Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Efeito do esterco no crescimento inicial de mudas de Sterculia foetida L.

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.19-647-1

 

downloadpdf

Luan H. B. de Araújo1, Camila C. da Nóbrega1, Mary A. B. de Carvalho1, Kyvia P. T. das Chagas1, Jucier M. de S. e Silva1, Rafaela M. R. Bezerra1 & Fábio de A. Vieira1

 

Resumo:  A Sterculia foetida é uma espécie florestal exótica com potencial para produção de biodiesel, porém pouco se sabe sobre sua propagação. Objetivo do trabalho foi avaliar a emergência e o crescimento inicial de mudas de Sterculia foetida, submetidas a diferentes concentrações de esterco bovino. Procedeu-se a instalação do experimento a partir do delineamento em blocos casualizados com 4 repetições de 25 sementes, sendo testado a influência do esterco nas concentrações 0%, 20%, 40%, e 60%, avaliando-se as seguintes variáveis: Emergência (%), índice de velocidade de emergência (IVE), comprimento (cm) e massa seca (mg) da parte aérea (hipocótilo) e da raiz principal de plântulas. A utilização do esterco na produção de mudas de Sterculia foetida apresentou efeito significativo ao nível de 5% de probabilidade para todas as variáveis, com exceção do comprimento de raiz. O processo germinativo das sementes foi favorecido pelo tratamento composto por 20 % de esterco, proporcionando maior número de plântulas em menor tempo. As mudas apresentaram maior crescimento inicial em concentrações de esterco variando entre 20 e 40% promovendo mudas em maior número e de melhor qualidade.

Palavras-chave: Adubação orgânica; Chichá; Produção de mudas

 

1 Universidade Federal do Rio Grande do Norte (luan_henriqueba@hotmail.com; camila_cnobrega@hotmail.com; eaamaryannecarvalho@hotmail.com; kyviapontes@gmail.com; jucier.magson@gmail.com; rafaengfloresta@gmail.com; vieirafa@yahoo.com.br)

 

Literatura Citada

ARAÚJO, A. P.; PAIVA SOBRINHO, S. Germinação e produção de mudas de tamboril (Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong) em diferentes substratos. Revista Árvore, ViçosaMG,v. 35, n. 3, p. 581-588, 2011. <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622011000400001>.

CALDEIRA, M. V. W. et al. composto orgânico na produção de mudas de aroeira-vermelha. Scientia Agraria, Curitiba-PR, v.9, n.1, p.27-33, 2008. Disponível em: <http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs/index.php/agraria/article/view/9898/8632>. Acesso em: 21 jul. 2014.

DANTAS, L. L. G. R. et al. Esterco bovino no desenvolvimento inicial de maracujazeiro-amarelo. Revista Verde, Mossoró-RN, v. 7, n. 4, p. 101-107, 2012. Disponível em: <http://www.gvaa.com.br/revista/index.php/RVADS/article/viewFile/1800/pdf_548>. Acesso em: 21 jul. 2014.

GOMES, J. M. et al. Parâmetros morfológicos na avaliação da qualidade de mudas de Eucalyptus grandis. Revista Árvore, Viçosa-MG, v.26, n.4, p.515-523, 2002. <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622002000600002>.

KIEHL, E. J. Fertilizantes orgânicos. Piracicaba: Agronômica Ceres, 1985. 492p.