Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Necessidade de Refletir sobre as Estratégias Pedagógicas para Atender à Aprendizagem da Geração Y

DOI: http://dx.doi.org/10.15599/0104-4834/cogeime.v19n36p27-38

https://www.redemetodista.edu.br/revistas/revistas-cogeime/index.php/COGEIME/index 

downloadpdf

Débora Castanha1 & Maria B. de Castro2

 

Resumo: Atualmente, o grande desafio para as escolas é como trabalhar com jovens cada vez mais envolvidos com novas tecnologias, bombardeados pelos apelos da mídia, fascinados pela internet e manipulados pelo poder da sociedade de consumo. Esses jovens, que, em sua grande maioria, pertencem à Geração Y, cresceram em um mundo relativamente estável, sob grande influência dos mecanismos tecnológicos. Ganharam autoestima e não se sujeitam a atividades que não fazem sentido a longo prazo. Sabem trabalhar em rede e lidam com autoridades como se elas fossem colegas de turma. Possuem muita informação, mas não têm conseguido transformar essas informações em construções sociais que atendam a outros interesses que não exclusivamente os seus. É enorme o descompasso tanto entre alunos e professores como entre o processo educacional implementado pela maioria das escolas e a efetiva aquisição do conhecimento. Cada vez mais o desinteresse e a falta de envolvimento dos jovens pelos estudos são temas de reuniões pedagógicas e deconversas entre professores. É compreensível que os educadores estejam emocionalmente desgastados e desanimados, pois nos últimos tempos vêm empreendendo verdadeiras batalhas para obter a atenção dos alunos nas aulas. Precisamos rever as estratégias de ensino e repensar a atuação do professor. É necessário e urgente estabelecer um elo entre alunos e professores para que a aprendizagem possa de fato acontecer.

Palavras-chave: Geração Y. Estratégias de aprendizagem. Formação docente

 

Abstract: Currently, the major challenge for schools is how to work with young people increasingly involved with new technologies, bombarded by calls from the media, fascinated by the internet and manipulated by the power of consumer society. These young people, who mostly belong to the Y Generation, have grown up in a relatively stable world under the great influence of the technological mechanisms. They have gained self-esteem and do not bow to activities that do not make sense in the long term. They know how to network and deal with authorities as if they were classmates. They have much information, but have not been able to transform this information into social constructions that serve interests other than solely their own. The gap both between students and teachers and also between the educational process implemented by most schools and the effective acquisition of knowledge is enormous. Increasingly, the disinterest and lack of involvement of the youth in the study is the subject of educational meetings and conversations among teachers. It is understandable that educators are emotionally worn out and discouraged, because in recent times they have been undertaking real battles to get students’ attention in class. We need to review teaching strategies and rethink the role of the teacher. It is necessary and urgent to establish a link between students and teachers so that learning can indeed happen.

Key words: Y Generation. Learning strategies. Teacher training

 

1 Mestre em Educação pela Universidade Metodista de São Paulo e diretora do Colégio Metodista de São Bernardo do Campo. E-mail: debora.castanha@metodista.br
2 Especialista em Educação pela Universidade Metodista de São Paulo e coordenadora pedagógica do Colégio Metodista de São Bernardo do Campo. E-mail: maria.castro@metodista.br

 

Literatura Citada

CHRISTENSEN, Clayton M.; HORN, Michael B.; JOHNSON, Curtis W. Inovação na sala de aula: como a inovação de ruptura muda a forma de aprender. Tradução de Raul Rubenich. Porto Alegre: Bookman, 2009.

FAZENDA, Ivani C. A. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 4. ed. Campinas: Papirus, 1994.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 26. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999.

MELLO, G. N. de. Educação escolar brasileira: o que trouxemos do século XX? Porto Alegre: Artmed, 2004.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à Educação do Futuro. 3. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: Unesco, 2001.

NOVOA, Antonio (org.). Vida de professores. Porto: Ed. Porto, 1992.

OLIVEIRA, Sidnei. Geração Y: o nascimento de uma nova geração de líderes. São Paulo: Integrare, 2010.

SACRISTÁN, J. Gimeno. O Currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

ZABALA, Antoni. Enfoque Globalizador e Pensamento Complexo: uma proposta para o currículo escolar. Porto Alegre: Artmed, 2002.