Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Construção de Uma Proposta Educacional: Concepções dos Educadores sobre a Educação Inclusiva no Município de Formosa-Goiás

DOI: http://dx.doi.org/10.18788/2237-1451/rle.v4n8p5-17

http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rle 

downloadpdf

Hugo de Carvalho Sobrinho, Gislaine M. de Carvalho Sobrinho & Denise R. C. da Silva

 

Resumo: A comunicação constitui uma das principais barreiras para a inclusão no ensino regular pela própria dificuldade que o educando tem de interação com o professor e os próprios colegas. Dentre os avanços que a educação deve ter em relação à inclusão o mais importante refere-se ao recurso humano. Os avanços que a educação vem alcançando trazem oportunidades para que a escola seja capaz de cumprir sua função de inclusão social e educacional. O objetivo dessa pesquisa foi averiguar por meio do professor, em situação real de sala de aula, como se encontra a atuação da educação inclusiva e os principais problemas que dificultam a inclusão em classes de ensino regular. Para alcançar esse objetivo adotou-se como recurso a pesquisa descritiva e qualitativa, envolvendo duas escolas, tendo como amostra 30 professores. Detectar as dificuldades encontradas pelos educadores e pelos alunos para subsidiar novas possibilidades de aprendizagem é de fundamental importância. Observou-se que o principal problema enfrentado para a consolidação da inclusão está relacionado à falta de capacitação profissional, como também, uma infraestrutura deficiente. Os dados obtidos nessa pesquisa possibilitaram uma visão crítica em relação à efetivação da proposta inclusiva, além de detectar os esforços dos docentes para sua concretização.

Palavras-chave: Educação inclusiva, Investimentos, Capacitação docente

 

Abstract: Communication forms one of the main barriers for the inclusion to happen on regular education, due to inner handicap when interacting with the learning object, the teacher and even the classmates. Minding the education’s improvement on inclusion, the most important refers to the human resources. The progressive way that education has been coming through brings opportunities for the school to be able to work social and educational inclusion. The purpose of this research is to check, inside the reality of the teacher and his workplace, how does and its major problems are taking place, as knowing the dynamic of social class interactions in the regular school. Was required descriptive and qualitative search for achieving this goal, involving two schools and accounting thirty teachers. Detecting issues according to faculty and student reports to open new learning possibilities are as important as. It was observed that the main trouble faced when welding inclusion is related to the low-skilled occupational issue, as the poor infrastructure runs along with it. Data collected for this quest enabled a more critic vision regarding the effectuation of the inclusion purposing, beyond detecting efforts from educators for this implementation.

Key words: Educational inclusion, Investments, Teacher training

  

Literatura Citada

ARAÚJO, K. S. S; HETKOWSKI, T. M. Educação Inclusiva: o direito.Recife: Editora Construir, 2005. Disponível: <http://www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=980>. Acesso: 09 out. 2012.

BRASIL. Constituição. Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Planalto, 1996.

BRASIL. Ministério da educação. Secretaria de educação básica. Parâmetro básico de infraestrutura para instituições de educação infantil. Encorte I. Brasília: MEC, SEB, 2006.

BRASIL. Ministério da educação. Diretrizes nacionais para educação especial na educação básica. Secretaria de educação especial. MEC; SEESP, 2001.

BRASIL. Lei nº. 7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência e outros assuntos. Brasília: Planalto, 1989.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar um projeto de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

GRACINDO, R.V. Sistemas municipais de ensino: limites e possibilidades. In. I. BRZEZINSKI (ORG.). São Paulo: Cortez, 2008.

MARSIGLIA, G.M.R. Orientações Básicas para a Pesquisa.Disponível:<http://www.fnepas.org.br/pdf/servico_social_saude/texto3-1.pdf>. Acesso em: out. 2012.

MANTOAN, Maria Teresa Égler. Inclusão escolar: o que é? por quê? como fazer?São Paulo, SP: Moderna, 2006.

MITTLER, Peter. Educação inclusiva- Contextos sociais. Porto Alegre; Editora Artimed, 2000.

PORTO, M. D; OLIVEIRA, M. D. M. Educação inclusiva: concepções e práticas na perspectiva de professores. Brasília: Editora Aplicada, 2010.

SALLES, H.M.M.L; FAULSTICH, E; CARVALHO, O.L; RAMOS, A.A.L. Ensino de Língua Portuguesa para Surdos.Brasília: Programa Nacional de Apoio à Educação dos Surdos, 2004 (Vol. 1 - caminhos para a prática pedagógica)

SASSAKI, R. K. Construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: Ed. WVA,1997.

UNESCO. Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf> Acesso em: 12 out. 2012.