Análise florística e fitossociológica da comunidade arbustiva-arbórea de mata ciliar do riacho Tururu Janga, Paulista – PE

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.231-484-2

 

downloadpdf

Josinaldo A. da Silva1, Jorge I. S. Barbosa1, Juvenal M. Gomes, Pedro G. C. Lima1, Rosival B. de A. Lima1, Luiz C. Marangon1 & Ana L. P. Feliciano1

 

Resumo: O estudo florístico e fitossociológico realizado teve como objetivo levantar conhecimento da vegetação do riacho do Tururu em Paulista, PE. A área de estudo de aproximadamente 90 ha, esta localizada na área urbana deste município, com sua tipologia vegetal configurada em um mosaico de áreas antropizadas, com vegetação secundária. O levantamento florístico e fitossociológico foi realizado em outubro de 2013 com a alocação de dez parcelas de 10m x 15m. Nestas parcelas todos os indivíduos com circunferência 1,30 m do solo (CAP) ≥ 10 cm e altura a partir de 1,5 m foram mensurados (CAP, altura) e identificados. As famílias com maiores representatividades de indivíduos foram: Burseraceae, Anacardiaceae, Leguminosae, Chrysobalanaceae, Lauraceae, Sapindaceae, Myrtaceae, Erythroxylaceae, Lecythidaceae e Rubiaceae. O índice de diversidade de Shannon-Wiener no fragmento estudado foi de 2,74 nats/indivíduo. Esse valor se encontra inferior aos descritos em outros trabalhos realizados em Pernambuco.

Palavras-chave: fragmento urbano, habitat, mata atlântica

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (aldoalves37@hotmail.com; jisb40@hotmail.com; juvenal.gomes@yahoo.com.br; gleciolima@gmail.com; rosival_barros@yahoo.com.br; marangon@dcfl.ufrpe.br; licia@dcfl.ufrpe.br)

 

Literatura Citada

BRANDÃO, F. L. S. et al. Estrutura fitossociológica e classificação sucessional do componente arbóreo em um fragmento de floresta atlântica em Igarassu - PE. Revista Brasileira de ciências Agrárias, Recife-PE, v.4, n.1, p. 55-61, 2009. doi

CARRENHO, R.; TRUFEM, S.F.B.; BONONI, V.L.R. Fungos micorrízicos arbusculares em rizosferas de três espécies de fitobiontes instaladas em área de mata ciliar revegetada. Acta Botanica Brasílica, v.15, n.1, São Paulo-SP, p. 115-124. 2001. doi

CRONQUIST, A. An integrated system of classification of flowering plants. New York: Columbia University Press, 1981. 1262p.

MARTINS, S. V. Recuperação de matas ciliares. Viçosa: Aprenda Fácil, 2001. 143 p.

MÜLLER DOMBOIS, D.; ELLEMBERG, H. Aims and methods for vegetation ecology. New York: John Wiley & Sons, 1974. 547p.

SOS MATA ATLÂNTICA. Meio ambiente: a mata atlântica. Disponível em: <http://www.sosmatatlantica.org.br/?secao=conteudo&id=3_6>. Acesso em: 20 out. 2013.

SILVA, R. K. S., et al. Estrutura e síndrome de dispersão de espécies arbóreas em um trecho de mata ciliar, Sirinhaém, Pernambuco, Brasil. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo-PR, v.32, n.69, p. 1-11, 2012. doi