Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Sensoriamento Remoto e a Cartografia como Instrumentos Pedagógicos no Ensino de Geografia

DOI: http://dx.doi.org/10.18766/2446-6549/interespaco.v1n3p297-316

http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/interespaco 

downloadpdf

Ana L. S. Ferreira1, Rodrigo L. Santos2 & Ronaldo S. Barbosa3

 

Resumo: O sensoriamento remoto e a cartografia são campos do conhecimento geográfico e, como tais, não se devem dissociá-los ou negligenciar a sua existência, como comumente se observa em escolas de nível fundamental. O aluno do século XXI é por excelência um dominador nato da tecnologia. O objetivo deste artigo é demonstrar como pode ser utilizado o sensoriamento remoto e a cartografia enquanto instrumentos para melhoria da qualidade do componente curricular geografia no nível fundamental. Dentre os procedimentos metodológicos, foram feitos levantamentos bibliográficos, escolha do campo de aplicação e nível de ensino, bem como a preparação das propostas de trabalho. Durante a realização da pesquisa percebeu-se o interesse e a facilidade com que os alunos têm de aprender a cartografia (modos de implantação: pontual, linear e zonal), quando feita uma abordagem através de imagens de sensoriamento remoto (padrões de interpretação), conseguindo obter uma melhor percepção do espaço geográfico. Concluiu-se que aliar os conhecimentos do sensoriamento remoto e da cartografia, no contexto do ensino, permite aos alunos, conhecer melhor seu lugar, familiarizar-se com a visão vertical, fazer inter-relações entre problemáticas, bem como desenvolver o domínio da linguagem cartográfica.

Palavras-chave: Ensino de Geografia; Geotecnologias; Cartografia; Ensino Fundamental.

 

Resumen: Sensores remotos y mapeo son campos de conocimiento geográfico y, como tal, no ellos o negligencia debe disociarse de su existencia, como se observa comúnmente en las escuelas primarias. El estudiante del siglo XXI es por excelencia una tecnología dominante nacido. El propósito de este artículo es demostrar cómo se puede utilizar la teledetección y la cartografía como herramienta para mejorar la calidad de la geografía componente curricular en el nivel fundamental. Entre los procedimientos metodológicos, se realizaron exámenes de la bibliografía, seleccionar el alcance y el nivel de educación, y la preparación de propuestas de trabajo. Durante la investigación es evidente el interés y la facilidad con la que los estudiantes tienen que aprender a la cartografía (modos de implementación: puntual, lineal y zonal), cuando se hace una aproximación a través de imágenes de teledetección (patrones de interpretación) la gestión para obtener una mejor comprensión del espacio geográfico. Se concluye que la combinación e los conocimientos de la teledetección y la cartografía en el contexto de la educación permite a los estudiantes conocer mejor su lugar, se familiaricen con la visión vertical, hacen interrelaciones entre los problemas y desarrollar el dominio del lenguaje cartográfica.

Palabras-clave: Enseñanza de la Geografía; Geotécnica; Cartografía; Enseñanza Fundamental.

 

1 Graduada em Geografia pelo Centro de Estudos Superiores de Imperatriz da Universidade Estadual do Maranhão – CESI/UEMA. analeticiah@hotmail.com
2 Graduado em Geografia e Especialista em Agricultura e Ambiente pelo Centro de Estudos Superiores de Imperatriz – Universidade Estadual do Maranhão – CESI/UEMA. Professor Substituto de Geografia na mesma instituição. rlimasantos3@gmail.com
3 Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás – UFG. Licenciado em Geografia e Professor Assistente do Departamento de História e Geografia do Centro de Estudos Superiores de Imperatriz – Universidade Estadual do Maranhão – CESI/UEMA. mestrando2005@hotmail.com

 

Literatura Citada

CASTELLAR, Sonia Vanzella. A cartografia e a construção do conhecimento em contexto escolar. In: ALMEIDA, Rosangela Doin de (Org.). Novos rumos da cartografia escolar: currículo, linguagens e tecnologia. São Paulo: Contexto, 2011.

CAVALCANTI, Lana de Souza. Geografia, escola e construção de conhecimentos. 16. ed. Campinas, SP: Papirus, 2010.

CORAZZA, Rosana; FILHO, Waterloo Pereira. O uso de imagens de satélite no ensino de geografia com ênfase nas teorias dos níveis de desenvolvimento cognitivo e do construtivismo de Jean Piaget. Geo UERJ, Rio de Janeiro, Ano 10, v. 2, n. 18, p. 165-185, jul./dez. 2008.

DIVINO, Alex Campos; ZAIDAN, Ricardo Tavares; AFFONSO, Elen Pinheiro. Geotecnologias aplicadas ao Ensino de Geografia: uma proposta metodológica. Revista Virtú – ICH, Juiz de Fora, n. 8, p. 01-13, jan./jun. 2009. Disponível em: <http://www.ufjf.br/virtu/files/2009/11/9-geotecnologia-aplicada-UFJF.pdf>. Acesso em: 01 fev. 2015.

DUARTE, Paulo Araújo. Fundamentos de Cartografia. 2. ed., Florianópolis: UFSC, 2002.

FERREIRA, Ana Letícia Silva. Cartografia e educação ambiental: práticas pedagógicas para as aulas de Geografia no 6º ano do Ensino Fundamental na Escola Municipal Frei Tadeu, Imperatriz-MA. 2015. 55 f. Trabalho de Graduação (Licenciatura Plena em Geografia) – Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, Imperatriz – MA, 2015.

FITZ, Paulo Roberto. Geoprocessamento sem complicação. 3. ed. ampl. e atual. São Paulo: Oficina de Textos, 2008.

FLORENZANO, Tereza Gallotti. Iniciação em sensoriamento remoto. São Paulo: Oficina de textos, 2011.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KAERCHER, Nestor André. Ler e escrever a Geografia para dizer a sua palavra e construir o seu espaço. In: SCHÄFFER, Neiva Otero [et al.]. Ensinar e Aprender Geografia. Porto Alegre: AGB – Seção Porto Alegre, 1998.

KRAMER, Gisieli [et al.]. O uso do sensoriamento remoto como recurso didático para o ensino da Geografia no sexto ano do Ensino Fundamental. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE

SENSORIAMENTO REMOTO (SBSR), 14, 2009, Natal - RN. Anais... Natal, 2009. p. 2429-2435.

MÓTA, Patrícia Nascimento. O estudo do lugar a partir do uso de imagens de satélites com alunos de 4ª série do ensino fundamental. 2007. 138f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.

PANIZZA, Andrea de Castro; FONSECA, Fernanda Padovesi. Técnicas de interpretação visual de imagens. GEOUSP - Espaço e Tempo, São Paulo, n. 30, p. 30-43, 2011.

PEREIRA, Thaís. O sensoriamento remoto como recurso didático no ensino fundamental, Uberlândia – MG. 2007. 123f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Uberlândia – UFU, Uberlândia, 2007.

PONTUSCHKA, Nídia Nacib. Novos Caminhos da Geografia. São Paulo: Contexto, 2001.