco potencias osmóticos (0,0; -0,4; -0,8; -1,6 e -2,4 MPa), utilizando como substrato papel germitest umedecido com a solução na quantidade de três (3) vezes o peso do papel. Diariamente, foram avaliadas a porcentagem de germinação, o índice de velocidade de germinação e o desenvolvimento radicular para as duas culturas. O delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e quatro repetições cada. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas entre si pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. A redução progressiva do potencial osmótico utilizando NaCl para indução do estresse salino foi prejudicial à germinação e ao IVG, acentuando-se a partir de -0,8 MPa. Para o parâmetro desenvolvimento radicular, houve restrição mais acentuada a partir de -0,4 MPA, evidenciando pouca tolerância à salinidade pelas culturas em estudo.

Palavras-chave: Sementes, tolerância, estresse salino.

 

Abstract: The presence of salts in the soil caused the increase in osmotic pressure, causing water stress and the toxic action of some elements for many plants. The objective of this study was to evaluate the germination and root development of seeds of watermelon (Citrullus lanatus Schrad) and cucumber (Cucumis sativus L.) at different levels of salinity. The seeds were exposed to NaCl solution, osmotic potential in five (0,0; -0,4; -0,8; -1,6 and -2.4 MPa), using as substrate germitest paper moistened with the solution the amount of three times the weight of the paper. Daily, we evaluated the percentage of germination, germination speed index (IVG) and root development for both crops. The experimental design was completely randomized with five treatments and four replicates. The data were submitted to ANOVA and means compared by Tukey test at 5% probability. The progressive reduction of the osmotic potential using NaCl for induction of salt stress was detrimental to germination and IVG, widening from -0,8 MPa. For the parameter root development, was more marked restricted from -0,4 MPA, showing little tolerance to salinity by the cultures under study.

Key words: Seeds, tolerance, salt stress.

 

1 Engenheiro Agrônomo, UNEMAT, Nova Xavantina- Mato Grosso.Email: wandersonpnx@hotmail.com.
2 Mestrandos, UFC, Fortaleza- Ceará. Email: k-dson@hotmail.com,susitseliot@hotmail.com.br
3 Doutoranda, UNESP, Botucatu – São Paulo. Email: gomes_mary@hotmail.com

 

Literatura Citada

BRASIL- Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 399p.

DOMINGOS, P. F. A. Cucurbitáceas horticolas. Faculdade de ciências- Universidade do Porto. 2002. Disponível em: http://dalmeida.com/hortnet/apontamentos/Cucurbitaceas.pdf. Acesso em: 14 abril. 2015.

FIOROTTI, R. M.; DIAS, M. A.; LOPES, J. C.; CORRÊA, N. B. Germinação e vigor de sementes de pepino em diferentes nives de concentração salina. Disponível em: http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2006/inic/inic/01/INIC0000431%20ok.pdf. Acesso em: 14 abril. 2015.

FREITAS, A. D. S.; VIEIRA. C. L.; SANTOS. C. E. R. S.; STAMFORD, N. P; LYRA, M. C. C. P. Caracterização de Rizóbios isolados de Jacatupé cultivado em solo salino do estado de Pernanbuco. Bragantia, Campinas, v.66, n.3, p.497-504, mar, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0006-87052007000300017

GÓIS VA; TORRES SB; PEREIRA RA. 2008. Germinação de sementes de maxixe submetidas a estresse salino. Revista Caatinga 21: 64-67.

HARTER LSH; HARTER FS; DEUNER C; MENEGHELLO GE; VILLELA FA. 2014. Salinidade e desempenho fisiológico de sementes e plântulas de morango. Horticultura Brasileira 32: 80-85.

LIMA BG; TORRES SB. 2009. Estresse hídrico e salino na germinação de sementes de Zizphus joazeiro Mart (Rhammaceae). Revista Caatinga 22: 93-99. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362014000100013

MARINHO, F. J. L.; GHEYI, H. R.; FERNANDES, P. D. Germinação e formação de mudas de coqueiro irrigadas com águas salinas. Revista Brasileira de Engenharia Ambiental, Campina Grande, v.9, n.3, p.334-340, abr, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662005000300007

MASCARENHAS, M. H. T.; OLIVEIRA, V. R.; SIMÕES, J. C.; RESENDE, L. M. A. Melancia. in: JUNIOR, T. J. P.; VENZON, M. 101 Culturas-manual de tecnologias agrícolas. 1. Ed. Belo Horizinte-MG: EPAMIG, 2007 a. p. 521-526.

MASCARENHAS, M. H. T.; OLIVEIRA, V. R.; SIMÕES, J. C.; RESENDE, L. M. A. Pepino. in: JUNIOR, T. J. P.; VENZON, M. 101 Culturas-manual de tecnologias agrícolas. 1. Ed. Belo Horizinte-MG: EPAMIG, 2007 b. p. 603-610.

OLIVEIRA, M. K. T.; OLIVEIRA, F. A.; MEDEIROS, J. F.; LIMA, C. J. G. S.; GUIMARÃES, I. P. Efeito de diferentes teores de esterco bovino e íveis de salinidade no crescimento inicial do mamoneira (Ricinuscommunis). Revista Verde, Mossoró, v.1. n.1, p.47-53, jan-jun, 2006.

OLIVEIRA, F. A.; MEDEIROS, J. F.; OLIVEIRA, M. K. T.; LIMA, C. J. G. S.; GALVÃO, D. C. Desenvolvimento inicial do milho pipoca ‘jade’ irrigado com água de diferentes níveis de salinidade. Revista verde, Mossoró, v.2, n.1, p. 45-52, jan-jul, 2007.

PIMENTEL GOMES, F. Curso de Estatística Experimental. 14 ed. Piracicaba: Degaspari, 2000. 477p.

QUEIROGA, R. C.; ANDRADE NETO, R. C.; NUNES, G. H. S.; MEDEIROS, J. F., ARAÚJO, W. B. M. Germinação e crescimento inicial de híbridos de meloeiro em função da salinidade. Horticultura Brasileira, Brasília, v.24, n.3, p.315-319, agost, 2006.

RAMOS, N. F., LIMA, J. A. A. & GONÇALVES, M. F. B. Efeitos da interação de potyvirus em híbridos de meloeiro, variedades de melancia e abobrinha. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 28, p.199-203, mar, 2003. http://dx.doi.org/10.1590/s0100-41582003000200016

RIBEIRO, M; VITORINO, C; FARIAS, J.; PORTELA, A.; BRAGA, E. Levantamento florístico e fitossociológico em cerrado rupestre e cerrado típico contíguos do Parque do Bacaba. Disponível em: http://www2.unemat.br/prppg/jornada2008/resumos_workshop/PG_Expandido_00334.pdf. Acesso em: 31 agost. 2011.

RODRIGUES, L. N. Estresse salino na germinação, produção de mudas e produção de arroz irrigado. 2000. 145f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) – Universidade Federal de Campina grande, Campina Grande, 2000.

TAIZ L; ZEIGER E. 2006. Fisiologia vegetal. Porto Alegre: Artmed. 719p