Avaliação da diversidade de espécies arbóreas em área de  mata ciliar, Ribeirão, PE

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.97-683-1

 

downloadpdf

Roseane K. S. da Silva1, Rosival B. de A. Lima1, Ana L. P. Feliciano1 & Luiz C. Marangon1

 

Resumo: Matas ciliares desempenham papel relevante na manutenção da integridade dos ecossistemas locais, além de contribuir com a preservação de espécies animais e vegetais. Este trabalho objetivou conhecer a diversidade de espécies arbóreas, em um trecho de mata ciliar do Rio Sirinhaém, Ribeirão, PE, com o intuito de contribuir com o manejo e preservação desses ambientes. Para realizar a análise da diversidade de espécies foram alocadas 23 parcelas retangulares de 10 m x 25 m, distribuídas de forma aleatória. Todos os indivíduos arbóreos, com Circunferência a Altura do Peito de 1,30m do solo, igual ou superior a 15 cm, foram amostrados. Para avaliar a diversidade da área foi utilizado o índice de diversidade de Shannon-Weaner (H’, em nats ind-1). Também foi avaliado o índice de equabilidade de Pielou (J’). Conforme o índice de diversidade de Shannon-Weaner (H’), a área apresentou baixa diversidade florística, com valores de 2,77 nat ind-1. O índice de equabilidade de Pielou (J) também resultou em um valor relativamente baixo J = 0,74 na área amostrada, indicando uniformidade média entre os indivíduos e as espécies.

Palavras-chave: equabilidade, recuperação, mata atlântica

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (roseane.floresta@gmail.com; consultoria.florestal2015@gmail.com; licia@dcfl.ufrpe.br; marangon@dcfl.ufrpe.br)

 

Literatura Citada

CRONQUIST, A. The evolution and classification of flowering plants. New York: The New York Botanical Garden, 1988. 555p.

COSTA JÚNIOR, R.F.C et al. Florística arbórea de um fragmento de Floresta Atlântica em Catende, Pernambuco – Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v.2, n.4, p.297-302, 2007. Disponível em: <http://www.agraria.pro.br/sistema/index.php?journal=agraria&page=article&op=viewArticle&path%5B%5D=208>. Acesso em: 21 jul. 2014.

LIMA, W.P.; ZAKIA, M.J.B. Hidrologia de Matas Ciliares. In: RODRIGUES, R.R.; LEITÃO-FILHO, H.F. (Eds.). Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo: EDUSP, 2000. p. 33-44.

MAGURRAN, A. E. Measuring biological diversity. Oxford: Blackwell Science, 2004. 256p.

MASCARENHAS, J.C. et al. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea. Diagnóstico do município de Ribeirão, estado de Pernambuco. Recife: CPRM/PRODEEM, 2005. 11p.

MUELLER-DOMBOIS, D.; ELLEMBERG, H. Aims and methods of vegetaion ecology. New York: John Wiley e Sons, 1974. 547p.

PIELOU, E.C. Ecological diversity. New York: John Wiley, 1975. 165p.

OLIVEIRA, E.B. et al. Estrutura fitossociológica de um fragmento de mata ciliar, Rio Capibaribe Mirim, Aliança, Pernambuco. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v.4, n.2, p.167-172, 2009. doi