Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Intervenções Fisioterapêuticas para Mobilizar Precocemente os Pacientes Internados em Unidades de Terapia Intensivas: Estudo de Revisão

DOI: http://dx.doi.org/10.18606/2318-1419/amazonia.sci.health.v4n2p41-46

http://ojs.unirg.edu.br/index.php/2/ 

downloadpdf

Alessandra S. Machado1, Rodrigo D. Nunes2 & Adriana A. B. Rezende3

 

Resumo: Introdução: A mobilização precoce inclui atividades terapêuticas progressivas que objetiva influenciar no tempo de internação, reduzir o tempo de desmame da ventilação mecânica, melhorar a capacidade funcional do paciente, dentre outros. Objetivo: Discorrer as diferentes intervenções fisioterapêuticas que vão possibilitar a mobilização precoce dos pacientes internados nas UTI’s. Materiais e Métodos: A análise da literatura foi realizada por meio das bases de dados Medline, Lilacs e Scielo, no período de 2009 a 2014, na língua portuguesa, usando os seguintes descritores: imobilização, fisioterapia, unidades de terapia intensiva. Resultados: Foram encontrados vinte e seis artigos e consultados seus resumos para avaliar quais realizaram intervenções de mobilização precoce em pacientes internados em UTI, sendo, então, selecionados seis artigos para serem apresentados em relação às intervenções fisioterapêuticas utilizadas na mobilização precoce de pacientes na UTI. Considerações Finais: As intervenções fisioterapêuticas relatadas nos estudos anteriores, para mobilizar precocemente os pacientes internados são: prancha ortostática; alongamento passivo nos quatro membros (4MM); mobilização passiva; posicionamento articular; exercício ativo-assistido; transferência de deitado para sentado (sedestação com MMII pendentes e exercícios de controle de tronco); exercício ativo resistido; cicloergometria para MMII; transferência de sentado para cadeira; postura ortostática; exercício contra resistido; marcha estacionária; deambulação; exercícios de coordenação com a bola, treino de equilíbrio.

Palavras-chave: Imobilização. Fisioterapia. Unidades de terapia intensiva.

 

Abstract: Introduction: Early mobilization includes progressive therapeutic activities that aims to influence the length of stay, reduce weaning time mechanical ventilation, improve the functional capacity of the patient, among others. Objective: To discuss the different physical therapy interventions that will enable early mobilization of hospitalized patients in ICUs. Material and Methods: The literature was performed using the Medline, Lilacs and Scielo, from 2009 to 2014, in Portuguese, using the following key words: immobilization, physical therapy, intensive care units. Results: We found twenty-six articles and consulted their resumes to evaluate which made early mobilization interventions in ICU patients, then selected six articles to appear in relation to physical therapy interventions used in the early mobilization of patients in ICU. Final Thoughts: Physical therapy interventions reported in The previous studies to mobilize early inpatients are: orthostatic board; passive stretching in four (4MM); passive mobilization; joint position; active-assisted exercise; transfer from lying to sitting (sitting position with pending lower limbs and trunk control exercises); resisted active exercise; cycle ergometer for lower limbs; transfer from sitting to chair; orthostatic posture; exercise resistive; stationary gear; ambulation; coordination exercises with the ball, balance training.

Key words: Immobilization. Physical therapy specialty. Intensive care units.

 

1 Fisioterapeuta. Pós-graduanda em Terapia Intensiva pelo Centro Universitário UnirG. Gurupi-TO. Email: alessandrasm_fisio@hotmail.com
2 Fisioterapeuta. Mestre em Ciências da Saúde pela Univesidade Federal de Goiás – Goiânia (GO). Professor Adjunto I do Centro Universitário UnirG. Gurupi-TO. Email: rodrigodisconzi@yahoo.com.br
3 Fisioterapeuta. Mestre em Ciência da Motricidade Humana UCB/RJ, Profª. Adjunto I do Centro Universitário UnirG. Gurupi-TO. Email: drikas.arruda@gmail.com

 

Literatura Citada

Brower RG. Consequences of bed rest. Crit Care Med. 2009;37(10):422-8.

Korupolu R, Gifford JM, Needham D. Early Mobilization of Critically Ill Patients: Reducing neuromuscular complications after intensive care. Contemporary Critical Care. 2009;6(9):96-105.

Hodgin KE, Nordon-Craft A, McFann KK, Mealer ML, Moss M. Physical therapy utilization in intensive care units: results from a national survey. Crit Care Med. 2009; 37(2): 561-6.

França EET, Ferrari F, Fernandes P, Cavalcanti R, Duarte A, Martinez BP et al. Fisioterapia em pacientes críticos adultos: recomendações do Departamento de Fisioterapia da Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Rev Bras Ter Intensiva. 2012; 24(1):6-22.

Rivoredo MGAC, Meija D. A cinesioterapia motora como prevenção da Síndrome da Imobilidade Prolongada em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva. 2013 [acesso em 2015 jan 24]; Disponível em: http://www.portalbiocursos.com.br/artigos/fisio_intensiva/03.pdf.

Malkoç M, Karadibak D, Yildirim Y. The effect of physiotherapy on ventilatory dependency and the length of stay in an intensive care unit. Int J Rehabil Res. 2009; 32(1):85-8.

França EET, Ferrari FR, Fernandes P, Cavalcanti R, Duarte A, Aquim EE et al. Força tarefa sobre a fisioterapia em pacientes críticos adultos: Diretrizes da Associação Brasileira de Fisioterapia Respiratória e Terapia Intensiva (ASSOBRAFIR) e Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB). [Internet]. 2009 [acesso em 2015 jan 28]. Disponivel em: http://www.amib.org.br.

Bailey PP, Miller RR, Clemmer TP. Culture of early mobility in mechanically ventilated patients. Crit Care Med. 2009;37(10):429-35.

Dotson B. Daily interruption of sedation in patients treated with mechanical ventilation. Am J Health Syst Pharm. 2010;67(12):1002-6.

Needham DM, Truong AD, Fan E. Technology to enhance physical rehabilitation of critically ill patients. Crit Care Med. 2009;37(10):436-41.

Borges VM, Oliveira LRC, Peixoto E, Carvalho NAA. Fisioterapia motora em pacientes adultos em terapia intensiva. Rev Bras Ter Intensiva. 2009;21(4):446-52.

Mota CM, Silva VG. A segurança da mobilização precoce em pacientes críticos. Interfaces Científicas - Saúde e Ambiente. 2012;1(1):83-91.

Soares TR, Avena KM, Olivieri FM, Feijó LF, Mendes KMB, Filho SAS et al. Retirada do leito após a descontinuação da ventilação mecânica: há repercussão na mortalidade e no tempo de permanência na unidade de terapia intensiva? Rev Bras Ter Intensiva. 2010; 22(1):27-32.

Feliciano VA, Albuquerque CG, Andrade FMD, Dantas CM, Lopez A, Ramos FF et al. A influência da mobilização precoce no tempo de internamento na Unidade de Terapia Intensiva. ASSOBRAFIR Ciência. 2012;3(2):31-42.

Dantas CM, Silva PFS, Siqueira FHT, Pinto RMF, Matias S, Maciel C, et al. Influência da mobilização precoce na força muscular periférica e respiratória em pacientes críticos. Rev Bras Ter Intensiva. 2012;24(2):173-8.

Almeida KS, Novo AFMP, Carneiro SR, Araújo LNQ. Análise das Variáveis Hemodinâmicas em Idosos Revascularizados após Mobilização Precoce no Leito. Rev Bras Cardiol. 2014;27(3):165-171.

Sibinelli M, Maioral DC, Falcão ALE, Kosour C, Dragosavac D, Lima NMFV. Efeito imediato do ortostatismo em pacientes internados na unidade de terapia intensiva de adultos. Rev Bras Ter Intensiva. 2012;24(1):64-70.

Glaeser SS, Condessa RL, Güntzel AM, Silva ACT, Prediger DT, Naue WS et al. Mobilização do paciente crítico em ventilação mecânica: relato de caso. Revista HCPA. 2012;32(2) 208-12.