Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Concepções de Psicólogos Sobre o Adoecimento de Homens com Câncer


http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/index 

downloadpdf

Alberto M. Martins1, Andréa P. Gazzinelli1, Suellen S. L. de Almeida1 & Celina M. Modena1

 

Resumo : Este estudo teve por objetivo identificar as concepções de psicólogos sobre a experiência de adoecimento em homens com câncer. Na perspectiva da Pesquisa Qualitativa e dos referenciais das Teorias de Gênero, foram entrevistados 13 psicólogos que atuam em serviços especializados em oncologia de Belo Horizonte–MG. Os resultados apontam para as implicações do processo de socialização e construção da identidade masculina na experiência de adoecimento por câncer, refletindo em dificuldades de mobilização e adesão ao tratamento oncológico. Ao enfatizar a dimensão biológica, a estruturação psíquica e os aspectos socioculturais como constituintes dessas singularidades, o discurso dos entrevistados indica o determinismo e a culpabilização destes sujeitos, desconsiderando aspectos organizacionais e institucionais que contribuem para esse cenário. Observa­se a necessidade de construção de espaços crítico­reflexivos que possibilitem a discussão sobre as especificidades de gênero nos serviços de saúde, na perspectiva da universalidade, equidade e integralidade.

Palavras-chave: neoplasias; gênero e saúde; masculinidade; saúde do homem; Psicologia Social.

 

Abstract : This study aimed to identify the views of psychologists about the experience of illness in men with cancer. From the perspective of qualitative research and references of Gender Theories, interviewed 13 psychologists who work in specialized oncology in Belo Horizonte­MG. The results point to the implications of the socialization process and construction of masculine identity in the illness experience of cancer, reflecting difficulties in mobilization and adherence to cancer treatment. Emphasizing the biological dimension, the psychic structure and socio­cultural aspects as constituents of these singularities, the interviewees indicate the determinism and culpabilisation these subjects, ignoring organizational and institutional aspects that contribute to this scenario. There is a need to build spaces that to critical reflective discussion about the specifics of gender in health services from the perspective of universality, fairness and integrity.

Key words: neoplasms; gender and health; masculinity; men’s health; Social Psychology.

 

1 Fundação Oswaldo Cruz, Belo Horizonte – MG – Brasil