Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Alunos Surdos no Ensino Superior: Uma Discussão Necessária

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v19n2p23-32

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Samantha C. Daroque1 & Anna M. L. Padilha2

 

Resumo: O propósito deste texto é contribuir para a inclusão de surdos no ensino superior, ampliando a discussão de questões que ainda são recentes no Brasil. Quanto ao ingresso de alunos surdos nos cursos de graduação, os números são ainda pouco expressivos; seus anos de escolarização anterior não criaram (e ainda não criam) condições adequadas de reconhecimento da língua portuguesa como uma língua de reflexão, apropriação e desenvolvimento da leitura e escrita, restringindo o acesso a conhecimentos que, no Brasil, estão maciçamente registrados nesse idioma. Na pesquisa aqui relatada, buscamos analisar os dizeres de alunos surdos e seus professores universitários a fim de compreender os percalços e desafios enfrentados por eles nessas instituições de ensino e suas expectativas em relação a condições favorecedoras para seus estudos na graduação. As análises basearam- -se em autores que estudam a educação de surdos no Brasil e na teoria histórico-cultural, uma perspectiva que concebe a linguagem como constitutiva dos sujeitos. Apropriamo-nos também dos ensinamentos de Bakhtin, para quem a significação das palavras depende absolutamente dos elementos da situação onde acontece a enunciação.

Palavras-chave: ensino superior, educação de surdos, leitura e escrita

 

Abstract: The purpose of this paper is to contribute to the inclusion of deaf people in higher education, adding to the discussion of issues that are still recent in Brazil. The admission rates of deaf students in undergraduate courses are not very expressive yet; previous schooling years have not created (and still do not create) the adequate conditions for the development and recognition of Portuguese as a language of appropriation and reflection of reading and writing, restricting the access to a knowledge that, in Brazil, is overwhelmingly registered in that language. In this research, we analyzed the statements of deaf students and their professors in order to understand the struggles and challenges they face in these educational institutions as well as their expectations of favorable conditions for their undergraduate studies. Analyses are based on authors who study the education of deaf people in Brazil and on the cultural-historical theory, a perspective that conceives language as part of the subjects constitution. We also draw from Bakhtin’s studies for whom the meaning of words depends entirely on the elements of the situation where the utterance occurs.

Key words: higher education, education of deaf people, reading and writing

 

1 Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP samanthalibras@gmail.com
2 Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP anapadi@terra.com.br

 

Literatura Citada

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1992.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 1.793, de dezembro de 1994. Recomenda a inclusão da disciplina ou inclusão de conteúdos sobre aspectos ético-político-educacionais da normalização e integração da pessoa portadora de necessidades especiais em cursos de graduação, Brasília, DF, 1994.

BRASIL. Decreto nº 5.626. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002,que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, Brasília, 22 de dezembro de 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP. Microdados do Censo do Ensino Superior - 2011.

LODI, A. C. B.; HARRISON, K. M. P.; CAMPOS, S. R. L. de. Letramento e surdez:um olhar sobre as particularidades dentro do contexto educacional. In: LODI, A. C. B. et al. (Orgs.). Letramento e minorias. Porto Alegre: Mediação, 2002. p. 35-46.

LODI, A. C. B. Plurilingüismo e surdez: uma leitura bakhtiniana da história da educação dos surdos. Universidade Metodista de Piracicaba. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 409-424, set.-dez. 2005.

LODI, A. C. B; MOURA, M. C. de. Línguas de sinais: identidades e processos sociais. Grupo de estudos e subjetividade. Educação Temática Digital, Campinas, v. 7, n. 2, p. 1-13, jun. 2006.

PEREIRA, M. C. da. Papel da língua de sinais na aquisição da escrita por estudantes surdos. In: LODI, A.C.B. et al. (Orgs.). Letramento e Minorias. Porto Alegre: Mediação, 2002. p.47-55.

SKLIAR, C. A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, 1998.

TARTUCI, D. Re-significando o “ser professora”: discursos e práticas na educação de surdos.2005. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, São Paulo.

UNESCO. Declaração de Salamanca e linhas de ação sobre necessidades educativas especiais. 7-10 de junho de 1994. Brasília: CORDE, 1994.

VIGOTSKI L.S A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.