Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Influência do Pós-Modernismo na Formação de Alunos do Ensino Médio em Uma Escola Privada do Estado de Minas Gerais

DOI: http://dx.doi.org/10.15599/0104-4834/cogeime.v23n44p125-149

https://www.redemetodista.edu.br/revistas/revistas-cogeime/index.php/COGEIME/index 

downloadpdf

Delander da S. Neiva1, Arsenio F. Novaes Netto2, José Q. Tavares Neto3 & Maria L. H. Pereira4

 

Resumo: Neste ensaio procurou-se levantar a influência do pós-modernismo na formação de alunos do ensino médio, levando-se em conta a abordagem pedagógica da gestão ao priorizar formas de pensar sistemicamente, atuar para garantir a permanência do aluno na sala de aula por intermédio do controle disciplinar, e procurar superar dificuldades de aprendizagem em ambiente globalizado de inovações tecnológicas. É resultado de pesquisa bibliográfica e empírica aliadas à reflexão. Buscou-se analisar o novo perfil dos adolescentes emergentes do pós-modernismo, e se o ensino médio consegue influenciá-los diante do novo cenário social. Traçou-se, então, o caminho para a coleta de dados por meio de questionários aplicados a discentes, docentes e gestores do Colégio Minas Gerais (CMG), nome fictício para preservar o anonimato da instituição. Ademais, tentou-se demonstrar práticas que influenciam o comportamento estudantil dentro e fora do ambiente escolar, na relação familiar e na formação cidadã, os tipos de relacionamentos vivenciados e o manuseio das novas tecnologias que surgem a cada instante. A conclusão a que se chegou é que há indícios de que o aluno do CMG vivencia a pós-modernidade e é por ela moldado em sua formação.

Palavras-chave: educação, pós-modernismo, ensino médio, aprendizagem, formação cidadã, tecnologia da informação

 

Abstract: In this essay we tried to raise the influence of postmodernism in the formation of high school students, taking into account the pedagogical approach of the management to prioritize ways of thinking systemically, act to ensure the permanence of the student in the classroom through the disciplinary control, and get overcome learning difficulties in globalized environment of technological innovations. Is the result of bibliographical research and allied to empirical reflection. Sought to analyze the new profile of the emerging teens of postmodernism, and if the high school can influence them in front of the new social scenario. Traced, so the way to data collection by means of questionnaires applied to students, teachers and school managers Minas Gerais (CMG), fictitious name to preserve the anonymity of the institution. Furthermore, we tried to demonstrate practices that influence student behavior inside and outside the school environment, family relationship and in citizen training, the types of relationships experienced and the handling of new technologies that arise each moment. The conclusion reached is that the student of CMG experience post modernity and is molded by it in its formation.

Key words: education, postmodernism, high school, learning, citizen training, information technology

 

1 Mestre em Administração pela Universidade Metodista de Piracicaba; Diretor Acadêmico e professor da Faculdade Atenas, Paracatu/MG. delander@atenas.edu.br
2 Doutor em Educação e Mestre em Gestão Escolar pela Universidade Metodista de Piracicaba; professor da Faculdade Atenas, Paracatu/MG; pesquisador do Grupo de Pesquisa em Estudos Organizacionais e Gestão de Pessoas – Geogep, do CNPq, certificado pela UNIMEP. arsenio.novaes@gmail.com
3 Pós-doutor em Direito Constitucional pela Universidade de Coimbra. Professor da Faculdade Atenas, Paracatu/MG, professor do Programa de Mestrado em Direito da Universidade de Ribeirão Preto – UNAERP, professor adjunto da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Goiás. josequerinotavares@gmail.com
4 Mestre em Administração pela Universidade Metodista de Piracicaba; assessora Acadêmica, Coordenadora Pedagógica e professora da Faculdade Atenas, Paracatu/MG. marialuiza@atenas.edu.br

 

Literatura Citada

AGUIAR, M.A.F. Psicologia aplicada à administração: uma abordagem multidisciplinar. São Paulo: Saraiva, 2005.

ANDERSON, P. As Origens da Pós-modernidade. Tradução de Artur Morão. Lisboa: edição 70, 1998.

ANDRADE, M.M. Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação: noções práticas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

BAUMAN, Z. O mal-estar na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

BAUMAN, Z. Modernidade e ambivalência. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BAUMAN, Z. Amor líquido. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BAUMAN, Z. A vida líquida-moderna e seus medos. In: Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

BECKER, F. Um divisor de águas. In: Revista Viver mente e cérebro, p. 24-34. São Paulo, 2005.

BRUNI, A.L. SPSS Aplicado à Pesquisa Acadêmica. São Paulo: Atlas, 2009.

BUSCATO, M. Dilemas da Juventude. In: ÉPOCA, ed.815, 13 jan.2014, p.76-83.

CASTRO, C. de M. Bagunça tóxica. In: VEJA, edição 2355, ano 47, n.20, 8 jan.2014, p.20.

CENTRO DE ESTUDOS SOBRE AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL. CETIC.br. Disponível em: <http://www.cetic.br>. Acesso em: 20 dez. 2011.

COLÉGIO DE MINAS GERAIS, 2010. Regimento Interno e Manual da Família. Disponível em: <http://www.atenas.edu.br/colegio/site/index.html>. Acesso em: 19 set. 2011.

COLELLO, S.M.G. Educação e Intervenção Escolar. Universidade de São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.hottopos.com/rih4/silvia.htm>. Acesso em: 15 dez. 2013.

CUMINALE, N. Adolescentes começam a beber cada vez mais cedo. Revista Veja, 2 jul. 2010. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/noticia/saude/adolescentes-comecam-a-beber-cada-vez-mais-cedo>. Acesso em: 21 dez.2010.

DUBET, F. (1998). A formação dos indivíduos: a desinstitucionalização. In: Revista Contemporaneidade e Educação, ano 3, v.3, p.27-33.

EAGLETON, T. A ideologia da estética. Tradução de Mauro Sá Rego Costa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

FOUCAULT, M. Sociedade Disciplinar e Biopolítica. Rio de Janeiro: Zahar, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 34 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

FREITAS, L.C. Uma pós-modernidade de libertação. São Paulo: Autores Associados, 2005.

FRIDMAN, L.C. Laços frágeis, a oferta da contemporaneidade. In: GROSSI, M.S.; DWYER, T. Sociologia e realidade: pesquisa social no século XXI. Brasília: UnB, 2006.

FRIGOTTO, G. Educação, crise do trabalho assalariado e do desenvolvimento: teorias em conflito. Educação e crise do trabalho. Perspectivas de final de século. Petrópolis: Vozes, 1998.

GALLO, S. Transversalidade e Educação: Pensando uma Educação Não Disciplinar. 2006. Disponível em: <http://curso.politeia.org.br/tiki.ndex.php?page=Transversalidade>. Acesso em: 19 jun. 2011.

GIDDENS, A. As Consequências da Modernidade. Tradução de Fernando Luís Machado e Maria Manuela Rocha. Oeiras: Celta, 1992.

GIDDENS, A. Modernidade e identidade. Tradução de Plinio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

GIDDENS, A. Sociologia. Tradução de Sandra Regina Netz. 4. ed. São Paulo: Artmed, 2005.

GIL, A.C. Pesquisa social. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1994.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 2002.

INEP - INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS, 2002. Resultados SAEB/PROVA BRASIL 2011. Disponível em: <http://inep.gov.br/educacao_basica/prova_brasil_saeb/resultados/2012/Saeb_2011_primeirosresultados_site_Inep.pdf>. Acesso em: 19 set. 2013.

MACEDO, D.; BARTOLOMÉ, L. A globalização como uma forma de colonialismo: um desafio para os educadores e as educadoras. In: Escola Cidadã no Contexto da Globalização. p.11-32. Luiz Heron da Silva (org.). Petrópolis: Vozes, 1998.

MADERS, A.M.; DUARTE, I.C.B. (2009). A complexidade de Edgar Morin e sua contribuição para a compreensão dos “novos” direitos. Disponível em: <http://srvapp2s.urisan.tche.br/seer/index.php/direitosculturais/article/viewFile/26/20>. Acesso em: 16 out. 2011.

MAIA DA CRUZ, M.V.; MATHEUS E.R.; MATHEUS, S. B.; ROBSON, P.A. Universidade de São Paulo. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. Departamento de Ciências de Computação. SCC 0207 – Computadores e Sociedade I. Informática e Educação – pontos negativos. Disponível em: <http://wiki.icmc.usp.br/images/4/43/Inform%C3%A1tica_e_Educa%C3%A7%C3%A3o_%E2%80%93_Pontos_Negativos.pdf.> Acesso em: 19 jan. 2014.

MALHOTRA, N.K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MERLEAU-PONTY, M. A Estrutura do Comportamento. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MINAYO, M.C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MORIN, E. Ciência com consciência. Tradução de Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. 2. ed. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil, 1998.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. 7. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaia. São Paulo: Cortez, 2000.

MORIN, E.; LE MOIGNE, J. L. A inteligência da complexidade. Tradução de Nurimar Maria Falci. São Paulo: Peirópolis, 2000.

NASCIMENTO, A.R. Convivência em sala de aula. Proposta de textos e atividades para professores. PDE da Secretaria de Estado da Educação do Paraná, em 2007. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/128-2.pdf>. Acesso em: 19 set. 2012.

RAMOS, M.B.J.; FARIA, E.T. Aprender e Ensinar: Diferentes Olhares e Práticas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011.

SAMPIERI, R.H.; COLLADO, C.F. e LUCIO, P.B. Metodologia de Pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw Hill, 2006.

SAYÃO, R. Adolescência e autonomia. Maio/2009. In: Folha de S.Paulo – equilíbrio. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/eq1405200925.htm. Acesso em: 19 out. 2011.