Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Regeneração natural de espécies arbóreas na borda de um fragmento de Floresta Atlântica em Pernambuco

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.249-652-1 

 

downloadpdf

José E. de L. Torres1, Wedson B. dos Santos1, Anderson P. B. Batista, Vanessa S. dos Santos1 & Luiz C. Marangon1

 

Resumo: O objetivo desse trabalho foi analisar a estrutura das espécies arbóreas regenerantes com maiores valores de Regeneração Natural Total (RNT) na borda de um fragmento de Floresta Atlântica em Pernambuco. Para isso foram alocadas 40 parcelas de 25 m2 (5 m x 5 m), sendo estas 20 de cada lado do fragmento. Foram mensurados todos os indivíduos arbóreos com altura da base (CAB0,30 m) dos indivíduos com altura ≥ 1,0 m ou < 15,0 cm circunferência à altura do peito (CAP1,30 m) e medidas as respectivas alturas. As espécies que mais se destacaram foram a Eschweilera ovata (12,78%), Miconia prasina (8,18%), Cupania oblongifolia (7,77%), Brosimum guianense (6,75%), Myrcia guianensis (6,06%) e Protium heptapyllum (5,78%). As espécies que apresentaram maiores valores RNT são espécies nativas e possuem grandes chances de se estabelecerem na comunidade arbórea adulta.

Palavras-chave: estrutura, espécies nativas, regenerantes

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (edsonfloresta@yahoo.com.br; wedsonflorestal@hotmail.com; vanessa_silva22@yahoo.com.br; marangon@dcfl.ufrpe.br)
2 Universidade Federal de Lavras (anderson_pedro22@yahoo.com.br)

 

Literatura Citada

ALENCAR, A. L. et al. Regeneração natural avançada de espécies arbóreas nativas no sub-bosque de povoamentos de Eucalyptus saligna Smith., na Zona da Mata Sul de Pernambuco. Ciência Florestal, Santa Maria-RS, v. 21, n. 2, p. 183-192, 2011. Disponível em: <http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/3218>. Acesso em: 21 jul. 2014.

APARÍCIO, W. C. S. et al. Estrutura da regeneração natural de espécies arbóreas em um fragmento de Mata Atlântica, Pernambuco. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife-PE, PE, v. 6, n. 3, p. 483-488, 2011. doi

HARPER, K. A. et al. Edge influence on forest structure and composition in fragmented landscapes. Conservation Biology, Malden-MA, v. 19, p. 768-782, 2005. doi

HARPER, K. A.; MACDONALD, S. E. Quantifying distance of edge influence: a comparison of methods and a new randomization method. Ecosphere, Ithaca-NY, v. 2, n. 8, p. 768–782, 2011. doi

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Manual técnico da vegetação brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. 271 p. (Série Manuais Técnicos em Geociências, 1).

MARANGON, L. C. et al. Regeneração natural em um fragmento de Floresta Estacional Semidecidual em Viçosa, Minas Gerais. Revista Árvore, Viçosa-MG, v. 32, n. 1, p. 183-191, 2008. doi

SILVA, W. C. et al. Estrutura horizontal e vertical do componente arbóreo em fase de regeneração natural na mata Santa Luzia, no município de Catende, PE. Revista Árvore, Viçosa-MG, v. 34, n. 5, p. 863-869, 2010. doi