Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Modelagem da estrutura diamétrica para Guatteria sp. na Floresta Estadual do Amapá, Brasil

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.208-604-1 

 

downloadpdf

Luandson de A. Souza1, Samara C. de Sousa1, Marcos V. R. Dias1, Harliany de B. Matias1, Darlan S. de Souza, Jadson C. de Abreu1 & Perseu da S. Aparício1

 

Resumo: O manejo florestal é a busca da administração ótima dos recursos florestais, visando sempre lucro, renda e oportunidade de trabalho à sociedade, menor impacto possível à natureza e o uso contínuo do recurso evitando sua escassez. Deste modo, este trabalho teve como objetivo analisar a estrutura diamétrica de Guatteria sp., utilizando-se funções de densidade probabilística. O presente trabalho foi realizado no entorno do módulo II da Floresta Estadual do Amapá (FLOTA/AP), utilizando três unidades quadradas conglomeradas. Para analisar a distribuição diamétrica foi calculada a amplitude e quantidade das classes. Para a modelagem da distribuição diamétrica para Guatteria sp., foram utilizados dados de 160 indivíduos. Apenas para as funções Log normal, Weibull e Meyer ocorreu aceitação da hipótese de nulidade, o que demonstra esses modelos esboçam de forma adequada o conjunto de dados utilizados. Conclui-se que a função de Meyer foi a que melhor descreveu a estrutura diamétrica da Guatteria sp. e que há similaridade entre as frequências estimadas e observadas.

Palavras-chave: Distribuição diamétrica, Manejo florestal, Meyer.

 

1 Universidade do Estado do Amapá (luandson_souza@hotmail.com; carla_samara17@hotmail.com; marcos.vinicius-ap@hotmail.com; harlianymatias@gmail.com; ssdarlan@hotmail.com; jadsoncoelhoabreu@hotmail.com; perseu_aparicio@yahoo.com.br).

 

Literatura Citada

GLUFKE, C. et al. Produção de uma floresta natural em Santa Maria - RS. Revista Ciência Florestal, Santa Maria-RS, v.4, n.1, p.61-76, 1994. Disponível em: <http://coral.ufsm.br/cienciaflorestal/artigos/v4n1/art4v4n1.pdf>. Acesso em: 21 jul. 2014.

MACHADO, S. A. et al. Funções de distribuição diamétrica em um fragmento de Floresta Ombrófila Mista. Ciência Rural, Santa Maria-RS, v.39, n.8, p.2428-2434, 2009. <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782009000800024>.

NASCIMENTO, R. G. M. et al. Modelo de projeção por classe diamétrica para florestas nativas: enfoque na função probabilística de Weibull. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo-PR, v. 32, n. 70, p. 209-219, 2012. <http://dx.doi.org/10.4336/2012.pfb.32.70.93>.

SCHNEIDER, P. R. et al. Estimativa dos parâmetros da função de densidade probabilística de Weibull por regressão aninhada em povoamento desbastado de Pinus taeda L. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 18, n. 3, p. 375-385, 2008. Disponível em <http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/view/449>. Acesso em: 21 jul. 2014.

SILVA, J. N. M. et al. Diretrizes para instalação e medição de parcelas permanentes em florestas naturais da Amazônia Brasileira. 1.ed. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2005. 69p. < http://bommanejo.cpatu.embrapa.br/arquivos/6-Silvaetal2006.pdf>

SPIEGEL, M. R. Estatística. 3.ed. São Paulo: Pearson Makron Books; 2006. 642p.