Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Educação Inclusiva no Projeto Educacional do MST

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v22n2p149-164

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Julio C. Torres1, Tânia S. A. M. Brabo2, Claudio R. da Silva3, Agnes I. D. Moraes4 & Nathanael da C. e Silva Neto5

 

Resumo: Este trabalho tem por objetivo discutir alguns elementos sobre a questão da educação inclusiva no projeto educacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-terra (MST). Trata-se de pesquisa de natureza bibliográfica e documental. O referencial teórico apoia-se em pesquisas e investigações acerca da educação do campo, sobretudo a produção mais recente. Destacam-se, para a análise das políticas educacionais do MST, os documentos produzidos e publicados por seus estudiosos e lideranças nacionais. Os resultados parciais indicam que as perspectivas do Movimento em relação à inclusão escolar, em conformidade com seu programa político, envolvem, simultânea e articuladamente, as demandas defendidas e vocalizadas também por outros movimentos sociais. Mais especificamente, em relação à educação escolar, verifica-se que o MST aborda questões mais gerais, vinculadas mais diretamente à categoria de classes sociais e, também, temas não menos complexos e importantes, como a educação especial, além de questões mais amplas relacionadas à educação inclusiva, entre elas as relações de gênero e, em especial, a própria questão da educação do campo.

Palavras-chave: história da educação; educação do campo; MST; educação inclusiva; gênero.

 

Abstract: This paper aims at discussing some elements regarding inclusive education in the educational project of the Landless Workers’ Movement (MST). The study comprises literature review and desk research. The theoretical framework is supported by researches and investigations about rural education, especially the latest production. For the analysis of MST’s educational policies, documents produced and published by scholars and national leaders stand out. Partial results indicate that the Movement’s perspectives towards school inclusion, in accordance with its political program, involve simultaneously and articulately the demands advocated and voiced also by other social movements. More specifically, with regard to school education, it appears that MST addresses broader issues, linked more directly to the category of social classes and other complex and important issues such as special education, inclusive education, gender relations and, in particular, the very question of rural education.

Key words: history of education; rural education; MST; inclusive education; gender.

 

1 UNESP Vice-Coordenador do Curso de Pedagogia da UNESP/São José do Rio Preto e Coordenador de Área de Gestão de Processos Educacionais do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência PIBID (CAPES)
2 UNESP Professora assistente doutora efetiva da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.
3 UNESP Pedagogo, Mestre em Educação e Doutorando em Educação na Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/Câmpus de Marília
4 UNESP Pedagoga, Mestre em Educação e Doutorando Pedagogo, Mestre em Educação e Doutorando em Educação na Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/Câmpus de Marília
5 UNESP Licenciado em Letras e Mestrando em Educação na Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/Câmpus de Marília

 

Literatura Citada 

ARROYO, M. G. Prefácio. In: CALDART, R. S. Pedagogia do movimento sem terra. 3. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2004. p. 7-16.

BAUER, C. Educação, terra e liberdade: princípios educacionais do MST em perspectiva histórica. São Paulo: Pulsar/Xamã, 2009.

CAIADO, K. R. M.; MELETTI, S. M. F. Educação especial na educação do campo no Estado de São Paulo: uma interface a ser construída. In: BEZERRA NETO, L.; BEZERRA, M. C. S. (Orgs.). Educação para o campo em discussão: subsídios para o Programa Escola Ativa. São José: Premier, 2011. p. 171-185.

CALDART, R. S. Educação em movimento: formação de educadoras e educadores no MST. Petrópolis: Vozes, 1997.

CALDART, R. S. Pedagogia do movimento sem terra. 3. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

COUTINHO JUNIOR, J. Bandeira vermelhinha, na luta pela terra nós somos sem terrinha. Jornal Sem Terra, São Paulo, p. 8-9, set.-out.-nov. 2012.

DAL RI, N. M.; VIEITEZ, C. G. Educação democrática e trabalho associado no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e nas fábricas de autogestão. São Paulo: Ícone/Fapesp, 2008.

GOHN, M. da G. Movimentos sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação, v. 16, n. 47, p. 333-361, mai.-ago. 2011.

LEITE, S. C. Escola rural: urbanização e políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1999.

MARTINS, F. J. Educação do campo: processo de ocupação social e escolar. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA SOCIAL, 2., 2008. São Paulo, Anais… São Paulo, 2008. Disponível em: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?pid=MSC0000000092008000100006&script=sci_arttext>. Acesso em: 3 out. 2014.

MST – MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Princípios da educação no MST. Porto Alegre: MST, 1996.

MST – MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Como fazemos a escola de educação fundamental. Caderno de Educação, MST, s. l., n. 9, 1999.

MST – MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Construindo o caminho. São Paulo: MST, 2001a.

MST – MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Pedagogia do Movimento Sem Terra: acompanhamento às escolas. Boletim da Educação, Porto Alegre, n. 8, jun. 2001b.

MST – MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Fechar escolas itinerantes é atacar a escola pública. Brasília, DF, 2009. Disponível em: <http://www.mst.org.br/node/6509>. Acesso em: 25 nov. 2010.

MST – MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. MST: lutas e conquistas. São Paulo: MST, 2010.

MST – MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Fechar escola é crime! 2011. Disponível em: <http://antigo.mst.org.br/campanha-fechar-escola-e-crime--mst >. Acesso em: 16 jul. 2012.

TORRES, J. C.; SILVA, C. R.; MORAES, A. I. D. Escolas públicas no campo: retrospectiva e perspectivas em um contexto de projetos políticos em disputa. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 8, n. 2, p. 262-272, 2014. http://dx.doi.org/10.14244/19827199962