Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Questões de Alteridade e Identidade

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v21n51p43-49

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Renata Pucci1

 

Resumo: Fundamento-me nos estudos de Mikhail M. Bakhtin para discorrer sobre sua concepção de sujeito e da relação de alteridade, passando também por obras de autores mais contemporâneos que discorrem sobre questões de identidade e alteridade a partir da filosofia bakhtiniana. Segundo uma perspectiva bakhtiniana, e atualmente ponziana e geraldiana, é o meio social tenso das relações, portanto o outro, que define e organiza quem sou. Nas relações sociais, por meio da linguagem, somos constantemente afetados pelos outros e, assim, estes tomam parte no processo de nossa formação humana. Para Bakhtin, as relações de alteridade participam dialogicamente de todas as instâncias da constituição do sujeito. A filosofia proposta por esse autor desloca o centro organizador das enunciações/ações individuais do horizonte do eu para o horizonte do outro, desestabilizando a visão de mundo dominante em nossa cultura. As relações alteritárias que nos constituem são diversas, e diversos são os contextos em que se estabelecem. Esses encontros com o outro impedem a instituição de uma identidade concluída e estável do eu, que não pode deixar de ser também diversa e múltipla.

Palavras-chave: Linguagem; alteridade; identidade.

 

Abstract: Based on the work of Mikhail M. Bakhtin, this paper discusses his view of the individual person and the relation of otherness, also approaching the works of more contemporary authors who have discussed issues of identity and otherness according to the Bakhtinian philosophy. In a Bakhtinian perspective, and also in the Ponzian and Geraldinian views, it is the tense social environment, thus the other, that organizes and defines who I am. It is at the level of social relations, through language, that we are constantly affected by others, and so they participate in our human development process. According to Bakhtin, the relation of otherness dialogically affect all instances of the individual’s constitution. The philosophy proposed by this author shifts the organizing center of utterances / actions from the self to the other, destabilizing the dominant worldview of our culture. We are constituted by several relations of otherness and they are established in several contexts. These encounters with others prevent the establishment of a complete and stable identity of self, which is also diverse and multiple.

Key words: Language; otherness; identity.

 

1 Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) renata_pucci@hotmail.com 

 

Literatura Citada

BAKHTIN, Mikhail M. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo: HUCITEC,1990.

BAKHTIN, Mikhail M. Para uma filosofia do ato. Tradução de Carlos Alberto e Cristovão Tezza da edição americana Toward a philosophy of the act. Austin: University of Texas Press, 1993. (tradução destinada exclusivamente para uso didático e acadêmico).

BAKHTIN, Mikhail M. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2006a.

BAKHTIN, Mikhail M. Marxismo e filosofia da linguagem. 12 ed. São Paulo: Hucitec, 2006b.

BAKHTIN, Mikhail; VOLOCHINOV, Valentin N. “A palavra na vida e na poesia. Introdução ao problema da poética sociológica.” In: MIOTELLO, Valdemir (Org.). Palavra própria e palavra outra na sintaxe da enunciação. São Carlos, Pedro & João Editores, 2011.

FARACO, Carlos Alberto. Linguagem e diálogo: as idéias lingüísticas do círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

GERALDI, João Wanderley. Ancoragem. Estudos Bakhtinianos. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

MIOTELLO, Valdemir. “Ideologia”. In: BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2008, p. 167-176.

MIOTELLO, Valdemir. “Poder, metamorfose e linguagem”. In: FREITAS, Maria Tereza de Assunção (Org.). A responsividade bakhtiniana: na educação, na estética e na política. Juiz de Fora: Ed. UFRJ, 2011, p. 640-642.

PONZIO, Augusto. A revolução bakhtiniana. São Paulo: Contexto, 2009.

PONZIO, Augusto. Procurando uma palavra outra. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

PONZIO, Augusto. Dialogando sobre diálogo na perspectiva bakhtiniana. São Carlos: Pedro & João Editores, 2012.

RAMOS, Bruna S., SCHAPPER, Ilka. “(Des)atando os nós da pesquisa na abordagem histórico- -cultural”. In: FREITAS, Maria T. A, RAMOS, Bruna S. (Org.). Fazer pesquisa na abordagem histórico- cultural: metodologias em construção. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2010, p. 25-36.