Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Sucessão ecológica de espécies arbóreas, Igarassu, PE

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.96-682-1 

 

downloadpdf

Rosival B. de A. Lima1, Roseane K. S. da Silva1, Luiz C. Marangon1 & Ana L. P. Feliciano1

 

Resumo: A sucessão ecológica está intimamente ligada à recuperação de áreas degradadas, ocorrendo naturalmente após um determinado ecossistema sofrer algum nível de perturbação, natural ou antrópica. Este estudo objetivou caracterizar a composição florística do estrato arbóreo e classificar as espécies nos respectivos grupos ecológicos. O estudo foi desenvolvido em área de mata atlântica, pertencente à Usina São José, em Igarassu, PE. Para caracterizar a composição florística, foram alocadas sete parcelas de 10 x 25 m, dispostas aleatoriamente. Em relação aos grupos ecológicos, as espécies foram classificadas como pioneiras, secundárias iniciais, secundárias tardias e sem caracterização. Foram amostrados 222 indivíduos, pertencentes a 27 famílias botânicas, 37 gêneros e 44 espécies. Dessas espécies, 11 foram identificadas apenas em nível de gênero, três em nível de família, 26 em nível de espécie e quatro indeterminadas. Quanto à classificação sucessional, as espécies de início de sucessão apresentaram maior número de indivíduos, demonstrando características de uma floresta em estádio inicial no desenvolvimento sucessional.

Palavras-chave: florística, grupos ecológicos, floresta atlântica

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (consultoria.florestal2015@gmail.com; roseane.floresta@gmail.com; marangon@dcfl.ufrpe.br; licia@dcfl.ufrpe.br)

 

Literatura Citada

BRANDÃO, C.F.L.S. et al. Estrutura fitossociológica e classificação sucessional do componente arbóreo em um fragmento de floresta atlântica em Igarassu – Pernambuco. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife-PE, v.4, n.1, p.55-61, 2009. doi

CÂMARA, I. G. Brief history of conservation in the Atlantic forest. In: GALINDO-LEAL, C., CÂMARA, I. G. (Eds.) The Atlântic Forst of South America. Washington: Center for Applied Biodiversity Science, 2003. p.31-42.

COELHO, R.F.R. et al. Análise florística e estrutural de uma floresta em diferentes estágios sucessionais no município de Castanhal, Pará. Acta Amazônica, Manaus-AM, v.33, n.4, p.563-581, 2003. doi

GANDOLFI, S.et al. Levantamento florístico e caráter sucessional das espécies arbustivo-arbóreas de uma floresta mesófila semidecídua no município de Guarulhos, SP. Revista Brasileira de Biologia, v.55, n.4, p.753-767, 1995. Disponível em: <http://www.lcb.esalq.usp.br/publications/articles/1995/1995rbbv55n4p753-767.pdf>. Acesso em: 23 jul. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Manual técnico da vegetação brasileira. 2.ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. 271p.

PRATA, S.S. Sucessão ecológica da vegetação arbórea em florestas secundárias do nordeste do estado do Pará. 2007. 77f. Dissertação (Mestrado em Botânica) – Universidade Federal Rural da Amazônia, 2007. <http://marte.museu-goeldi.br/zoologia/turma2005/dissertacaoShirley.pdf>. Acesso em: 23 jul. 2014.

SANTOS, W.B. Estrutura do componente arbóreo da borda e interior do fragmento de floresta ombrófila, mata do camurim, em São Lourenço da Mata - PE, Brasil. 2014. 90f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2014. <http://ppgcf-ufrpe.jimdo.com/disserta%C3%A7%C3%B5es/>. Acesso em: 23 jul. 2014.

SILVA, R.K.S. et al. Florística e sucessão ecológica da vegetação arbórea em área de nascente de um fragmento de Mata Atlântica, Pernambuco. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife-PE, v.5, n.4, p.550-559, 2010. doi

THE ANGIOSPERM PHYLOGENY GROUP - APG III. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 161, n. 2, p. 105-121, 2009. doi