Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Tradição e Modernidade:  Antagonismo e Complementaridade1

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/1983-7631/rt.v6n10p80-96

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/tec 

downloadpdf

Michela P. Rezende2

 

Resumo: As diversas visões de mundo atribuem um lugar distinto à natureza, entendendo de forma também diferente, sua relação com o homem. Um ponto chave para a formação do pensamento do homem moderno é a necessidade que este instaurou de dominar a Natureza. Esta passa de sujeito a objeto onde é vista como paisagem, algo separado e exteriorizado ao homem. Veremos que este pensamento antagônico do homem moderno, de incompatibilidade e competição, é em tudo diferente do pensamento do homem tradicional, de complementaridade, onde tudo está em tudo.

Palavras-chave: tradição, modernidade, natureza, visão de mundo

 

Abstract: Different visions of the world attribute a distinct place to nature, being its relationship with man also understood in a different way. A key point to shaping the thinking of modern man is his introduction of the need to dominate nature. This goes from subject to object where it is seen as landscape, something separated and externalized from man. We will see that this antagonistic thought of the modern man, which is of incompatibility and competition, is completely different from the traditional man’s thinking, which is complementary, where everything is in everything.

Key words: tradition, modernity, nature, visions of the world

 

1 Este artigo foi baseado na dissertação de mestrado: A percepção do espaço quando referenciado à natureza: pelo olhar do terreiro Dedico, 2009. Orientador: Leonardo Barci Castriota. - Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura
2 Arquiteta e urbanista graduada pela Escola de Arquitetura da UFMG (1998), onde também adquiriu o título de mestre com o Mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável (2009). Experiência no desenvolvimento e estudos de detalhes construtivos na área civil e de mobiliários. No campo do patrimônio, atua em projetos sociais vinculados às tradições afro-brasileiras. Atua também no 3º setor como integrante da Oscip A Paz Vale Mais, instituição que promove a cultura da paz.

 

Literatura Citada

BOSI, Alfredo. Cultura com tradição. In: Tradição e Contradição na Cultura Brasileira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar - FUNARTE, 1987.

CASSIRER, Ernst. Ensaio sobre o homem: introdução a uma filosofia da cultura humana. São Paulo: Martins Fontes, 1977.

CASTRIOTA, Leonardo Barci. O Jardim de Goethe: a dominação da natureza externa em as afinidades eletivas. In: Colóquio Internacional As Luzes da Arte, 1997, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte, FAFICH, 1997.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano: a essência das religiões. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ERNST, Bruno. O Espelho Mágico de M. C. Escher. Ed. Taschen, 1991.

FÍGOLI, Leonardo H. G. A paisagem como dimensão simbólica do espaço: o mito e a obra de arte. Sociedade e Cultura, v.10, n.1, p.29-39, jan/jun. 2007.

FOULQUIÉ, Paul. O existencialismo. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1955.

FUÃO, Fernando Freitas. O sentido do espaço. Em que sentido, em que sentido? – 1ª parte. [200-]. Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/arquitextos/arq048/arq048_02.asp> Acesso em: 7 jul. 2008.

GIL FILHO, S. F. Por uma Geografia do Sagrado. In: MENDONÇA, F.; KOZEL, S. (Org.). Elementos de epistemologia da Geografia Contemporânea. Curitiba: UFPR, 2002.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. A invenção de novas geografias. In: Territórios. Programa de Pós-graduação em Geografia. UFF/AGB, Niterói, 2002.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Os (des)caminhos do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 1998.

HARDIN, Garrett. Science, New Series, American Association for the Advancement of Science Stable, v. 162, n. 3859, p. 1243-1248, dec. 1968. Disponível em <http://www.jstor.org/stable/1724745> Acesso em: 13. mai. 13.

HARVEY, David. Condição Pós-Moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 1992.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da Inteligência: o futuro do pensamento na era da informática, 1ª Ed. São Paulo: Editora 34, 1994.

PIERUCCI, Antônio F. O desencantamento do mundo: Todos os passos do conceito em Max Weber. São Paulo: Editora 34, 2003.

RIEGL, Alois. El culto moderno a los monumentos: caracteres y origen. Barcelona: Visor, 2000.

SPROVIERO, Mario Bruno. Entropia: "Progresso" para a Destruição! Entrevista com o Dr. Mario Bruno Sproviero, professor titular DLO-FFLCHUSP. Entrevista e edição: Jean Lauand, 10-7-01. [200-]. Disponível em: <http://www.hottopos.com/vdletras2/mario.htm> Acesso em 24/05/2007.

SPROVIERO, Mario Bruno. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.

YAÏ, Olabiyi Babalola J. (2003) Odo Layé - Eloge de la vie-fleuve. Perspectives africaines sur le patrimoine culturel. In: 14th ICOMOS General Assembly and International Symposium: ‘Place, memory, meaning: preserving intangible values in monuments and sites’, 27 – 31 oct 2003, Victoria Falls, Zimbabwe. [Conference or Workshop Item]. Dipsonível em <http://openarchive.icomos.org/467/> Acesso em 28/05/13.