Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Efeitos do Protocolo de Reabilitação Fisioterapêutica na Melhora da Qualidade de Vida e Capacidade Funcional de Pacientes em Hemodiálise

DOI: http://dx.doi.org/10.18606/2318-1419/amazonia.sci.health.v4n2p9-15

http://ojs.unirg.edu.br/index.php/2/ 

downloadpdf

André C. Almeida1, Valdiney C. Silva2, Adriana A. B. Rezende3, Elizângela S. R. Rodrigues4, Janne M. Silveira5 & Eduardo F. Miranda6

 

Resumo: Introdução: As alterações físicas, psíquicas e funcionais provocadas pela doença renal crônica (DRC) e a terapêutica de hemodiálise, constitui-se intervenção altamente restritiva para a capacidade física funcional desta população, que passa a ter essa intervenção como parte da rotina. Objetivo: Avaliar os efeitos do protocolo de reabilitação fisioterapêutica na capacidade funcional e na qualidade de vida (QV) dos pacientes em hemodiálise. Materiais e Métodos: Estudo transversal de caráter quali-quantitativo realizado através de análise dos dados de 20 pacientes de ambos os sexos, em tratamento hemodiálico, três vezes por semana, no qual foi aplicado um protocolo de reabilitação com exercícios isotônicos para membros superiores (MMSS) e membros inferiores (MMII) com duração 12 sessões de 30 minutos. Antes e após iniciar o protocolo os pacientes foram submetidos à avaliação da capacidade funcional por meio do teste de caminhada de seis minutos (TC6M) e para avaliar a qualidade de vida, ao questionário SF-36. Os valores alcançados antes do treinamento serviram para comparar com os dados após finalizar as 12 sessões. Resultados: Após a intervenção do protocolo proposto, observou um aumento significativo da força muscular no teste MRC (Medical Research Counicil) de 32,4±7,5 para 49,5±8,4, (p < 0,0001), na distância percorrida no teste TC6M de 175,6±55,1 para 349,0±153,8 (p < 0,0001), e na análise das variáveis relacionadas ao questionário de qualidade de vida SF-36. Evidenciam a contribuição da fisioterapia em todas as dimensões analisadas pelo questionário. Conclusão: O protocolo de treinamento fisioterapêutico realizado durante as sessões de hemodiálise contribuiu para melhora da capacidade funcional e da qualidade de vida dos pacientes portadores de doença renal crônica.

Palavras-chave: Fisioterapia. Unidades hospitalares de hemodiálise. Qualidade de vida.

 

Abstract: Introduction: The physical, psychological and functional changes caused by chronic kidney disease (CKD) and hemodialysis therapy, is to be highly restrictive intervention for functional exercise capacity in this population, which is replaced by this intervention as part of routine. Objective: To evaluate the effects of physical therapy rehabilitation protocol in functional capacity and quality of life (QOL) of patients on hemodialysis. Material and Methods: Cross-sectional study qualitative and quantitative character performed by 20 patients data analysis of both sexes in hemodiálico treatment three times a week, which was applied a rehabilitation protocol with isotonic exercises for upper limbs (MMSS) and lower limbs (LL) lasting 12 sessions of 30 minutes. Before and after starting the protocol patients underwent assessment of functional capacity through the six-minute walk test (6MWT) and to assess the quality of life, SF-36 questionnaire. The values achieved before the training served to compare with the data after finishing the 12 sessions. Results: After the intervention of the proposed protocol, observed a significant increase in muscle strength test MRC (Medical Research Counicil) of 32.4 ± 7.5 to 49.5 ± 8.4 (p <0.0001) in distance covered in the 6MWT test of 175.6 ± 55.1 to 349.0 ± 153.8 (p <0.0001), and analysis of variables related to quality of life questionnaire SF-36. Highlight the contribution of physiotherapy in all dimensions examined by the questionnaire. Conclusion: Physical therapy training protocol performed during hemodialysis sessions contributed to improvement in functional capacity and quality of life of patients with chronic kidney disease.

Key words: Physical therapy specialty. Hemodialysis units hospital. Quality of life.

 

1 Graduado do Curso de Graduação em Fisioterapia do Centro Universitário UnirG/TO. E-mail: carvalhofisio_psq@hotmail.com
2 Graduado do Curso de Graduação em Fisioterapia do Centro Universitário UnirG/TO. E-mail: valdiney_10@hotmail.com
3 Fisioterapeuta. Mestre em Ciência da Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco/RJ, Docente Adjunta do Centro Universitário UnirG/TO. E mail: drikas.arruda@gmail.com
4 Mestre em Fisioterapia Cardiorrespiratória pelo UNITRI-MG. Profª. Adjunto III do Centro Universitário UNIRG. Gurupi (TO), Brasil. E-mail: elizangelaunirg@yahoo.com.br
5 Fisioterapeuta. Mestre em Fisioterapia Cardiovascular e Respiratória pelo Centro Universitário do Triângulo. Profª. Adjunta II dos Cursos de Fisioterapia e Medicina do Centro Universitário UnirG, Gurupi (TO). E-mail: jannefisio@yahoo.com.br
6 Educador Físico. Mestre em Educação Física pela Universidade Castelo Branco (RJ). Professor Adjunto I do Curso de Educação Física do Centro Universitário UnirG. Programa de Pós-graduação Stricto Sensu pela Enfermagem e Biociências (PPgEnfBio) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). E mail: eduardounirg@gmail.com

 

Literatura Citada

Rocha CBJ, Araújo S. Avaliação das pressões respiratórias máximas em pacientes renais crônicos nos momentos pré e pós-hemodiálise. J Bras Nefrol. 2010;32(1):107-13.

Junior JER. Doença Renal Crônica: Definição, epidemiologia e classificação. J Bras Nefrol. 2004;26(1):1-3.

Sesso RCC, Lopes AA, Thomé FS, Lugon JR, Watanabe Y, Santos DR. Diálise crônica no Brasil. Relatório do Censo Brasileiro de Diálise, 2011. J Bras Nefrol. 2012;3 (3):272-7.

Silveira CB, Pantoja IKOR, Azevedo RN, Nunes MBG, Silva ARM, Turiel MGP, SA NB. Quality of life of hemodialysis patients in a Brazilian Public Hospital in Belém – Pará. J Bras Nefrol.2010;32(1):37-42.

Campos CJG, Turato ER. Tratamento hemodialítico sob a ótica do doente renal: estudo clínico qualitativo. Rev Bras Enferm. 2010 set/out; 63(5):799-805.

Jatobá JPC, Amaro WF, Andrade APA, Cardoso FPF, Monteiros AMH, Oliveira MAM. Avaliação da função pulmonar, força muscular respiratória e teste de caminhada de seis minutos em pacientes portadores de doença renal crônica em hemodiálise. J Bras Nefrol. 2008;30(4):280-7.

Rocha ER, Magalhães SM, Lima VP. Repercussion of physiotherapy intradialytic protocol for respiratory muscle function, grip strength and quality of life of patients with chronic renal diseases. J Bras Nefrol. 2010;32(4):355-66.

Cordeiro JABL, Brasil VV, Silva AMTC, Oliveira LMAC, Zatta LT, Silva ACCM. Qualidade de vida e tratamento hemodialítico: avaliação do portador de insuficiência renal crônica. Rev Eletr Enf [Internet]. 2009 [acesso em 2013 mar 20]; 11(4):785-93. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n4/v11n4a03.htm

Soares A, Zehetmeyer M, Rabuske M. Atuação da Fisioterapia durante a Hemodiálise visando a Qualidade de Vida do Paciente Renal Crônico. Rev. de Saúde da UCPEL. 2007;1(1):7-12.

Soares KTA, Viesser MV, Rzniski TAB, Brum EP. Eficácia de um protocolo de exercícios físicos em pacientes com insuficiência renal crônica, durante o tratamento de hemodiálise, avaliada pelo SF-36. Fisioter Mov. 2011jan/mar; 24(1):133-40.

Coutinho NPS, Vasconcelos GM, Lopes MLH, Wadie WCA, Tavares MCH. Qualidade de vida de pacientes renais crônicos em hemodiálise. Rev Pesq Saúde. 2010jan-abr;1 (1):13-7.

Junglos AF, Munhoz CJM. O paciente renal crônico e a percepção sobre sua qualidade de vida, saúde e trabalho. Revista Florence. 2011 [acesso em 2013 março 22]; Disponível em: https://www.yumpu.com/pt/document/view/12513668/o-paciente-renal-cronico-ea-percepcao-sobre-sua-florence-em-revista/5

VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol. 2010;95(1 supl.1): 1-51.

Lohman TG, Roche AF, Martoreli R. Anthropometric standardization reference manual. Champaign: Human Kinetics Books;1988.

Rodrigues ID, Barbosa LS, Manetta JÁ, Silvestre RT, Yamauchi LY. Fraqueza Muscular Adquirida na Unidade de Terapia Intensiva: um Estudo de Corte. Rev Bras de Ciências da Saúde. 2010;8(24):8-15.

Ciconelli, RM. Tradução para o português e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida "Medical outcomes study 36-item short-form helth survey (SF-36)" [tese de doutorado]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 1997.

ATS. Ats Statement: Guidelines for the Six-Minute Walk Test. Am J Respir Crit Care Med.2002;166:111-7.

Gardenghi G, Dias FD. Reabilitação Cardiovascular em Pacientes Cardiopatas. Integração. 2007out-dez;51(5):387-92.

Silva SF, Pereira AA, Silva WAH, Simões R, Neto JRB. Fisioterapia durante a hemodiálise de pacientes com doença renal crônica. J Bras Nefrol. 2013; 35 (3):170-6.

Schneider J, Wendland J, Fassbinder TRC, Oliveira OB, Winkelmann ER. Resistência muscular localizada em portadores de insuficiência renal crônica que não realizam hemodiálise. Revista Contexto & Saúde. 2011jan./jun;10 (20):1341-4.

Sesso RCC, Lopes AA, Thomé FS, Lugon JR, Watanabe Y, Santos DR. Diálise crônica no Brasil. Relatório do Censo Brasileiro de Diálise, 2011. J Bras Nefrol.2012;34(3):272-7.

Freire APCF, Rios CS, Moura RS, Burneiko RCVM, Padulla SAT, Lopes FS. Aplicação de exercício isotônico durante a hemodiálise melhora a eficiência dialítica. Fisioter Mov. 2013 jan/mar; 26(1):167-74.

Nascimento LCA, Coutinho EB, Silva KNG. Efetividade do exercício físico na insuficiência renal crônica. Fisioter Mov. 2012 jan/mar; 25(1):231-9.

Böhm J, Monteiro MB, Thomé FS. Efeitos do exercício aeróbio durante a hemodiálise em pacientes com doença renal crônica: uma revisão da literatura. J Bras Nefrol.2012;34(2):189-94.

Reboredo MM, Henrique DMN, Chaoubah A, Paula RB. Treinamento aeróbico melhora a capacidade funcional de pacientes em hemodiálise crônica. Arq Bras Cardiol. 2010;94(6):823-8.

Corrêa LB, Oliveira RN, Cantareli F, Cunha LS. Efeito do treinamento muscular periférico na capacidade funcional e qualidade de vida nos pacientes em hemodiálise. J Bras Nefrol.2009;31(1):18-24.

Chaves ST, Fernandes TF, Carvalho MP, Rabuske M. Fisioterapia transdiálise em doentes renais crônicos. Arq Ciênc Saúde UNIPAR. 2011;15(1):71-7.

Coelho DM, Ribeiro JM, Soares DD. Exercícios Físicos Durante a Hemodiálise: Uma Revisão Sistemática. J Bras Nefrol.2008; 30(2):88-98.

Corrêa LB, Oliveira RN, Cantareli F, Cunha LS. Efeito do treinamento muscular periférico na capacidade funcional e qualidade de vida nos pacientes em hemodiálise. J Bras Nefrol. 2009; 31(1):18-24.

Najas CS, Pissulin FDM, Pacagnelli FL, Betonico GN, Almeida IC, Neder JA. Segurança e Eficácia do Treinamento Físico na Insuficiência Renal Crônica. Rev Bras Med Esporte. 2009 Set/Out; 15(5):384-8.

Padulla SAT, Matta MV, Melatto T, Miranda RCV, Camargo MR. A Fisioterapia pode Influenciar na Qualidade de Vida de indivíduos em Hemodiálise. Cienc Cuid Saude.2011 Jul/Set;10(3): 564-70.

Ramos JS, Santos BM, Santos CA, Eumatsu ESC, Nagai JM, Bassini SRF. Análise Comparativa dos Efeitos de um Programa de Exercícios para o Quadríceps em Pacientes durante a Hemodiálise. Revista Científica Indexada Linkania Júnior. 2012 fev/mar;2(2):1-21.

Lima FF, Miranda RCV, Silva RCR, Monteiros H, Yen LS, Fahur BS, Padulla FSA. Avaliação funcional pré e pós-programa de exercício físico de pacientes em hemodiálise. Medicina (Ribeirão Preto) [acesso em 2013 nov. 29]; 2013; 46(1):24-35. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br

Hoefel HHK, Lauter L, Fortes C. Riscos ocupacionais no processamento de sistemas de hemodiálise. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. abr/jun 2012 [acesso em 2013 mar 22]; 14(2):286-95. Disponível em: Available from: http://www.fen.ufg.br/revista/v14/n2/v14n2a08.htm