Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Variabilidade Espacial da Salinidade do Solo em Área de Agricultura Irrigada

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/III-SGEA-a53

 

downloadpdf

Clóvis M. C. Ramos1, Francisco L. L. Barros2, Sandra R. S. Galvão3, Geovane G. Matiasr4 & Fernando B. Brito4

 

Resumo: Este trabalho teve por objetivo estudar a variabilidade espacial da salinidade do solo, em área irrigada para cultivo de hortaliças, no município de Salgueiro-PE. Foram coletadas amostras de solo nas camadas de 0-20 e 20-40 cm, em área localizada no Distrito de Pau Ferro, utilizando um sistema numa malha irregular. Avaliou-se o potencial de hidrogênio iônico na pasta saturada (pH), a condutividade elétrica do extrato saturado (CE) e a densidade do solo (Ds). Os dados foram analisados através da estatística descritiva e geoestatística. Verificou-se baixo coeficiente de variação para a Ds, e pH e alto para (CE). Os mapas de isolinhas da combinação da CE, pH e Ds permitiram visualizar o padrão de variabilidade da salinidade, constituindo-se em uma ferramenta para a definição de estratégias de manejo edáfico e recuperação de área afetada.

Palavras-chave: salinidade; geoestatistica; irrigação

 

Abstract: This study aimed to investigate the spatial variability of soil salinity in an irrigated area for growing vegetables in Salgueiro/PE, in Brazil. Were collected soil samples at 0-20 and 20-40 cm in an area located in Pau Ferro, district of Salgueiro, using a system in an irregular grid. Was evaluated the pH, electrical conductivity of the saturated extract (EC) and soil density (Sd). The data were analyzed using descriptive statistics and geostatistics. Was verified a low coefficient of variation for the Ds, and pH, otherwise high for EC. The contour maps of the combination of EC, pH and Sd allowed to visualize the pattern of salinity variability , becoming a tool for edaphic management strategies and affected area recovery.

Key words: salinity; geostatistics; irrigation

 

1 Doutor em Irrigação e Drenagem, IF SERTÃO-PE / Campus Salgueiro, BR 232 km580, Zona Rural, Salgueiro-PE, clovis-ramos@oi.com.br
2 Especialisa em Agricultura Irrigada, IF SERTÃO-PE / Campus Salgueiro, francisco.barros@ifsertao-pe.edu.br
3 Doutora em Tecnologias Energéticas Nucleares, IF SERTÃO-PE / Campus Salgueiro, sandra.galvao@ifsertao-pe.edu.br
4 Estudante curso Técnico em Agropecuária, geovane110294@hotmail.com

 

Literatura Citada

COSTA, D. M. A. Impactos da irrigação na variabilidade espacial e temporal da salinidade de um solo aluvial no semi-árido potiguar. Holos, v. 2, p. 62-71, 2008.

FREIRE, E. de A.; LAIME, E. M. O; NASCIMENTO, N. V. do; LIMA, V. L. A. de; SANTOS, J. S. dos. Análise dos riscos de salinidade do solo do perímetro irrigado de forquilha, Ceará. Revista Educação Agrícola Superior, v.24, n.2, p.62-66, 2009.

GUERRA, P. A. G. Geoestatística operacional. Brasília, MME/DNPM, 1988. 145p.

JUNIOR, J. A. de L.; SILVA, A. L. P. da. Estudo do processo de salinização para indicar medidas de prevenção de solos salinos. Enciclopédia Biosfera, v.6, n11; 2010.

LACERDA, C. F. de; HERNANDEZ, F. F. F.; NEVES, R. L. A. Problemas de salinidade na agricultura: identificação e formas de convivência. In: LACERDA, C. F. de; HERNANDEZ, F. F. F.; NEVES, R. L. A. Semiárido e o manejo dos recursos naturais: uma proposta de uso adequado do capital natural. Fortaleza: Graphiti gráfica e editora ltda. 2010. cap.13, p. 289-308.

OLIVEIRA, M. Gênese, classificação e extensão de solos afetados por sais. In: Simpósio “Manejo e controle da salinidade na agricultura irrigada”,1997, Campina Grande, PB. Anais..., Campina Grande: UFPB, p. 3-35, 1997.

RENGASAMY. P. 2006. World salinization with emphasis on Australia. Journal of Experimental Botany., v.57, n.5, p.: 1017-1023.

ROBERTSON, G. P. GS+: Geoestatistics for the environmental sciences - GS+ User´s Guide. Plainwell: Gamma Desing Software, 2009. 152p.