Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Ser Professor de História em Escolas Rurais: Identidades em Construção1

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1043/el.v10n15p193-226

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/index 

downloadpdf

Selva G. Fonseca2 & Astrogildo F. Silva Junior3

 

Resumo: Este artigo visa apresentar resultados de investigação acerca das relações entre a formação, saberes e práticas pedagógicas de professores de História no contexto da educação básica em escolas do meio rural. O objetivo é refletir sobre o processo de construção da identidade docente dos professores no contexto histórico da educação rural por meio do diálogo com as narrativas orais de professores licenciados em História que, no ano de 2005, atuavam nas escolas rurais da rede estadual e municipal de Araguari, MG, Brasil. As fontes orais foram complementadas por fontes iconográficas, fotografias e escritas, tais como leis, diretrizes, currículos e projetos pedagógicos. Concluiu-se que as especificidades, as singularidades da educação no novo contexto rural brasileiro não foram incorporadas ao processo de formação inicial, logo a formação, as identidades, os saberes e as práticas são construídas na experiência educativa das escolas que se configuram como espaços multiculturais, onde atuam sujeitos sociais diverso.

Palavras-chave: educação rural; formação docente-ensino de História

 

Abstract: This paper aims at presenting investigation results concerning the relationships among continuing education, knowledge and pedagogic practices of History teachers in the context of the basic education in rural schools. The objective is to reflect on the process of construction of the teachers’ educational identity in the historical context of the rural education through the dialogue with the oral narratives of teachers who majored in History and, in 2005, worked in the rural schools of the state and municipal schools of Araguari, MG, Brazil. The oral sources were complemented by iconographic sources, pictures and written material, such as laws, guidelines, curricula and pedagogic projects. It was concluded that the specificities, the singularities of the education in the new rural Brazilian context were not incorporated to the process of initial education. Thus, the education, the identities, the knowledge and the practices are built from the educational experience of the schools that are configured as multi ultural spaces, where several social subjects work.

Key words: rural education; teaching education; history teaching

 

1 Este texto faz parte da Dissertação de Mestrado “Saberes e práticas de ensino de História na educação escolar no meio rural”, desenvolvida no Mestrado em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia – PPGE/UFU, articulada ao projeto de pesquisa “Formação docente, saberes e práticas de ensino de História”, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq.
2 Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia.
3 Professor de História do ensino fundamental e médio em escolas rurais do município de Araguari, MG; e-mail: silvajunior_af@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ABRAMO, H. W.; BRANCO, P.P.M. Retratos da juventude brasileira. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2005.

ALARCÃO, Isabel. Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Porto, 1996.

ARAÚJO, Fátima Maria Leitão. Mulheres letradas e missionárias da luz. A formação da professora primária nas escolas normais rurais do Ceará – 1930-1960. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará: PPGE, 2007 (Tese de Doutorado).

ARROYO, Miguel Gonzalez; CALDART, Roseli Salete; MOLINA, Mônica Castagne (Orgs.) Por uma educação do campo. Petrópolis: Vozes, 2004.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BENJAMIN, Walter. O narrador. In: Magia e Técnica, Arte e Política. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, p. 197-221, 1994.

BOM MEIHY, José Carlos Sebe. Manual de história oral. São Paulo: Loyola, 2002.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – Nova LDB (Lei n. 9394/ 96). Rio de Janeiro: Qualitmark, 1997.

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes operacionais para a educação básica nas escolas do campo. Brasília: MEC, SECAD, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação – Grupo Permanente de Trabalho de Educação do Campo. Referência para uma política nacional de Educação do Campo. Caderno de subsídios. Brasília: MEC, 2005.

CASTANHO, Maria Eugênia. Sobre professores marcantes. In: CASTANHO, Sérgio e CASTANHO, Maria Eugênia (orgs.). Temas e Textos em Metodologia do Ensino Superior. Campinas, SP: Papirus, 2001.

CLANDINI, D, J.; CONELLY, F. M. Relatos de experiência e investigación narrativa. In: LARROSA, Jorge, et al. Déjame que te cuente. Barcelona: Laertes, p. 11-59.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CUSTÓDIO, Ada Borges. O tomate de mesa em Araguari – MG: desenvolvimento e contradições. In: SANTOS, R. J. RAMIRES; J. C. L. Campo e cidade no Triângulo Mineiro. Uberlândia. Edufu, p.145-174, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. 28 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não. 16 ed. São Paulo: Olho d’Água, 2006.

FONTANA, Roseli A. Cação. Como nos tornamos professoras? 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

FONSECA, Selva Guimarães. Ser professor no Brasil: história oral de vida. Campinas: Papirus, 1997.

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e Prática de Ensino de História. Campinas SP: Papirus, 2003.

FONSECA, Selva Guimarães. Aprender a contar, a ouvir, a viver: as narrativas como processo de formação. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro (org.). Técnicas de ensino: Novos tempos, novas configurações. Campinas, São Paulo: Papirus, p.137-162, 2006.

GAUTHIER, C. et al. In: Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: UNIJUÍ, 1998.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 10. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

LEITE, Sérgio Celani. Escola rural: urbanização e políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1999.

LIBÂNEO, J. C. Reflexividade e formação de professores: outra oscilação do pensamento pedagógico brasileiro? In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (orgs.). Professor reflexivo no Brasil. São Paulo: Cortez, p. 53-80, 2002.

MCLAREN, Peter. Multiculturalismo Revolucionário. Porto Alegre: Artmed, 2000.

ORTEGA, A.C.; FONSECA, S.G. Política de Educação para o mundo rural brasileiro: entre a universalização e a diferenciação dos conteúdos. Ensino em Revista. Uberlândia. Edufu. v. 12, p. 89-95, 2004.

PAIM, Elison Antonio. Memórias e experiências do fazer-se professor. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, 2005 (Tese de Doutorado).

PÉREZ GÓMES, Angel. O pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, Antonio. Os professores e a sua formação. Lisboa: Don Quixote, p. 93-114, 1992.

PIMENTA, Selma G. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999.

PIMENTA, S G.; GHEDIN, E. (orgs.). Professor reflexivo no Brasil. São Paulo: Cortez, p.81-110, 2002.

SCHON, Donald A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA. A. (org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Don Quixote, p. 77- 91, 1992.

SILVA, Lourdes Helena; COSTA, Vânia Aparecida. Educação Rural. Revista Presença Pedagógica. Belo Horizonte: Dimensão, v. 12, n. 69 mai./ju. 2006.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

THOMPSON, Paul. A voz do passado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

ZEICHNER, K. O pensamento prático do professor – Novos caminhos para o practicum: uma perspectiva para os anos 90. In: NÓVOA. A. (org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Don Quixote, p. 115-138, 1992.

ZEICHNER, K. A formação reflexiva de professores: idéias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.