Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Vigor de sementes de sabiá avaliado pelo teste de precocidade de emissão da raiz primária

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.45-678-1

 

downloadpdf

Francival C. Felix1, Fernando dos S. Araújo1, Sarah P. L. Nunes1, Priscilla K. B. da Silva1, José G. F. Alves1 & Mauro V. Pacheco1

 

Resumo: A adequação de testes de vigor que avaliem de forma rápida e eficiente a qualidade fisiológica de sementes de espécies florestais deve ser incentivada. Assim, o objetivo do presente trabalho foi verificar a eficiência do teste de precocidade de emissão da raiz primária na avaliação do vigor de sementes de sabiá. Para tal, sementes de cinco lotes desta espécie foram submetidas aos testes de germinação, primeira contagem, comprimento e massa seca de plântulas, bem como precocidade na emissão da raiz primária. O teste de precocidade da emissão de raiz primária não é eficiente para a avaliação do vigor de sementes de sabiá na condição de intervalos de seis horas durante 48 h.

Palavras-chave: Análise de sementes; Germinação; Mimosa caesalpiniaefolia; Qualidade fisiológica; Sementes florestais.

 

1 Universidade Federal do Rio Grande do Norte (francival007@gmail.com; nandosantos005@hotmail.com; sarahnunes17@hotmail.com; priscilinha.kari@yahoo.com.br; guthemalve@yahoo.com.br; pachecomv@hotmail.com)

 

Literatura Citada

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para Análise de Sementes. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 398p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instruções para a análise de sementes de espécies florestais. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: MAPA/ACS, 2013. 79p.

COIMBRA, R. A. et al. Testes de vigor utilizados na avaliação da qualidade fisiológica de lotes de sementesde milho-doce (sh2). Ciência Rural, Santa Maria-RS, v.39, n.9, p.2402-2408, 2009.<http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782009000900004>.

MACHADO, C. G. et al. Precocidade na emissão da raiz primária para avaliação do vigor de sementes de milheto. Semina: Ciências Agrárias, Londrina-PR, v. 33, n.2, p. 499-506, 2012. <http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n2p499>.

MAGUIRE, J.D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, Madison, v.2, n.1, p.176-177, 1962. <http://dx.doi.org/10.2135/cropsci1962.0011183X000200020033x>.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba/SP: FEALQ, 2005. 495p.

PEREIRA, F.R.S. et al. Qualidade fisiológica de sementes de milho tratadas com molibdênio. Revista Brasileira de Sementes, v.34, n.3, p. 450-456, 2012. <http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222012000300012>.

RIBASKI, J. et al. Sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia): árvore de múltiplo uso no Brasil. Colombo: Embrapa Florestas, 2003. 4p. Disponível em: <http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/309651/1/comtec104.pdf>. Acesso em: 05 jul. 14.

PEREIRA, F.C. et al. Recuperação de nascentes com sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth.) Fabaceae no agreste paraibano. In: INOVAGRI INTERNATIONAL MEETING; WINOTEC, 4., 2012, Fortaleza. Anais... Fortaleza: INOVAGRI, 2012. Disponível em: <http://www.inovagri.org.br/meeting2012/wp-content/uploads/2012/06/Protocolo488.pdf> Acesso em: 15 jul. 14.

SPEARS, J.F. An introduction to seed vigour testing. In: VAN DER VENTER, H. A. (Ed.).Seed vigour testing seminar. Zurich: International Seed Testing Association, 1995. p. 1-9.