Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Divisão do Trabalho nos Templos das Religiões Afro-Brasileiras em Porto Velho, Rondônia

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0985/mandragora.v17n17p135-145

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MA/index 

downloadpdf

Nilza Menezes1

 

Resumo: Este trabalho faz algumas abordagens sobre a divisão do trabalho nos chamados terreiros ou casas de santo, que são os templos das religiões afro-brasileiras. As pontuações são pautadas em entrevistas e observação dos rituais e atividades em casas religiosas na cidade de Porto Velho, Rondônia. A motivação para a pesquisa se deu em razão da observação do grande número de mulheres adeptas, lideradas por sacerdotes do sexo masculino, numa religião que geralmente estabelece as atividades religiosas em espaços domésticos. Por isso, buscamos analisar como se estabelecem os papéis de gênero com relação à divisão do trabalho nos espaços religiosos.

Palavras-chave: Gênero, Trabalho, Violência e Religiões Afro-brasileiras.

 

Abstract: This paper makes some approaches to the division of labor within the so-called holy houses or yards, which are the templesof Afro-Brazilian religions. Scores are based on interviews and observation of the rituals and activities in religious houses in the city of Porto Velho, Rondônia. The motivation for the research was due observation of the large number of women devotees led by male priests, a religion that usually establishes the religious activities in domestic spaces. Therefore, we analyze how to establish the roles of gender in relation to the division of labor in religious spaces.

Key words: Gender, Labor, Violence and Afro Brazilian Religions.

 

1 Doutoranda e Mestre pelo programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo. Pesquisadora do Grupo de Estudos de Gênero e Religião Mandrágora\Netmal.

 

Literatura Citada

BASTIDE, Roger. O Sagrado selvagem. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

BASTOS, Ivana da Silva. A visão do feminino nas religiões afro-brasileiras. In: Caos Revista Eletrônica de Ciências Sociais. n. 14. João Pessoa, 2009.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, v. I, II, s/d.

BERNARDO, Terezinha. O candomblé e o poder feminino. In: Rever - Revista de Estudos da Religião. n.2, PUCSP, 2005. Disponível em <http://www.pucsp.br/rever>.

BERNARDO, Terezinha. A mulher no candomblé e na umbanda. Dissertação. Mestrado. São Paulo: PUCSP, 1986.

BERNARDO, Terezinha. Negras, mulheres e mães. Rio de Janeiro: Pallas, 2003.

BIRMAN, Patrícia. Fazer estilo criando gêneros. Rio de Janeiro: Relume Dumará e Eduerj, 1995.

BIRMAN, Patrícia. A questão de gênero nos cultos afro-brasileiros. In: Teologia da Síntese. São Paulo, 2010, p. 50-56.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

CALVANI, Carlos Eduardo Brandão. Violência de Cultura, pistas para uma leitura teológica da cultura religiosa de violência. In: VV.AA. Violência e Cultura. São Bernardo do Campo: Metodista, 1996.

CARNEIRO, Edison. Candomblés da Bahia. São Paulo: UMF\Martins Fontes, 2008.

FERRETI, Mundicarmo. Matriarcado em terreiros de Mina no Maranhão: realidade ou ilusão? Disponível em: <www.gpmina.ufma.br>, acesso em mai 2007.

GUARESCHI, Pedrinho e JOVCHELOVITCH, Sandra (org.). Textos em representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1995.

HIRATA, Helena e SEGNINI, Liliana (org.). Organização, trabalho e gênero. São Paulo: Senac, 2007.

LANDES, Ruth. A cidade das mulheres. Rio de Janeiro: EDUFRJ, 2002.

LIMA, Marta Valéria de. História e Estrutura ritual de um terreiro gege-nagô em Porto Velho-RO. Disponível em <http://www.primeiraversao.unir.br/artigo112.html>, acesso em 13 jun. 2007.

MENEZES, Nilza. Arreda homem que aí vem mulher: representações da Pombagira. São Paulo: Fortune, 2009.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. (org.). Pesquisa Social. Petrópolis: Vozes, 2004.

NUNES, Maria José Rosado. Gênero e Experiência Religiosa das Mulheres. In: MUSSKOPF André S. e STROHER Marga J. (org.). Corporeidade, etnia e masculinidade. São Leopoldo: Sinodal, 2005.

OSÓRIO, Conceição. http://www.wlsa.org.mz/. Acesso em 06 jul. 2011.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. In: Educação e Realidade. Porto Alegre: UFRGS, n. 16(2), jul/dez, 1990, p. 5-22.

SEGATO, Laura. Santos e Daimones. Brasília: UNB, 1995.

SOUZA, Maria Cecília Minayo (org.). Pesquisa Social. Petrópolis: Vozes, 1994.

SOUZA, Sandra Duarte de. Entrecruzamento gênero e religião: um desafio para os estudos feministas. Mandrágora, n. 7/8, São Paulo: Umesp, 2001/2002.

SOUZA, Sandra Duarte de. Gênero e religião nos estudos feministas. In: Estudos Feministas. Florianópolis: UFSC, 2004.