Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Composição Florística de um fragmento de mata atlântica,  como suporte a restauração ecológica, Igarassu-PE

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.229-639-3

 

downloadpdf

Jorge I. de S. Barbosa1, Josinaldo A. da Silva1, Juvenal M. Gomes1, Nara L. da Silva1, Luiz C. Marangon1 & Ana L. P. Feliciano1

 

Resumo: O estudo é parte do subprojeto Ecologia das Comunidades Vegetais em Fragmentos de Floresta Atlântica, Pernambuco/Brasil, e trouxe como objetivo conhecer a composição florística da Mata do Engenho Piedade, provendo dados favoráveis a sua conservação e a futuros projetos de restauração. O material encontra-se depositado no acervo do herbário Dárdano de Andrade Lima do Instituto Agronômico de Pernambuco e foi coletado na Usina São José, localizada no município de Igarassu, região metropolitana do Recife. Foram realizadas coletas e observações no período de fevereiro 2007 a dezembro de 2008. A metodologia adotada para as coletas foi o caminhamento de forma aleatória. Foram encontradas 149 espécies, distribuídas em 120 gêneros e 61 famílias. O maior número de espécies foi registrado para Leguminosae com 15,44% do total e Rubiaceae (6,71%).

Palavras-chave: fragmentação, hábito, Pernambuco

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (jisb40@hotmail.com; aldoalves37@hotmail.com; juvenal.gomes@yahoo.com.br; nara_floresta@hotmail.com; marangon@dcfl.ufrpe.br; licia@dcfl.ufrpe.br)

 

Literatura Citada

ALVES-ARAÚJO. A. et al. Diversity of Angiosperms in Fragments of Atlantic Forest in the State of Pernambuco, Northeastern Brazil. Bioremediation, Biodiversity and Bioavailability, v.2, n. special 1, p.14-26, 2008.

BARRETO, R.; VIANA, A.M.B.; OLIVEIRA, J.B. da S. Fanerógamas. In: PORTO, K.C. et al. (Orgs.) Diversidade biológica e conservação da floresta atlântica ao norte do rio São Francisco. Brasília: MMA, 2006. Cap. 8, p. 175-190. (Biodiversidade 14).

COSTA JUNIOR, R. F. C. et al. Florística arbórea de um fragmento de floresta Atlântica em Catende, Pernambuco – Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife-PE, v.2, n.4, p.297-302, 2007. Disponível em: <http://www.agraria.pro.br/sistema/index.php?journal=agraria&page=article&op=viewArticle&path%5B%5D=208>. Acesso em: 21 jul. 2014.

CRONQUIST, A. An integrated system of classification of flowering plants. New York: Columbia University Press, 1981. 1262p.

FILGUEIRAS, T.S. et al. Caminhamento: método expedito para levantamentos florísticos qualitativos. Cadernos de Geociências, n.12, p. 39-43,1994. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/116/cgeo_1994_n12_out_dez.pdf>. Acesso em: 21 jul. 2014.

RANTA, P. et al. The fragmented atlantic rain forest of Brasil: size, shape and distribution of forest fragments. Biodiversity & Conservation, v.7, n.3, p.385-403, 1998. doi

RIZZINI, C. T. 1997. Tratado de fitogeografia do Brasil: aspectos ecológicos, florístico e sociológicos. 2.ed. Rio de Janeiro, Brasil: Âmbito Cultural,1998. 747p.

ROCHA, K. D. et al. Caracterização da vegetação arbórea adulta em um fragmento de floresta atlântica, Igarassú, PE. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife-PE, v.3, n. 1, p. 35-41, 2008. doi

RODAL, M.J.N.; NASCIMENTO, L.M. Levantamento florístico da floresta serrana da Reserva Biológica de Serra Nagra, microrregião de Itaparica, Pernambuco, Brasil. Acta Botanica Brasílica, São Paulo-SP, v.16, n.4, p. 481-500, 2002. doi

SOS MATA ATLÂNTICA; INPE. 2013. Atlas dos remanescentes florestais da mata atlântica: período 2011-2012. São Paulo: SOS MATA ATLÂNTICA; INPE, 2014. 61p. (Relatório Técnico). Disponível em: <http://www.sosma.org.br/wp-content/uploads/2014/05/atlas_2012-2013_relatorio_tecnico_20141.pdf>. Acesso em: 21 jul. 2014.