Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Concentração geográfica da exploração de lenha em Pernambuco

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.38-543-1 

 

downloadpdf

Isabelle M. J. Meunier1, Rinaldo L. C. Ferreira1 & José A. A. da Silva1

 

Resumo: Neste trabalho estimaram-se medidas de concentração da exploração de lenha em Pernambuco a partir de dados de exploração anual autorizada pelo órgão ambiental estadual, entre 2012 a 2013, agregados por município e por Região de Desenvolvimento. Foram identificados os municípios que responderam pela oferta de 2/3 do volume de lenha e de área de exploração anuais autorizados, estimando-se o Quociente Locacional (QL) de cada Região de Desenvolvimento e o Índice de Gini locacional. A exploração madeireira em Planos de Manejo Florestal se deu em 25 municípios de todas as Regiões de Desenvolvimento (RD) do Sertão Pernambuco e sete deles reuniram 67,3% do total de volume autorizado para exploração. O Índice de Gini locacional indicou concentração média a forte e QL apontou alto grau de concentração da atividade nas RD Itaparica e Moxotó, seguidas pelo Sertão Central e Pajeú. A concentração na exploração de lenha parece refletir o efeito da demanda de setores consumidores, embora isso não se dê, necessariamente, na região onde estão instalados. O fluxo de lenha, por sua vez, só pode ser estudado se mapeados os consumidores finais da biomassa florestal por meio da disponibilização de dados do sistema de controle de origem florestal.

Palavras-chave: Biomassa florestal; Caatinga; Planos de Manejo Florestal.

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (imjmeunier@gmail.com; rinaldo@dcfl.ufrpe.br; jaaleixo@uol.com.br)

 

Literatura Citada

AMBROSIO, L. A.; FASIABEN, M. C. R.; ROMEIRO, A. R. Distribuição locacional agropecuária e concentração fundiária na Bacia Hidrográfica dos Rios Mogi Guaçu e Pardo. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL (SOBER), 46., Rio Branco, 2008. Anais, Rio Branco: SOBER, 2008. Disponível em: <http://www.sober.org.br/palestra/9/138.pdf> Acesso em: 24 jan. 2014.

ATECEL/ADENE Diagnóstico energético do setor industrial do Polo Gesseiro da Meso Região de Araripina. Campina Grande, 2006. Disponível em: <http://201.2.114.147/bds/bds.nsf/2F6F3AECA42AE2558325735A006800FC/$File/NT000360FA.pdf>. Acesso em: 28 jan. 2014.

CROCO, M. A. et al. Metodologia de identificação de aglomerações produtivas locais. Nova Economia, v. 16, n. 2, p.211-241, 2006. <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-63512006000200001>.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Censo Agropecuário 2006 - Sistema IBGE de Recuperação Eletrônica (SIDRA). Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br>. Acesso em: 10 jan. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Produção da extração vegetal e silvicultura. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pevs/2012/>. Acesso em: 28 jan. 2014.

LARA, F. M.; FIORI, T. P.; ZANIN, V. Notas sobre medidas de concentração e especialização; um exercício preliminar para o emprego no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: FEE); Secretaria do Planejamento e Gestão, 2010. 24p. (Textos para Discussão FEE, 83). Disponível em: <http://www.fee.rs.gov.br/wp-content/uploads/2014/03/20140324083.pdf>. Acesso em 13 jan. 2014.

PERNAMBUCO. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Região do Araripe: diagnóstico florestal. Brasília: MMMA, 2007. 91p. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0015/001586/158602por.pdf>. Acesso em: 28 jan. 2014.