Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Doses de Molibdênio e Cálcio Via Foliar na Avaliação do Crescimento em Três Cultivares de Feijão

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a353

 

downloadpdf

A. H. G. Neto1, A. R. S. de Andrade2, T. M. B. Cruz1, J. E. G. da Silva Neto1, A.J.P. Alves1 & Lucas F. P. Tschoeke1

 

Resumo: O presente trabalho objetivou avaliar a resposta das características de crescimento á aplicação foliar de doses crescentes de molibdênio e cálcio em três variedades de feijão, cultivado com irrigação por gotejamento. O experimento foi conduzido em campo, no período entre 10 outubro de 2014 a 03 de janeiro de 2015, na área experimental da Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG) da UFRPE. O delineamento utilizado foi em blocos inteiramente casualizados, com os tratamentos arranjados no esquema fatorial em faixa (4 x 3) e duas repetições, a parcela principaL foram compostas por de três variedades de feijão (V1 - Rosa, V2 – Carioca, V3 - Perola), e em sub-parcelas foram aplicadas as quatro doses simultâneas de molibdênio e cálcio (MoCa) da seguinte foram: MoCa = 0 (testemunha absoluta, sem adubação molibídica e cálcio), MoCa = 90 ml ha-1/1,0 kg ha-1; MoCa = 160 ml ha-1/2,0 L ha-1 e MoCa = 180 ml ha-1/3,0 L ha-1 de uma só vez, aos 25 DAS. Aos 10 DAS teve inicio a adubação de N e K2O, sendo aplicadas simultaneamente de forma parcelados via água de irrigação (fertirrigação) conforme quantidades recomentadas de acordo com o ciclo da cultura, equivalente a 80 kg ha-1 de K2O e de 60 kg ha-1 de N. Por ocasião da colheita (85 DAS), foi determinada área útil de cada parcela e as variáveis: a massa fresca e seca de partes da planta, área foliar (AF), Os dados foram submetidos à análise de variância adotando-se teste F, seguido do teste Tukey, ambos a 5% de probabilidade. Observou-se que as aplicações de 160 ml ha-1 de molibdênio e 2L ha-1 de cálcio influenciaram positivamente no crescimento das variedades carioca e perola.

Palavras-chave: Cultivares, micronutrientes, adubação foliar, irrigação.

 

Abstract: This study aimed to evaluate the response of growth characteristics will foliar application of increasing doses of molybdenum and calcium in three varieties of beans, grown with drip irrigation. The experiment was conducted under field conditions in the period from 10 October 2014 to 03 January 2015, in the experimental area of the Academic Unit of Garanhuns (UAG) UFRPE. The design was a complete randomized block, with treatments arranged in a factorial in range (4 x 3) and two replications composed by three bean varieties (V1 - Rosa, V2 - Carioca, V3 - Perola), and sub-plots were applied three doses of molybdenum, 25 days after emergence (DAS), and the three calcium doses applied during flowering. The molybdenum doses were: 0 (control treatment), 90, 160 and 180 ml ha-1 at 25 DAS, the calcium doses were 0 (control treatment), 2, 3 and 4 L ha-1 at 40 DAS. At 10 DAS began to fertilizer N and K2O, while being applied in installments way through irrigation water (fertigation) as quantities according to the crop cycle, equivalent to 80 kg ha-1 K2O and 60 kg ha-1 N. At harvest (85 DAS), was determined floor area of each parcel and the variables: the fresh and dry weight of plant parts, leaf area (AF), The data were subjected to analysis of variance adopting F test, followed by the Tukey test, both the 5% probability. It was observed that the application of 160 ml h-1 and 2 L ha-1 molybdenum and calcium positive influence on the growth of carioca and perola varieties.

Key words: Cultivars, micronutrient, foliar fertilization, irrigation

 

1 Graduandos do curso de Agronomia, Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE, Campos: Unidade Acadêmica de Garanhuns – UAG, Avenida Bom Pastor, s/n - Boa Vista, CEP 55.296-901 - Garanhuns/PE, tassioagrosj@outlook.com; agrohonorato@gmail.com; agro.erico90@gmail.com; amandajucilene@hotmail.com; lucas_felipe@hotmail.com.
2 Professor, Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE, Campos: Unidade Acadêmica de Garanhuns – UAG, Avenida Bom Pastor, s/n - Boa Vista, CEP 55.296-901 - Garanhuns/PE, arsahot@hotmail.com.

 

Literatura Citada

ALBUQUERQUE,H.C.et al. Capacidade nodulatória e características agrônomicas de feijoeiro comuns submetidos à adubação molíbdica parcelada e nitrogenada. Revista ciencia agronomica, fortaleza,v.43,n.2,p.214-221 abr/ jun 2012.

ASCOLI, A. A. et al. Aplicação foliar de molibdênio, produtividade e qualidade fisiológica de sementes de feijoeiro irrigado. Bragantia, v. 67, n. 02, p. 377-384, 2008.

CALONEGO, J. C. et al. Adubação nitrogenada em cobertura no feijoeiro com suplementação de molibdênio via foliar. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 03, p. 334-340, 2010

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência,tecnologia e produção. 4.ed. Jaboticabal: Funep, 2000. 588p

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO – CONAB. Acompanhamento da safra.Safra 2014/2015.Disponível em: http://www.conab.gov.br/conteudos. Acesso em: 10 em Março de 2015.

FAQUIN, V. Nutrição mineral de plantas. Lavras: UFLA/FAEPE, 2005. 183p.

Leal RM & Prado R de M (2008) Desordens nutricionais no feijoeiro por deficiência de macronutrientes, boro e zinco. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 3:301-306.

PESSOA, ACS, Ribeiro AC, Chagas JM & Cassini STA (2000) Concentração foliar de molibdênio e exportação de nutrientes pelo feijoeiro “Ouro Negro” em resposta à adubação foliar com molibdênio. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 24:75-84.

ROSOLEM, C. A.; BOARETTO, A. E.; NAKAGAWA, J. Adubação foliar do feijoeiro. VIII. Fontes e doses de cálcio. Científica, São Paulo, v.18, p.81-86, 1990.

Silva MV, Andrade MJB, Moraes AM & Alves VG (2003) Fontes e doses de molibdênio via foliar em duas cultivares e feijoeiro. Ciência e Agrotecnologia, 27:126-133.

VIEIRA . C. Adubação mineral e calagem in: VIEIRA, C. Paula Junior, T. J. Borem. A. (Eds). Feijão. 2 ed. Vicosa UFV 2006, p 13-18

VIEIRA, C.; JÚNIOR, T. J. P.; BORÉM, A.; Feijão 2ª edição. Viçosa: Ed. UFV, 2006.600p.