Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Correlações entre características funcionais foliares de  espécies arbóreas da Floresta Atlântica

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.239-663-2 

 

downloadpdf

Ana R. L. S. Santos1, Maria A. M. Silva1, Andréa de V. F. Botelho1 & Maria J. N. Rodal1

 

Resumo: As variações nos traços funcionais foliares têm norteado muitos estudos em ecologia funcional por apresentarem correlações ecológicas importantes. Este estudo teve como objetivo identificar as demandas conflitantes que controlam as diferentes estratégias ecológicas das espécies. Dessa maneira, foram avaliadas correlações entre traços funcionais foliares de espécies arbóreas da Floresta Atlântica. Foram coletados cinco atributos funcionais foliares (conteúdo de clorofila, área foliar específica, teor de matéria seca, concentração de N foliar e concentração de P foliar) em 64 espécies arbóreas, com indivíduos adultos saudáveis e folhagem exposta à luz solar. Após a análise dos dados, foram identificadas três correlações significativas os dados das características foliares. A quantidade de clorofila na folha diminuiu com a concentração de P, assim como o teor de matéria seca. Por outro lado, a concentração de N foliar aumentou com a concentração de P foliar.

Palavras-chave: demandas conflitantes, ecologia funcional, traços foliares

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (anasantosfl@gmail.com; amandamenezesmsn@hotmail.com; dea_botelho@hotmail.com; mrodal@terra.com.br)

 

Literatura Citada

ARAÚJO, J.F. de; HARIDASAN, M. Relação entre deciduidade e concentrações foliares de nutrientes em espécies lenhosas do cerrado. Revista Brasileira de Botânica, v. 30, n. 3, p. 533-542, 2007. doi

BREMNER, J.M. Nitrogen total. In: SPARKS, D.L. (Ed.). Methods of soil analysis. Part 3. American Society of Agronomy, 1996. p.1085-1121.

CORNELISSEN, J.H.C. et al. A handbook of protocols for standardized and easy measurement of plant functional traits worldwide. Australian Journal of Botany, v.51, n.4, p.335-380, 2003. doi

DAVIES, T.J. et al. Darwin’s abominable mystery: insights from a supertree of the angiosperms. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, v. 101, n.7, p. 1904–1909, 2004. doi

DONOVAN, L. A. et al. The evolution of the worldwide leaf economics spectrum. Trends in Ecology & Evolution, v. 26, n. 2, p. 88-95, 2011. doi

O‟NEAL, M.E.; LANDIS, D.A.; ISAACS, R. An Inexpensive, Accurate Method for Measuring Leaf Area and Defoliation Through Digital Image Analysis. Journal of Economic Entomology, v. 95, n.6, p. 1190-1194, 2002. doi

PAGEL, M. D. Method for the analysis of comparative data. Journal of Theoretical Biology, v.156, n.4, p. 431-442, 1992. doi

PRADO JÚNIOR, J. A. do. Traços funcionais como preditores da similaridade funcional entre sub-bosques de florestas estacionais semideciduais: subsídios para a conservação destes ecossistemas. 2012. 84f. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) – Universidade Federal de Uberlândia, 2012. Disponível em: <http://repositorio.ufu.br/handle/123456789/2219>. Acesso em: 21 jul. 2014.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2009. Disponível em: <http://www.R-project.org>. Acesso em: 21 jul. 2014.

REICH, P.B. et al. The evolution of plant functional variation: traits, spectra, and strategies. International Journal of Plant Sciences, v. 164, p.S143-S164. 2003. doi

REICH, P. B.; WALTERS, M. B.; ELLSWORTH, D. S. From tropics to tundra: global convergence in plant functioning. Proccedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, v.94, n.25, p.13730-13734, 1997. doi

VELOSO, H.P.; RANGEL-FILHO, A.L.R.; LIMA, J.C.A. Classificação da vegetação brasileira, adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro: IBGE, 1991. 124p.

WEBB, C.O.; DONOGHUE, M.J. Phylomatic: tree assembly for applied phylogenetics. Molecular Ecology Notes, v. 5, n.1, p. 181–183, 2005. doi