Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Algumas Implicações sobre a Educação Especial no Sistema Neoliberal

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v16n2p31-45

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Débora Dainêz1

 

Resumo: O ensaio apresentado a seguir assegura, como suporte teórico-metodológico, a concepção de que a escola insere-se numa sociedade que corresponde a um movimento histórico e dialético, no qual se constituem inúmeras relações de poder. Nesse contexto de discussão, procura-se tecer algumas reflexões sobre a inclusão escolar, orientadas às políticas públicas e práticas educativas especiais no cenário neoliberal. Este trabalho foca-se nos pontos emblemáticos presentes no movimento de globalização da economia capitalista, que muitas vezes se sobressaem e tantas outras se camuflam ao pensar sobre a formação do sujeito do conhecimento, principalmente quando se referem aos indivíduos com deficiência mental em processo de inclusão escolar. Num sistema de intensa marginalização provocada pela competitividade, o desvio é tido como ameaçador, o deficiente não é olhado pelas suas possibilidades, e sim é visto pelos seus limites subjacentes ao déficit orgânico. Mediante essas ponderações, observa-se as pressões, tensões e contradições que perpassam o âmbito da educação especial, quando se considera o ser humano enquanto produtor e produto da história. Nesse sentido, revela-se a pertinência em alargar perspectivas e superar as interpretações mais estreitas acerca da inclusão no contexto neoliberal, ampliando os ângulos de análises das ações sociais concretas.

Palavras-chave: inclusão educacional; educação especial; políticas públicas; práticas educativas; neoliberalismo

 

Abstract: This essay supports the conception that school is inserted in a society that corresponds to a historic and dialectic moviment in which there are many power relations. In this context of discussion, we attempt to express some thoughts about school inclusion directed more specifically to public politicies and to special educational practices in the neoliberal setting. This paper focuses on these iconic spots in the globalization of capitalist economy, which often stand out and many other times camouflage themselves when considering the constitution of the subject’s knowledge, especially when referring to individuals with mental disabilities in inclusion processes in school. In a system of marginalization caused by intense competition, deviation is seen as threatening, the impaired is not seen through their possibilities, but through their limits underlying organic deficit. Upon these considerations, there arethe pressures, tensions and contradictions that pervade the field of special education, when one considers the human being as a producer and a product of history. In this sense, it is necessary to widen perspectives and overcome the narrow interpretations about the inclusion in the neoliberal context, amplifying the angle of analysis of concrete social actions.

Key words: educational inclusion; special education; public politicies; educational pr actices; neoliberalism

 

1 Universidade Estadual de Campinas/SP ddainez@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

BIANCHETTI, L. Um olhar sobre a diferença: as múltiplas maneiras de olhar e ser olhado e suas decorrências. Revista Brasileira de Educação Especial. Marília, v. 8, n. 1, p. 1-8, 2002.

BOURDIEU , P. Contrafogos – táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.

BOURDIEU , P. Contrafogos 2 – Por um movimento social europeu. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BRASI L. Ministério da Educação. Secretaria da educação Especial. Política nacional de educação especial naperspectiva da educação inclusiva. Brasília, 2008. Disponível em: <http://www.portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf>. Acesso em: 12 maio 2009..

DAINÊZ, D. A inclusão escolar de crianças com deficiência mental: focalizando a noção de compensação na abordagem histórico-cultural. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Metodista de Piracicaba, 2008. 148 p.

FERREIRA, M. C. C.; FERREI RA, J. R. Sobre inclusão, políticas públicas e práticas pedagógicas. In: GÓES ,M. C. R. de.; LAPLANE , A. L. F, de (Orgs.). Políticas e Práticas de Educação Inclusiva. Campinas: Autores Associados, 2004, p. 21-48.

FERREIRA, J. R. Educação especial, inclusão e política educacional: notas brasileiras. In: RODRIGUES , D. (Org.). Inclusão e educação – doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006, p. 85-113.

FRIEDMAN , M. Capitalismo e liberdade. São Paulo: Nova Cultural, Coleção Os Economistas, 1982.

FRIGOTTO, G. Educação e a Crise do Capitalismo Real. São Paulo: Cortez, 1995.

GARCIA , R. M. C. Políticas inclusivas na educação: do global ao local. In: BAPTISTA, C. R.; CAIA DO, K. M. C.; JESUS , D. M. de. (Orgs.). Educação especial: diálogo e pluralidade. Porto Alegre: Mediação, 2008, p. 11-23.

GÓES , M. C. R. de. As contribuições da abordagem histórico-cultural para a pesquisa em educação especial. In: BAPTIS TA, C. R.; CAIA DO, K. M. C.; JESUS , D. M. de. (Orgs.). Educação especial: diálogo e pluralidade. Porto Alegre: Mediação, 2008, p. 37-46.

GUHUR, M. L. P. A Inclusão social do deficiente sob a perspectiva da globalização. Comunicações, Piracicaba, ano 9, n. 1, p. 150-168, 2002.

KASSA R, M. C. M. Liberalismo, neoliberalismo e educação especial: algumas implicações. Cad. CEDES, Campinas, v. 19, n. 46, 1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010-32621998000300003&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 22 maio 2009.

LOCKE, J. Segundo Tratado sobre o Governo. São Paulo: Abril Cultural, ColeçãoOs Pensadores, 1973.

LAPLANE , A. L. F. de. Notas para uma análise dos discursos sobre inclusão escolar. In: GÓES , M. C. R. de; LAPLANE , A. L. F, de. (Orgs.). Políticas e Práticas de Educação Inclusiva. Campinas: Autores Associados, 2004, p. 5-20.

GÓES , M. C. R. Uma análise das condições para a implementação de políticas de educação inclusiva no Brasil e na Inglaterra. Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96, p. 689-715, 2006.

OLIVEIRA, F. Globalização e antivalor: uma antiintrodução ao antivalor. In: Freitas, M. C.de (Org.). A Reinvenção do futuro – trabalho, educação, política na globalização do capitalismo. São Paulo: Cortez, 1996, p. 77-113.

MENDES , E. G. A radicalização do debate sobre Inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 33, p. 387-405, 2006.

PADILHA, A. M. L. O discurso da inclusão social e escolar: o sim e o não. In: JESUS , D. M. de et al. (Orgs.). Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação, 2007, p. 135-144.

SARAMAGO, J. Ensaios sobre a cegueira: romance. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SKLIAR, C. A inclusão que é “nossa” e a diferença que é do “outro”. In: RODRIGUES , D. (Org.) Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Sumus, 2006, p. 15-34.

SMITH, A. A Riqueza das Nações. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1985.