Certificação Ambiental Aplicada ao Processo de Retrofit Arquitetônico em Edifícios Históricos

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/978-85-89478-40-3-a089

 

downloadpdf

Eduardo L. Qualharini1, Elaine G. Vazquez2 & Thais S. de Carvalho3

 

Resumo: As grandes cidades brasileiras deste início de século XXI, ao longo de sua construção, desenvolveram-se a partir das áreas que hoje constituem os seus bairros centrais. Esses bairros são conhecidos como núcleos urbanos históricos ou centros históricos, por serem os locais de ocupação mais antiga das cidades. Assim, são os bairros que apresentam os edifícios antigos e históricos, configurando-se como berço do patrimônio artístico e arquitetônico das cidades. Com o avanço do processo de urbanização e sistemas de transporte, os centros históricos foram se esvaziando, principalmente devido às características de expansão urbana das cidades (urban spraw). Apresentam-se atualmente como locais de grande movimentação durante o dia, pois são o centro de comércio e serviços das cidades, enquanto durante a noite e fins de semana tornam-se locais bastante ociosos, cuja infraestrutura existente é subutilizada. Aliado a isso, há ainda um grande número de imóveis vazios e obsoletos. A reabilitação dos centros históricos, portanto, é uma iniciativa estratégica do ponto de vista da sustentabilidade (reaproveitamento da infraestrutura existente). Implicando, necessariamente, na reabilitação dos edifícios presentes nesses locais. O artigo apresenta uma pesquisa dos processos de intervenção em edifícios existentes, principalmente no que diz respeito às intervenções em edifícios históricos citadinos. A intervenção predial de estudo é o retrofit, prática segundo a qual edifícios recebem uma modernização de suas instalações e equipamentos, enquanto suas características arquitetônicas históricas são preservadas. O trabalho apresenta ainda um panorama a respeito das práticas de sustentabilidade inerentes a este processo e, dentro do contexto atual de sustentabilidade do ambiente construído, a importância das certificações ambientais aplicadas aos edifícios retrofitados, como um instrumento de avaliação e orientação das medidas sustentáveis cabíveis aos edifícios em questão. O intuito da pesquisa é fazer um paralelo entre os parâmetros adotados pela certificação LEED, por ser a certificação ambiental internacional mais aceita e reconhecida no mercado brasileiro, e as características inerentes aos edifícios históricos que adotam o retrofit como instrumento para adequar as edificações às necessidades atuais dos usuários, levando-se em conta tanto o reaproveitamento da estrutura existente quanto a preservação do patrimônio edificado. Observa-se uma grande capacidade de adequação dos edifícios históricos às tecnologias utilizadas nos edifícios sustentáveis contemporâneos, como a instalação de sistemas eficientes de condicionamento de ar, luminotécnica, consumo de água e energia, além dos dispositivos necessários ao conforto ambiental do usuário, como o aproveitamento da luz diurna e qualidade do ar. Essa capacidade de adaptação deve-se, principalmente, pelo partido arquitetônico adotado à época dessas construções, como a elevada altura do pé direito e adoção de grandes vãos livres. Adicionalmente, o retrofit proporciona um aumento no ciclo de vida das edificações, diminuindo o impacto que a demolição dessas estruturas implicaria no meio ambiente. A certificação ambiental direciona quais práticas de sustentabilidade são mais relevantes dentro do projeto e, ainda, age como fomentadora na criação de edifícios verdes, uma vez que é uma resposta à demanda da sociedade pela preservação ambiental aplicada ao ambiente construído, sinalizando a adequação do edifício às práticas de sustentabilidade exigidas pelo órgão certificador.

Palavras-chave: retrofit, certificação ambiental, LEED, edifício histórico

 

Abstract: Large brazilian cities of this early twenty-first century, throughout its construction, developed from the areas that now constitute its central districts. These neighborhoods are known as historical urban cores of historical centers, being the oldest occupation sites of these cities. So, those are the neighborhoods that have the oldest buildings and historical setting as the cradle of artistic and architectural heritage of cities. With the advance of urbanization processes and transportation systems, the historical centers were emptied, mainly due to the characteristics of urban expansion of cities (urban spraw). The present themselves today as high-traffic venues during the day, because they are the center of trade and services in the cities, while in the evenings and weekends become very idle sites, which existing infrastructure is underutilized. Allied to this, there are still a large number of empty and obsolete properties. The rehabilitation of historical centers, therefore, is a strategic point of view of sustainability (reuse of existing infrastructure). Implying necessarily the rehabilitation of buildings in such premises. The article presents a research on intervention processes in existing buildings, mainly with regard to interventions in historic buildings urbanites. The building intervention of study is the retrofit, practice whereby buildings receive a modernization of its facilities and equipment, while its historical architectural features are preserved. The paper also presents an overview about the sustainability practices inherent in this process and, within the current context of sustainability of the built environment, the importance of environmental certifications applied to buildings retrofitted as an assessment tool and guidance of sustainable measures applicable to buildings. The aim of the research is to make a parallel between the parameters adopted by LEED, the international environmental certification most accepted and recognized in the Brazilian market, and the inherent characteristics of the historic buildings that adopt the retrofit as an instrument to suit the current needs of buildings users, taking into account both the reuse of the existing structure as the preservation of the built heritage. There is a great capacity for adaptation of historical buildings to technologies used in contemporary sustainable buildings, such as the installation of efficient air conditioning, lighting, water and energy consumption beyond the necessary devices to environmental comfort of the user, such as daylighting and air quality. This adaptability is due mainly by the adopted party at the time of these architectural constructions such as the high point of the right foot and adoption of large spans. Additionally, the retrofit provides an increase in the life cycle of buildings, reducing the impact that the demolitions of these structures involve the environment. Environmental certification directs which sustainability practices are more relevant within the project, and also acts as fomenting the creation of green buildings, since it is a response to society’s demand for environmental preservation applied to the built environment, indicating the suitability of the building to sustainability practices required by the certification body.

Key words: retrofit, environmental certification, LEED, historic building

 

1 Professor do PEA / Escola Politécnica / UFRJ. E-mail: qualharini@poli.ufrj.br
2 Professora do PEU / Escola Politécnica / UFRJ. E-mail: elainevazquez@poli.ufrj.br
3 Mestranda do PEU / Escola Politécnica / UFRJ. E-mail: tscoralich@poli.ufrj.br