Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Política Educacional, Diversidade e Formação Docente: Uma Interface Possível


 

downloadpdf

Marlene B. de F. Reis1 & Mônica Desiderio2

 

Resumo: Este projeto de tese tem como objeto a política pública brasileira da diversidade e sua articulação com a formação inicial do docente para atuar na educação básica. Para tanto busca analisar a capacidade do Estado na formulação e implementação dessa política pública, tomando a burocracia como categoria de análise.  A pesquisa está concentrada na DEB/Capes -Diretoria da Educação Básica da Capes, na Secadi/Mec  – Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade  e Inclusão, no MEC e no curso de Pedagogia ofertado pela Universidade Estadual de Goiás (UEG). O objetivo geral é analisar em que medida os aparatos institucionais de formação docente contemplam o princípio da diversidade e, a partir desse diagnóstico, verificar até que ponto esse conjunto limita ou fortalece a capacidade do Estado em formular e implementar a política pública brasileira de diversidade. Trata-se de uma pesquisa do tipo qualitativa sob os fundamentos teóricos de autores que tratam da teoria da capacidade do Estado, de políticas públicas, da formação de professores e da diversidade. O estudo desenvolvido até o momento revela quea burocracia estatal é uma importante categoria para a análise da capacidade do Estado, pois é preciso levar em conta sua atuação e execução para identificar a racionalidade, os interesses e as capacidades que estes atores possuem para tomar decisões. Além disso,o pressuposto é que a diversidade na escola e na sala de aula deve constituir-se num processo natural e legitimado no âmbito das políticas públicas e, portanto, que a capacidade do estado na efetivação de uma política educacional que garanta e favoreça a formação de professores para a diversidade apresenta-se também como uma condição de desenvolvimento para o Estado brasileiro.

 

Abstract: This thesis project focuses on the Brazilian public policy of diversity and its articulation with the initial training of teachers to work in primary education. It aims to analyze the state's capacity to formulate and implement this policy, taking the bureaucracy as a category of analysis. The research is focused on DEB/Capes – Basic Education Board, on Secadi/Mec - Department of Continuing Education, Literacy, Diversity and Inclusion, MEC and the pedagogy course offered by the University of Goiás (UEG). The overall goal is to analyze the extent to which institutional apparatuses of teacher education include the principle of diversity and check to what extent it sets limits or strengthens to the state's ability to formulate and implement public policy to diversity. This is a qualitative study on the theoretical foundations of authors who treat the theory of state capacity, public policy, teacher education and diversity. The study developed so far shows that the state bureaucracy is an important category for the analysis of state capacity and it is necessary to take into account their performance and execution to identify the actors’ rationality, interests and abilities to make decisions. Moreover, the assumption is that the diversity in the school and in the classroom should become a natural process within and legitimized by public policy and therefore the capacity of the state in the execution of an educational policy that ensures and promotes the teacher education for diversity presents itself also as a condition for the development of the country.

 

1 UEG/FAPEG. E-mail: marlenebfreis@hotmail.com
2 UFRJ/FIOCRUZ. E-mail: monidesiderio@gmail.com

 

Literatura Citada

ANFOPE. Documento final do VIII Encontro Nacional. Belo Horizonte, 1996. (mimeo.)

BOSCHI, Renato R. Capacidades estatais, empresários e desenvolvimento no Brasil: uma reflexão sobre a agenda pós-neoliberal. In: Revista do Serviço Público. Brasília: ENAP, 2007, Edição Especial. p. 72-92. Disponível em http://www.enap.gov.br. Acesso em 15/02/2012

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

BRZEZINSKI, Iria. Políticas contemporâneas de formação de professores para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental. 2008. p. 1139-1166. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em 20 /02/2012.

EVANS, Peter B. Análise do Estado no mundo neoliberal: uma abordagem institucional comparativa. In: Revista de Economia Contemporânea, nº4 – julho de 1998. Universidade Federal de Rio de Janeiro, Instituto de Economia,1998.

EVANS, Peter. Autonomia e parceria: estados e transformação industrial. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2004.

FREY, K. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e políticas públicas, Brasília, IPEA, n.21, jun., 2000.

NORTH, D. Institutions, Institutional change and economic performance. Cambridge: Cambridge University press, 1990.

NÓVOA, Antônio. O regresso dos professores. Livro da conferência Desenvolvimento Profissional de Professores para a Qualidade e para a Equidade da Aprendizagem ao longo da Vida. Lisboa: Ministério de Educação, 2007.

SILVA E SILVA, Maria Ozanira da. Avaliação de políticas e programas sociais: uma reflexão sobre o conteúdo teórico e metodológico da pesquisa avaliativa. In: SILVA E SILVA, Maria Ozanira da [et. al.]. Pesquisa avaliativa: aspectos teóricos-metodológicos. São Paulo: Veras Editora; São Luis, MA: GAEPP (Grupo de Avaliação e Estudo da Pobreza e de Políticas Direcionadas à Pobreza), 2008.

SOUZA, Celina. Estado da Arte da pesquisa em Políticas Públicas . In: HOCHMAN, Gilberto; ARRETCHE, Marta; MARQUES, Eduardo (Orgs.) Políticas Públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2007. p. 65-86.

STEIN, Ernest.; TOMMASI, Mariano. The institutional determinants of state capabilities in latin America. World Bank, St Petersburg, January 19, 2006. Disponível em: http://siteresources.worldbank.org/INTDECABC2006/Resources/Tommasi.pdf. Acesso em: 12/03/2012.

TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 4. ed São Paulo: Atlas, 1995.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, 1990. Disponível em: <http://www.unesdoc.unesco.org>. Acesso em: 27 jul. 2010.

UNESCO. DECLARAÇÃO DE SALAMANCA. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Disponível em <http:// redeinclusao.web.ua.pt/files/fl _9.pdf. Acesso em: 23/10/1998.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. Projeto Pedagógico Institucional – PPI da Universidade Estadual de Goiás. 2010. Disponível em: <http://dirplan.ueg.br>. Acesso em: 13 maio, 2012.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. Plano de Desenvolvimento Institucional (2010 -2019). Disponível em: <http://dirplan.ueg.br>. Acesso em: 03 ago 2011.