Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Distribuição Espacial do Número de Indivíduos de Espécies Arbóreas em Parcelas do Inventário Florestal Contínuo do RS

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/IV-SGEA-a41

 

downloadpdf

Dalla Porta1, G.; Melos2, N. D.; Wolfart3, A.; Amaral4, L. P.; Sebem5, E.

 

Resumo: Este trabalho teve como objetivo analisar a distribuição espacial do número de indivíduos de espécies arbóreas em parcelas do inventário Florestal Contínuo do Rio Grande do Sul realizado em 2000, através de técnicas de geoestatística. Para isso, foram realizadas a tabulação dos dados em planilhas eletrônicas e sua importação para o programa GS+®, posteriormente foram feitos os ajustes dos semivariogramas a interpolação por krigagem ordinária pontual e a validação cruzada. As espécies arbóreas analisadas foram Myrciaria floribunda (West exWilld.) O. Berg, Podocarpus lambertti Klotzsch ex Endl, Sebastiania commersoniana e Sapium glandulatum (Vell). Pax, respectivamente das parcelas 1538, as duas primeiras espécies, 1542 e 1541. Como resultados foram observadas forte e moderada dependência espacial para o número de indivíduos destas espécies.

Palavras-chave: Krigagem ordinária; dependência espacial; silvicultura de precisão.

 

Abstract: This study aimed to analyze the spatial distribution of the number of individuals of tree species in plots of Continuous Forest Inventory of Rio Grande do Sul conducted in 2000, by geostatistical techniques. For this, we carried out the tabulation of data in spreadsheets and imported into the program GS+®, were later adjustments semivariogram made interpolation by ordinary point kriging and timely cross-validation. Tree species analyzed were Myrciaria floribunda (West exWilld.) O. Berg, Podocarpus lambertti Klotzsch ex Endl, Sebastiana commersoniana and Sapium glandulatum (Vell). Pax, respectively plots of 1538, the first two species, 1542 and 1541. As results were observed strong and moderate spatial dependence on the number of individuals of these species.

Key words: Ordinary kriging; space dependence; precision forestry.

 

1, 2, 3 Acadêmicos do Curso de Tecnologia em Geoprocessamento, Colégio Politécnico da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Av. Roraima 1000, Prédio 44, Camobi, CEP 97.105-900, Santa Maria – RS, Brasil, gabrielidallaporta@gmail.com, melosnatalia@gmail.com, wolfart.alison@gmail.com
4, 5 Professores dos cursos de nível técnico e superior em Geoprocessamento, Colégio Politécnico da UFSM, lpamaralengflorestal@gmail.com, elodiosebem@politecnico.ufsm.br

 

Literatura Citada

AMARAL, L. P. Geoestatística a Caracterização do Solo e da Vegetação em Floresta Ombrófila Mista Dissertação de Mestrado, UNICENTRO, 2010.

CARVALHO, P.E.R. de Espécies arbóreas brasileiras, Brasilia,DF: EMBRAPA informações Tecnologicas; Colombo: Embrapa Florestas, 2003. 1039 p.v1.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística . Manual técnico da vegetação brasileira. Rio de Janeiro: 1992.

INVENTÁRIO FLORESTAL NACIONAL ( IFC. Relatório Final do Inventário Florestal Continuo do Rio Grande do Sul Disponível em < http://coralx.ufsm.br/ifcrs/frame.htm>. Acesso em 14 jan. 2015.

INOUE, M. T Estudo das coniferas potencialmente economicas para o Brasil. Curitiba, Faculdade de Florestas – UFPR, 1972.

ISAAKS, E.H.; SRIVASTAVA,R.M. An introducion to applied geostatistics. New York: Oxford University Press, 1989. 600p.

JOLY, A.B. Botânica: Introdução á taxonomia vegetal, 3. Ed São Paulo: Nacional, 1976.

Lorenzi H 2009. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil, V.III, 1 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2009.

LONGHI, S.J.; BRENA, D.A; RIBEIRO, S.B.; GRACIOLI, C.R. LONGHI, R.V.;MASTELLA, T. Fatores ecológicos determinantes na ocorrência de Araucária angustifolia e Podocarpus lambertti, na Floresta Ombrófila Mista da FLONA de São Francisco de Paula, RS, BRASIL. Ciência Florestal, Santa Maria. 2009.

MAIXNER, A, E; FERREIRA, L. A. B Contribuição ao estudo das essências florestais e frutíferas nativas no estado do Rio Grande do Sul. Trigo e Soja,Porto Alegre, n.18, p.3 -20, 1976.

PROSINOS, Caracterização Socioambiental das regiões da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos. Disponível em: <http://www.portalprosinos.com.br/altas/conteudo_saofrancisco.php?id=geociencias_saofrancisco> Acesso em: 18 jan. 2015.

REITZ, R.; KLEIN, R.M.; REIS, A. Projeto Madeira do Rio Grande do Sul. Itajaí, H.B.R. SUDESUL, DRNR, 1983.525P.

SANCHOTTENE,M.C.C Frutíferas nativas úteis a fauna na arborização urbana. Porto Alegre, FEPLAM, 1985.

SEBEM, E. Desenvolvimento e aplicabilidade de uma base de dados relacional para o Inventário Florestal Contínuo do RS. 2000. 124f. Dissertação (Mestrado Pós-Graduação em Engenharia Agrícola- Sensoriamento Remoto). Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria-RS.

Sobral, M.; Proença, C.; Souza, M.; Mazine, F.; Lucas, E. Myrtaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB10972> Acesso em: 18 Jan. 2015

SOUZA V.C: Lorenzi, H. Botanica sistemática: guia ilustrado para identificação das famílias de Angiospermas da flora brasileira, baseado em APGII, Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2005.

SILVA, S. M.; SILVA, F. C.; VIEIRA, A. O. S.; NAKAJIMA, J. N.; PIMENTA, J. A.; COLLI, S. Composição florística e fitossociológica do componente arbóreo das florestas ciliares da bacia do Rio Tibagi: 2. Várzea do Rio Bitumirim, município de Ipiranga, PR. Revista do Instituto Florestal, São Paulo, v. 5, n.1, p. 191-198, 1992.

SILVA, M.A.; MELLO, J.M; SCOLFORO, R.S.S.; JUNIOR, L.C.; ANDRADE, I.S.; OLIVEIRA, A.D. Análise da distribuição espacial da candeia ( EremanthusErythropappus ( DC.) MacLeish) Sujeita ao sistema de manejo porta - semente. Cerne. Lavras, v.14.n.4, p.311-316, 2008.