Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Capacidade de Captação e Armazenamento da Água de Chuva em Comunidades Rurais do Município de João Dias-RN


 

downloadpdf

Thiago P. de Sousa1 & Eduardo P. de Sousa Neto2

 

Resumo: A captação e o armazenamento da água de chuva como água potável não é uma idéia nova, hoje, já existem programas governamentais e leis que incentivam a captação e o seu uso, mesmo assim sua captação se introduzida em grande escala e aliada à conscientização dos usuários, pode aumentar o abastecimento existente e suprir a demanda em épocas de escassez a um custo relativamente baixo, permitindo beneficiar muitas famílias, amenizando os impactos das estiagens em áreas rurais. No semi-árido do Nordeste brasileiro, a cisterna tem sido uma das principais formas de captação e armazenamento da água de chuvas, todavia, os longos períodos de estiagem que ocorre na região fazem com que a água das cisternas não seja suficiente para atender as necessidades das famílias rurais. Este trabalho teve como objetivo fazer um levantamento junto aos agricultores de quatro comunidades rurais do município de João Dias-RN, quanto à capacidade de captação e armazenamento da água de chuva. O trabalho foi realizado de janeiro a junho de 2011, com agricultores das comunidades rurais de Serrota, Rosário, Currais e Serraria, onde foram acompanhadas 15 famílias. Os resultados obtidos demonstraram que no período analisado a precipitação media foi de 824,1 mm. A água da chuva captada e acumulada principalmente em cisternas não foi suficiente para atender as necessidades dos agricultores no período de estiagem, sendo os carros-pipa a principal alternativa de complementação da água para os agricultores da zona rural. Com esses resultados, pode-se concluir que as cisternas são os principais reservatórios utilizados pelas comunidades rurais para armazenar água de chuvas, embora tenham contribuído em parte para solução do problema da falta de água na região, não acumulam água suficiente para o atendimento das famílias no período de estiagem.

Palavras-chave: captação, chuva, cisterna, água

 

1 Graduando em Ciências Agrárias, Pesquisador do CCHA/DAE/Campus IV da Universidade Estadual da Paraíba, Catolé do Rocha-PB. 58.884-000. Fone: (084) 9955-6258, e-mail: tiagojd2009@hotmail.com
2 Graduando em Agronomia, Pesquisador do CCTA, Universidade Federal de Campina Grande, Campus Pombal-PB. 58.840-000. E-mail: gogaeduardo@hotmail.com

 

Literatura Citada

CRUZ, P. H. COIMBRA, R. M., FREITAS, M. A. V. Vulnerabilidade climática e recursos hídricos no Nordeste. In.: O ESTADO DAS ÁGUAS NO BRASIL/ org. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas - Brasília, DF: ANEEL, SIH; MMH, SRH; MME, 1999. 334p.

LOPES, P. R. C. Alternativas de manejo de solo e água para o semi-árido brasileiro. www.comciencia.br/reportagens. Consultado em 22 de fevereiro de 2012.

SILVA, A. S.; BRITO, L. T. L.; ROCHA, H. M. Captação e conservação de água de chuva no semi-árido brasileiro: Cisternas rurais II, água para consumo humano. Petrolina, PE, EMBRAPA-CPATSA/MINTER-SUDENE, 1988. 80 p. il. (EMBRAPA-CPATSA. Circular técnica, 16).

ANDRADE NETO, C O de. Proteção Sanitária das Cisternas Rurais. In: XI SIMPÓSIO LUSO-BARSILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL. 2004, Natal, Brasil. Anais ... Natal: ABES/APESB/APRH. 2004