Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Síndromes de dispersão de espécies arbóreas em fragmento de mata atlântica, Vitória de Santo Antão, PE

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.98-649-2 

 

downloadpdf

Roseane K. S. da Silva1, Rosival B. de A. Lima1, Mateus D. de Paula2, Ellen T. R. Guimarães2, Elisabete C. B. Braga2 & Aristófanes L. Schuler2

 

Resumo: As relações entre plantas e seus agentes polinizadores e dispersores são de grande importância para a estruturação das comunidades, portanto, objetivou-se neste trabalho investigar as síndromes de dispersão de um trecho de mata atlântica, Vitória de Santo Antão, PE, a fim de caracterizar as estratégias de dispersão das espécies encontradas no levantamento. Com o intuito de investigar as síndromes de dispersão das espécies foram distribuídas de forma aleatória três parcelas com dimensões de 40m x 40m (0,48 ha de área amostrada), registrando-se todos os indivíduos com CAP ≥15 cm. Quanto às síndromes de dispersão, as espécies foram classificadas em anemocóricas, zoocóricas e autocóricas. Foram relacionados 162 indivíduos arbóreos, pertencentes a 48 espécies. Em relação às síndromes de dispersão 41,7% das espécies apresentaram estratégia zoocórica. A autocoria (8,3%) e a anemocoria (4,2%) foram estratégias menos incidentes.

Palavras-chave: floresta ombrófila densa, conservação, estratégias de dispersão

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (roseanekarla.floresta@gmail.com; rosival_barros@yahoo.com.br)
2 Sociedade Nordestina de Ecologia (mateus.dantas@gmail.com; ellenguimaraes@gmail.com; ebraga477@gmail.com; direx@sne.org.br)

 

Literatura Citada

CRONQUIST, A. The evolution and classification of flowering plants. New York: The New York Botanical Garden, 1988. 555p.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3.ed. Brasília: Embrapa Produção de Informação – SPI; Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2013. 353p.

JORDANO, P.M. et al. Ligando Frugivoria e dispersão de sementes à biologia da conservação. In: ROCHA, C.F.D. et al. (Eds.). Biologia da conservação: essências. São Paulo: Editorial Rima, 2006. p. 411-436.

OLIVEIRA, L.S.B et al. Florística, classificação sucessional e síndromes de dispersão em um remanescente de Floresta Atlântica, Moreno-PE. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife-PE, v.6, n.3, p.502-507, 2011. doi

SILVA, R.K.S. et al. Estrutura e síndromes de dispersão de espécies arbóreas em um trecho de mata ciliar, Sirinhaém, Pernambuco, Brasil. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo-PR, v.32, n.69, p.1-11, 2012. doi

VAN DER PIJL, L. Principles of dispersal in higher plants. Berlin: Springer Verlag, 1982. 162p.