Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

As Conseqüências Psicossociais da Cirurgia de Redução de Estômago

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v13n1p175-214

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MUD/index 

downloadpdf

Alcione C. D. Marchiolli1, Priscila T. O. Marchiolli1 & Laura B. C. Silva2

 

Resumo: Este estudo teve como objetivo verificar as conseqüências psíquicas do pósoperatório da cirurgia de redução de estômago em quatro mulheres operadas há um ano. Os sujeitos fizeram uma entrevista semi-estruturada, na qual foram obtidos dados sobre a vivência em relação à gordura, ao comer excessivo e à escolha pela cirurgia. Os resultados indicam que o aumento da procura por esse tipo de cirurgia parece ser decorrente da substituição de seu caráter cirúrgico por algo estético, em que o sujeito retira, além da obesidade, questões intrapsíquicas provenientes de outra ordem de modo ilusório. Isso resulta em fantasia e não permite a discussão das questões psicossociais envolvidas na obesidade e na cirurgia.

Palavras-chave: obesidade mórbida; obesidade; psicanálise; gastroplastia

 

Abstract: This study intended to verify the psychological consequences of stomach reduction after surgery to four women who were operated in the period of one year. The individuals accomplished a semi-structured interview, in which we got information about their experiences with regard to obesity, excessive eating and the choice for the surgery. The increment of the search for the stomach reduction seems to be decurrent from the substitution of its surgical character for something esthetic, in which, illusively the individual removes not only the mark of obesity, but also other psychological questions deriving from other matters not related to weight. This ends up in fantasy and doesn’t allow social and psychological discussions about obesity and surgery.

Key words: morbid obesity; obesity; psychoanalysis; stomach reduction surgery.

 

1 Alunas do Curso de Psicologia da Universidade São Marcos.
2 Orientadora, docente da Universidade São Marcos e do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Saúde, Umesp. Correspondência sobre este trabalho pode ser enviada para Laura Belluzzo. E-mail: laurabelluzzo@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

Ades, L. & Kerbauy, R. R. (2002). Obesidade: realidades e indagações. Revista de Psicologia USP, 13 (1), 192-216. http://dx.doi.org/10.1590/s0103-65642002000100010

Ascencio, R. F. R. (1998). O significado que os pais atribuem à obesidade de seus filhos. Dissertação de Mestrado. Universidade São Marcos, São Paulo, SP.

Berlinguer, G. (1993). Questões de vida (ética, ciência e saúde). São Paulo: Hucitec.

Bleichmar, H. (1984). Introdução ao estudo das perversões: teoria do Édipo em Freud e Lacan. Porto Alegre: Artes Médicas.

Bouchard, C. (2003). Atividade física e obesidade. São Paulo: Manole Ltda.

Brone, R. J. & Fischer, C. B. (1998). Determinants of adolescent obesity: a comparison with nervous anorexy. Adolescence. San Douglas, XXIII (89), 155-169.

Bruch, H. (1969). La obesidad en la adolescencia. Perturbaciones psíquicas del adolescente. Buenos Aires: Paidós.

Coriat, E. (1997). Causas e acasos. Estilos da clínica: Revista sobre a infância com problemas, 3 (2).

Dunker,C. (2002). Ideologia, estética e narcisismo. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Psicologia Social. Florianópolis.

Fernandes, L. C. Pucca, L. & Matos, D. (2001). Tratamento cirúrgico da obesidade. JBM, 80 (3), 44- 48.

Freud, S. (1969). Além do princípio do prazer. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1969). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1987). As pulsões e suas vicissitudes. In Freud, S. (1987). Edição standard das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (vol. XIV). (Original publicado em 1905a). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1987). Repressão In Freud, S. (1987). Edição standard das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (vol. XIV). (Original publicado em 1915b). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1987). O inconsciente. In Freud, S. (1987). Edição standard das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (vol. XIV). (Original publicado em 1915 cc). Rio de Janeiro: Imago.

Garrido, Jr. A. B. (2002). Cirurgia da obesidade. São Paulo: Atheneu.

Goffman, E. (1988). Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. RJ: Guanabara Koogan.

Gluksman, M. L. & Hirch, J. (1969). The response of obese patients to weight reduction. III. Perception of Body Size. Psychosom., (31), 1-17. http://dx.doi.org/10.1097/00006842-196901000-00001

Illich, I. (1981). A expropriação da saúde. Nêmesis da medicina. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. (pp. 127-142).

Kahtalian,A. (1992). Obesidade: um desafio. In Psicossomática hoje. (Mello Filho, J. org.). Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

Kaufman, A. (1998). Ponto de vista: obesidade. Catharsis, 19 (4), 19-22.

Lacan, J. J. (1999). O inconsciente estruturado como uma linguagem In: O seminário (J. Alain Miller). (Original publicado em 1901-1981). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

Lacan, J. J. (1998). O estádio de espelho como formador da função do eu tal como nos é revelado na experiência psicanalítica. In Escritos. (Original publicado em 1901-1981). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lefévre, F. (1991). O medicamento como mercadoria simbólica. Cortez, (6).

Lefévre, F. (1995). O processo de constituição do sujeito da sua saúde e da sua doença. Tese (livre docência), USP, São Paulo.

Lopez, F. A. & Escrivão, M. A. M. S. (1995). Prognóstico da obesidade na infância e na adolescência. In Obesidade na infância e na adolescência. (F. Mauro, org). São Paulo: BYK.

Marchesini, B. (1998). Obesidade mórbida: uma doença multidisciplinar. Informativo Contato.

Mello Filho, J. Winnicot. (1991). Psicanálise em transicionalidade em Donald Winnicot estudos. Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

Nóbrega, F. J. & Campos, A. L. R. (1996). Distúrbios nutricionais e o fraco vínculo mãe/filho. São Paulo: Revinter.

Oliveira e Silva, I. E. (1993). A revelação da obesidade no estar no mundo da criança obesa. Dissertação de Mestrado, PUC, São Paulo.

Ponte, J. R. (1996). Aspectos psicanalíticos do envelhecimento normal. In Papaléo Netto, M. Gerontologia – a velhice e o envelhecimento em visão globalizada. São Paulo: Atheneu.

Quinet, A. (2000). As 4 + 1 condições de análise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Russo, N. (1996). Um terço do país pesa mais que devia. Jornal Folha de São Paulo, 3- 1.

Stunkard, A. J. (1959). Eating patterns and obesity. Psychiat, Quat (33), 284. http://dx.doi.org/10.1007/BF01575455

Santos, F. C. G. dos. (2003). Identidade pessoal de obesos mórbidos submetidos à cirurgia bariátrica. Tese de Doutorado, PUC, São Paulo.

Teperman, D. W. (1999). Do desejo dos pais ao sujeito do desejo. Estudos da clínica, IV (7), 151-158. http://dx.doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v4i7p151-158

Thiollent, M. (2000). Metodologia da pesquisa – ação. São Paulo: Cortez: autores associados.

Tommaso, M. A. (1999). Psicologia do emagrecimento. Catharsis, 23 (4), 16-17.

Weibenrg, M. (2004). Veja o acompanhou por 16 meses. Revista Veja, 73-80.

Waidergonr, L. Lopes, C. & Evangelista, R. (1999). O acompanhamento psicológico do obeso mórbido. Psikhê, 4 (2): 74-82.

Yuri, D. (2004). O peso na cabeça. Revista da Folha, 10-15.

Zilberstein, B., M. G. & Ramos, A.C. (2002). O papel da cirurgia no tratamento da obesidade. RBM Rev. Bras. Méd, 59 (4): 258-263.