Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Mapa das Festas de Santo na Grande Cuiabá e Suas Hinterlândias

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0934/aum.v16n16p47-66

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/AUM/index 

downloadpdf

Yuji Gushiken1

 

Resumo: Este artigo apresenta um mapa das festas de santo realizadas no aglomerado urbano da Grande Cuiabá, em Mato Grosso. O objetivo da pesquisa foi produzir e organizar dados quantitativos de janeiro a dezembro de 2011, apontando uma cartografia das festas no perímetro urbano e nas hinterlândias da cidade. Metodologicamente, na perspectiva da folkcomunicação, lança mão de pesquisa de campo e de fontes primárias para produzir e organizar informações sobre festas. Esboça-se uma tipologia das festas conforme suas variáveis: a) santo homenageado; b) agentes realizadores; c) localidade e mês de realização; d) modos de divulgação; e) gêneros musicais predominantes; f) atrativos. As festas tradicionais mantêm-se e transformam-se no século XXI, constituindo um circuito cultural ao longo do ano no espaço urbano de Cuiabá, Várzea Grande e adjacências. O que caracteriza a contemporaneidade dessas festas é que elas retêm, ritualmente, memórias das tradições e, simultaneamente, reinventam-se nos processos midiáticos e nas experiências do habitar a cidade que se torna metrópole. As festas de santo, genericamente “festas juninas” ou “arraiais”, concentram-se em meses de inverno (junho e julho), mas são realizadas ao longo do ano.

Palavras-chave: Festas de santo – festas juninas – folkcomunicação – Grande Cuiabá

 

Abstract: This paper presents a map of saint-feasts held in the urban agglomeration of Cuiabá, Mato Grosso. The aim of the research was to produce and organize quantitative data, from January to December 2011, designing a map of festivals  that occur within the city limits and hinterlands. From the perspective of folk communication, it makes a methodological use of field research and primary sources to produce and organize information about festivals. These festivals are typologically arranged according to their variables: a) honored saint, b) organizing agents, c) location and month of occurrence, d) mode of information, e) predominant musical genres, f) cultural attractions. Traditional festivals remain and change in the 21st century, being a cultural circuit that occurs throughout the year in the urban area of Cuiabá, Várzea Grande, and vicinities. The contemporaneity of these festivals is characterized by their ritual maintenance of traditions and their simultaneous reinvention through mediatic processes and the experience of inhabiting a city that is in the process of changing into a metropolis. Saint-feasts, generically called “June festivals” or “fairs”, occur mostly in the Brazilian winter months (June and July), but are held throughout the year.

Key words: Saint-Feasts – June festivals – folk communication – Large Cuiabá

 

1 Professor do Departamento de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de Mato Grosso (ECCO- -UFMT). Líder do Núcleo de Estudos do Contemporâneo (NEC-UFMT/CNPq) em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: yug@uol.com.br.

 

Literatura Citada

BELTRÃO, L. Folkcomunicação: um estudo dos agentes e dos meios populares de informação de fatos e expressão de idéias. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2001.

BOSI, A. Cultura brasileira: temas e situações. São Paulo: Ática, 2000.

CANCLINI, N. G. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense, s/d.

CAREY, J. Communication as culture: essay on media and society. New York: Routledge, 1992.

FREITAS, M. A. de. Cuiabá: imagens da cidade. Dos primeiros registros à década de 1960. Cuiabá: Entrelinhas, 2001.

GREEN, T. A. (Ed.). Folklore: an encyclopedia of beliefs, customs, tales, music and art. v. II. Santa Barbara: ABC-Clio, 1997.

LARAIA, R. de B. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

LOPES, M. I. V. de. Pesquisa em comunicação: formulação de um modelo metodológico. São Paulo: Loyola, 1990.

LOUREIRO, R. Cultura mato-grossense: festas de santo e outras tradições. Cuiabá: Entrelinhas, 2006.

MARQUES DE MELO, J. Mídia e cultura popular: história, taxionomia e metodologia da folkcomunicação. São Paulo: Paulus, 2008.

ROMANCINI, S. Cuiabá: paisagens e espaços da memória. Cuiabá: Cathedral, 2005.

ROMANCINI, S. Paisagens da fé: Perspectivas para o turismo cultural em Cuiabá-MT. Ateliê Geográfico, v. 2, n. 4, 2008. Disponível em: <http://www.revistas.ufg.br/index.php/atelie/article/view/4711>. Acesso em: 27 out. 2011.

ROSS, J. L. S. Geografia do Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

SCHMIDT, C. (Org.). Folkcomunicação na arena global: avanços teóricos e metodológicos. São Paulo: Ductor, 2006.

SERPA, A. O espaço público na cidade contemporânea. São Paulo: Contexto, 2007.

SILVA, C. S. Viva São Benedito! Festa popular e turismo religioso em tempo de globalização. Aparecida: Santuário, 2000.

SIQUEIRA, E. et al. (Orgs.). Cuiabá: de vila a metrópole nascente. Cuiabá: Entrelinhas, 2007.

TRIGUEIRO, O. M. Folkcomunicação e ativismo midiático. João Pessoa: UFPB, 2008.