crosscheckdeposited

Comunidades Virtuais do Orkut: Debate Acerca da Educação Física Escolar

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v20n49p53-62

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Milena A. Origuela1 & Cinthia L. Silva2

 

Resumo: As comunidades virtuais da Internet são um fenômeno da atualidade, constituindo-se em fonte de pesquisa e meio de acesso aos discursos sociais. Este trabalho tem como objetivo analisar os discursos de duas comunidades do website Orkut, “Eu amo Educação Física” e “Eu odeio Educação Física”, com relação ao modo como os internautas compreendem as aulas de educação física escolar e os significados que atribuem ao corpo e às práticas corporais. Como procedimento metodológico, realizou-se duas pesquisas, bibliográfica e de campo, com base em princípios da etnografia, caracterizando uma discussão eminentemente qualitativa. Identificou-se os seguintes resultados: os participantes das comunidades “Eu odeio Educação Física” utilizam o espaço virtual para debates e denúncias das aulas de educação física escolar; e os internautas das comunidades “Eu amo Educação Física” usam esse espaço principalmente para anúncios e propagandas. Os significados atribuídos ao corpo e às práticas corporais pelos participantes de ambas as comunidades se relacionam à prática de esportes e atividades físicas como base para a saúde. Já o conceito de beleza corporal tem como referência a forma do corpo e imagens de atletas e pessoas famosas da mass media.

Palavras-chave: cultura; comunidades virtuais; educação física escolar; corpo; práticas corporais.

 

Abstract: Online communities on the internet are a current phenomenon. They are sources of research and access to social discourses. This paper has the objective of analyzing discourses in two virtual communities: “I love physical education” and “I hate physical education” on Orkut social networking site. The paper analyzes the way internet users understand physical education classes at school and the signifiers that they attribute to the body and corporal practices. The methodological procedure consisted of a bibliografical survey and a field research based on ethnography principles characterizing a mainly qualitative discussion. The results are: the participants of the community “I hate physical education” use the virtual space for debates and complaints about physical education classes at school. We realized that in “I love physical education” communities, users use the space mainly for advertisements. The signifiers attributed to the body and the corporal practices by the participants in both communities are related to sports practice and physical activities with being healthy. On the other hand, the concept of corporal beauty has as reference the body form and images of athletes and famous people in the mass media.

Key words: body; corporal practices; culture; physical education at school; online communities

 

1 Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) djmilenasound@hotmail.com
2 Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) cinthialsilva@uol.com.br

 

Literatura Citada

AMARAL, R. “Antropologia e internet: pesquisa e campo no meio virtual”. Disponível em: <http://www.n-a-u.org/Amaral1-a.html> Acesso em: 17/dez./2009.

DAOLIO, J. “A antropologia social e a Educação Física: possibilidades de encontro”. In: CARVALHO, Y.M.; RUBIO, K. (Org.). Educação Física e Ciências Humanas. São Paulo: Hucitec, 2001.

DAOLIO, J. “Educação Física Escolar: em busca da pluralidade”. Rev. Paul. Educ. Fis. São Paulo, supl.2, p. 40-42, 1996.

DAOLIO, J. Da cultura do corpo. Campinas: Papirus, 1994.

CASTELLS, M. A Galáxia Internet: Reflexões sobre Internet, Negócios e Sociedade. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa, 2004.

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. Editora Paz e Terra. São Paulo, 2000. 3ed.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, RJ: LTC, 1989.

LOPES DA SILVA, C. L. “Mediação de sentidos: aulas compartilhadas no Brasil e em Portugal junto a estudantes de educação física” 2008. Tese (Doutorado em Educação Física), Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas.

PEREIRA, C.S. “Os wannabees e suas tribos: adolescência e distinção na Internet”. Rev. Estud. Fem. [online]. 2007, vol.15, n.2, pp. 357-382. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2007000200005&script=sci_arttext&tlng=d_0100-6916> Acesso em: 19/ set./2009.

SEVERINO, A.J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, A.M.; DAMIANI, I.R. “As práticas corporais na contemporaneidade: pressupostos de um campo de pesquisa e intervenção social”. In: SILVA, A.M.; DAMIANI, I.R. (Org.). Práticas corporais. Volume 1: Gênese de um movimento investigativo em Educação Física. Florianópolis: Nauemblu Ciência & Arte, 2005.

SCHWARTZ, G. M. O conteúdo virtual do lazer: contemporizando Dumazedier. Licere, Belo Horizonte, v.6, n.2, p.23-31, 2003.

TRIVIÑOS, A.N.S. Introdução à pesquisa qualitativa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987. ZUIN, A.A.S. “Adoro odiar meu professor: o Orkut, os alunos e a imagem dos mestres”. Disponível em: <http://www.anped.org.br/reunioes/29ra/trabalhos/trabalho/GT16-1670--Int.pdf> Acesso em: 15/set./2009.