Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Magistério Público no Paraná: Feminização e Representações (1857-1930)

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v22n54p7-18

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Iêda Viana1

 

Resumo: O artigo trata da participação feminina no magistério público paranaense – curso primário (1857-1930), justificando-se a pesquisa documental pela ausência de um debate tanto local como comparativamente com outros estados. O objetivo é problematizar dados e fontes sobre o deslocamento de gênero ocorrido a partir da passagem do século XIX para o XX, através da crítica do método histórico. Como fundamento teórico recorreu-se aos conceitos de “gênero” de Scott (2010) de “governamentabilidade” (1979) e “disciplina” de Foucault (1977), de “coação civilizatória” de Elias (1990; 1994) e de “representação social” de Chartier (1986). Apoiou-se nos Relatórios sobre a Instrução Pública e fontes do acervo da Escola Normal de Curitiba, criada em 1876, atual Instituto de Educação do Paraná Professor Erasmo Pilotto. Essa abordagem permitiu realizar reflexões pertinentes aos processos de inserção da mulher no mercado de trabalho, herança cultural, papel do poder político na organização do sistema de educação e de construção das representações sociais. Os dados evidenciam que no Paraná, como em outras regiões do país, o magistério público evoluiu articulado com a expansão da demanda escolar, tendo à frente a estrutura de poder público, que interfere na organização do sistema de ensino e incentiva a constituição da carreira, contribuindo para a construção de representações sobre a escola e o magistério.

Palavras-chave: História da Educação, magistério público, feminização, representação social.

 

Abstract: The article talks about the participation of women in Paraná public teaching to the primary school (1857-1930). It justifies the research by the absence of local debate and comparative debate between other states. The aim is to question data and sources about the movimentation of gender occurred from the late nineteenth to the twentieth century. As a theoretical reference it was applied the concepts of “gender” of Scott (2010), of “governmentality” and “discipline” of Foucault (1979; 1977), the “civilizing coercion” of Elias (1990; 1994) and “social representation” of Chartier (1986). It leaned in Reports about Public Instruction and sources from the Normal School of Curitiba, established in 1876, current Institute of Theacher Education of Paraná Erasmo Pilotto. This approach has helped achieve relevant reflections to the processes of women entering the labor market, cultural heritage, the role of political power in the organization of education system and construction of social representations. The data show that in Paraná, as some other regions of the country, the public teaching improved linked to the increasing of the school demand, headying the public structure power, which interferes in the organization of the educational system and encourages a career, contributing to constructions of school representations and teaching.

Key words: History of Education, public teaching, women, social representation.

 

1 Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) ieda@bighost.com.br

 

Literatura Citada

ALMEIDA, J.R.P. Mulher e educação: a paixão pelo possível. São Paulo: Unesp, 1998.

ARAÚJO, S.A.C. Professora Júlia Wanderley, uma mulher-mito (1874-1918). 2010. 183 f. (Mestrado em Educação). Setor de Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

CHARTIER, R. A história cultural. Entre práticas e representações. Lisboa: DIFEL, 1986.

CHAMON, M. “Trajetória de feminização do magistério e a (con)formação das identidades profissionais”. Anais VI Seminário da Rede Strado. Regulação Educacional e Trabalho Docente. Disponível em: http://www.fae.ufmg.br/estrado/cd_viseminario/trabalhos/eixo_tematico_trajetoria_e_feminizacão.pdf. Acesso em 05/11/2009, p.1-16.

ELIAS, N. O processo civilizador. V. 1: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1990.

ELIAS, N. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis. Ed. Vozes, 1977.

FREIRE, A. et al. História em Curso. São Paulo: Ed. do Brasil, 2004.

GONDRA, J. Medicina, higiene e educação escolar. In: LOPES, E.M.T. etal. (orgs.) 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. Lacerda , B. e Nasser, D. Home Page Letras. mus. br. Disponível em: http://letras.terra.com.br/nelson-gonçalves/261107/. Acesso em 01/10/2011.

LOURO, G. L. Mulheres em sala de aula. In: PRIORE, Mary Del (org.). História das mulheres no Brasil. 7 ed. São Paulo: Contexto, 2004, p.443-481.

MIGUEL, M. E. B. (org.). Coletânea da documentação educacional paranaense no período de 1854 a 1889. Campinas: Autores Associados, 2000.

OLIVEIRA, M. C. M. “O profissional da educação no Paraná: caminhos e desafios na formação”. Anais VIII Congresso de Educação da PUCPR (educere). Disponível em: http://pucpr.br/eventos/educere/educere2008/anais/pdf/270_554.pdf. Acesso em: 05/05/2010, p. 4781.

PARANÁ, Relatório do Presidente da Província do Paraná, Conselheiro Zacarias de Góes e Vasconcellos, na Abertura da Assembléia Legislativa Provincial, em 15/06/ 1854. Curityba, Typ. Paranaense de C. Martins Lopes.

PARANÁ, Relatório do Inspetor Geral da Instrução Pública, Joaquim Ignacio Silveira da Mota, ao Vice-Presidente, José Antonio Vaz de Carvalhaes, em 7/11/1857.

PARANÁ, Falla dirigida à Assembléia Legislativa Provincial do Paraná, em 15/02/1866, pelo Presidente, André Augusto de Padua Fleury. Curityba, Typ. De Candido Martins Lopes.

PARANÁ, Relatório do Presidente da Província, Polidoro Cezar Bulamarque, à Assembléia Legislativa, em 15/03/1867. Curitiba, Typ. de C. M. Lopes.

PARANÁ, Relatório do Presidente da Província, Manoel Antonio Guimarães, na abertura da 2ª Sessão da 10ª Legislatura da Assembléia Legislativa Provincial do Paraná, em 17/02/1873.Curityba, Typ. da viúva Lopes.

PARANÁ, Relatório do Presidente da Província, Frederico Jose Cardoso de Araujo Abranches, na abertura da 1ª Sessão da 11ª Legislatura da Assembléia Legislativa Provincial do Paraná, em 15/02/1874. Curityba, Typ. da viúva Lopes.

PARANÁ, Relatório do Presidente da Província, Frederico Jose Cardoso de Araujo Abranches, à Assembléia Legislativa Provincial do Paraná, em 1875. Curityba, Typ. da viúva Lopes.

PARANÁ, Relatório apresentado à Assembléia Legislativa do Paraná, em 15/02/1876, pelo Presidente da Província, Adolpho Lamenha Lins. Província do Paraná, Typ. da viúva Lopes.

RABELO, A.; MARTINS, A. O. “A mulher no magistério brasileiro: um histórico sobre a feminização do magistério”. Anais VI Congresso Lusobrasileiro de História da Educação, 2007. Disponível em: http://www.faced.ufu.br/colubhe06/anais/arquivos/556AmandaO.Rabelo.pdf. Acesso em 20/09/09.

SCOTT, J. “Gênero: uma categoria útil de análise histórica”. Disponível em: http://dhnet.org/direitos/textos/generodh/gen_categoria.html. Acesso em 03/03/2010.

SIQUEIRA, E. M. Luzes e Sombras: modernidade e educação pública em Mato Grosso (1870- 1889) Cuiabá: INEP, 2000.

VIDAL, D. G. (org.) Culturas escolares: estudo sobre práticas de leitura e escrita na escola pública primária (Brasil e França, final do século XIX). Campinas, SP: Autores Associados, 2005.