Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Teste das Pirâmides Coloridas de Pfister e a Criatividade em Crianças

DOI: http://dx.doi.org/10.15348/1980-6906/psicologia.v16n3p114-124

http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/index 

downloadpdf

Anna E. V. Amaral1, Raquel R. Tavella2, Lucila M. Cardoso3, Fabíola C. Biasi4 & Pâmela M. P. Pavan4

 

Resumo: O objetivo deste trabalho foi verificar evidências de validade para o uso do teste das pirâmides coloridas de Pfister com crianças, especificamente no que diz respeito à criatividade. Participaram do estudo 56 crianças, de ambos os sexos, que cursam o sexto ano do ensino fundamental de escolas públicas localizadas em uma cidade do interior de São Paulo. A amostra foi dividida em dois grupos extremos com base nos resultados do teste de criatividade figural infantil. Posteriormente, foi aplicado o teste das pirâmides coloridas de Pfister. As crianças mais criativas apresentaram no Teste de Pfister aumento de síndrome de estímulo, resultado que pode auxiliar a identificar as crianças que possuem maior energia, abertura para os estímulos e interesse para produzir, o que condiz com a literatura. Afinal, pessoas criativas tendem a ter mais necessidade de se expressar.

Palavras-chave: avaliação psicológica; criatividade; teste das pirâmides coloridas; validade do teste; desenvolvimento infantil.

 

Abstract: The aim of this work was to verify evidence of validity for the use of Pfister’s colored pyramids test with children, specifically with regard to creativity. Participated in this study 56 children of both genders, who attend the sixth grade of elementary school from public schools, located in an inner city of São Paulo State. The sample was divided into two extreme groups on the basis of the results of the infant figural creativity test. Later it was applied Pfister’s Colored Pyramids Test. The most creative children showed that Pfister’s test increase in stimulus syndrome. This result can help to identify children who have more energy, openness and interest to produce, which matches the literature. After all, creative people tend to have more need to express themselves.

Keywords: psychological assessment; creativity; colored pyramid test; test validity; childhood development.

 

1 Universidade São Francisco, Itatiba – SP – Brasil. Rua Alexandre Rodrigues Barbosa, 45, Centro – Itatiba – SP – Brasil. CEP: 13251-900. E-mail: anna.villemor@saofrancisco.edu.br
2 Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, Itu – SP – Brasil
3 Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza – CE – Brasil
4 Universidade São Francisco, Itatiba – SP – Brasil

 

Literatura Citada

Alencar, E. M. L. S. (1998). Promovendo um ambiente favorável à criatividade nas organizações. Revista de Administração de Empresas São Paulo, 38(2), 18-25. doi

Alencar, E. M. L. S., & Fleith, D. S. (2003). Barreiras à criatividade pessoal entre professores de distintos níveis de ensino. Psicologia: Reflexão e Crítica, 16(1), 63-69. doi

Cardoso, L. M., & Capitão, C. G. (2007). Avaliação psicológica de crianças surdas pelo Teste das Pirâmides Coloridas de Pfister. Psico-USF, 12(2), 135-144.

Cardoso, L. M., & Capitão, C. G. (2012). Evidence of incremental validity between Pfister test and human figure drawing. International Journal of Psychology and Behavioral Sciences, 2, 120-129. doi

Fink, A. & Woschnjak, S. (2011). Creativity and personality in professional dancers. Personality and Individual Differences, 51, 754-758. doi

Hammer, E. (1989). A interpretação clínica dos desenhos projetivos. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Jacob, A. V., Loureiro, S. R., Marturano, E. M., Linhares, M. B. M., & Machado, V. L. S. (1999). Aspectos afetivos e o desempenho acadêmico de escolares. Psicologia Teoria e Pesquisa, 15(2), 153-162. doi

Kaufman, J. C., Pumaccahua, T. T., & Holt, R. E. (2013). Personality and creativity in realistic, investigative, artistic, social, and enterprising college majors. Personality and Individual Differences, 54, 913-917. doi

Miguel, F. K., & Villemor-Amaral, A. E. (2006). Correção do Teste das Pirâmides Coloridas de Pfister. Patente: Programa de Computador. Número do registro: BR. Patente n. 076123. Rio de Janeiro: Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

Nakano, T. C., Wechsler, S. M., & Primi, R. (2011). Teste de criatividade figural infantil. São Paulo: Vetor.

Romo, M. (2008). Creatividad em los domínios artístico y científico y sus correlatos educativos. In M. F. Morais & S. Bahia (Orgs.). Criatividade: conceitos, necessidades e intervenção (pp. 66-90). Braga: Psiquilíbrios.

Sakamoto, C. K. (2012). Criatividade e a construção da realidade contemporânea. Revista Trama Interdisciplinar, 3(1), 86-96.

Torrance, E. P. (1970). Encouraging creativity in the classroom. Iowa: Brown Company Publishers.

Villemor-Amaral, A. E. (2012). As pirâmides coloridas de Pfister. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Villemor-Amaral, A. E. (2014). As pirâmides coloridas de Pfister – versão para crianças e adolescentes. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Villemor-Amaral, A. E., & Franco, R. R. C. (2010). A psicopatologia fenômeno-estrutural e o teste das pirâmides coloridas de Pfister. In A. E. Villemor-Amaral & L. Yazigi (Orgs.). Psicopatologia fenômeno-estrutural (pp. 167-184). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Villemor-Amaral, A. E., Pardini, P. M., Tavella, R. R., Biasi, F. C., & Migoranci, P. B. (2012). Evidências de validade do teste de Pfister para avaliação de crianças. Avaliação Psicológica, 11(3), 423-434.

Wechsler, S. M. (1998). Criatividade: descobrindo e encorajando. São Paulo: Psy.

Wechsler, S. M. (2004). Avaliação da criatividade por figuras e palavras: testes de Torrance – versão brasileira (2a ed. revisada). Campinas: Lamp, Impressão Digital do Brasil.

Winnicott, D. W. (1975). O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago.