Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Desenvolvimento da Alface Crespa com Uso de Água Salina e Efluente Tratado em Ambiente Protegido

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a174

 

downloadpdf

S. L. da Silva1, S. de O. Feitosa2, H. de O. Feitosa3, C. M. de Carvalho4, A. C. M. de Oliveira5 & R. da P. F. de Souza6

 

Resumo: Estudaram-se os parâmetros de crescimento na alface crespa usando como água de irrigação água salina e efluente tratado comparando-as com água de abastecimento, e sendo analisadas as variáveis de altura caulinar, número de folhas, taxa de crescimento relativo em altura caulinar, taxa de crescimento absoluta em altura caulinar, massa seca da folha, massa seca do caule, massa seca total. O experimento foi desenvolvido na área experimental da Faculdade de Tecnologia Centec do Cariri - FATEC Cariri, em ambiente protegido, onde foi adotado um delineamento estatístico inteiramente casualizado, com seis tratamentos: EH1 (100% de água de abastecimento), EH2 (80% de água salina + 20% de efluente tratado), EH3 (50% de efluente tratado + 50% de água salina), EH4 (20% de água salina e 80% de efluente tratado), EH5 (100% de efluente tratado) e EH6 (100% de água salina), com cinco repetições. Observou-se que não houve efeito significativo referente às concentrações de efluente e água salina nas variáveis de número de folhas, taxa de crescimento relativa e absoluta. Já em relação à época de coleta houve efeito significativo em todas as variáveis analisadas; altura, número de folhas, taxa de crescimento relativa e absoluta. Não havendo interação entre os dois fatores. O tratamento com 20% A.S + 80% A.R%; proporcionou melhores desempenhos nas variáveis estudadas e o tratamento que obteve menor desempenho foi o tratamento com 100% água de abastecimento.

Palavras-chave: Lactuca sativa L, Reuso de água, salinidade.

 

Abstract: Growth parameters were studied in curly lettuce using water as irrigation saline water and treated wastewater comparing them with the water supply, and being analyzed stem height of variables, number of leaves, relative growth rate in stem height absolute growth rate in stem height, dry weight of leaf, stem dry weight, total dry mass. The experiment was conducted in the experimental area of the Faculty of Technology CentecCariri - FATEC Cariri, in a protected environment, which was adopted a completely randomized design with six treatments: EH1 (100% water supply), EH2 (80% brine + 20% of treated effluent), EH3 (50% of treated effluent saline + 50% water), EH4 (20% brine and 80% of treated effluent), EH5 (100% of treated effluent) and EH6 (100% salt water), with five repetitions. It was observed that there was no significant effect relating to effluent concentration and saline water in the leaves of many variables, growth rate relative and absolute. In relation to collection time was no significant effect on all variables; height, number of leaves, growth rate relative and absolute. There is no interaction between the two factors. Treatment with 20% A.S + A.R% 80%; provided better performance in the studied variables and the treatment had lower performance was treatment with 100% water supply.

Key words: Lactuca sativa L., reuse,watersalinity.

 

1 Graduanda em Tecnologia em Irrigação e Drenagem, FATECCariri, Juazeiro do Norte-CE. e-mail: silvaneide-123@hotmail.com.
2 Graduanda em Tecnologia em Irrigação e Drenagem, FATEC Cariri, Juazeiro do Norte-CE, e-mail:simone1929@outlook.com
3 Doutor, Prof. da FATEC Cariri, Juazeiro do Norte-CE, e-mail:hernandes.oliveira@gmail.com
4 Pós-Doutorando UFS, Prof. da FATEC Cariri, Juazeiro do Norte-CE, e-mail:carvalho_cmc@yahoo.com.br
5 Doutora, Prof. da FATEC Cariri, Juazeiro do Norte-CE, e-mail:ana_chris_br@hotmail.com
6 Tecnólogo em Irrigação e Drenagem, Aluno do Curso deEspecialização em Agricultura Irrigada e Meio Ambiente, FATEC Cariri, Juazeiro do norte-CE. e-mail:rafaeldapaz@yahoo.com

 

Literatura Citada

BRASIL .Resolução CONAMA. Conselho Nacional do Meio Ambiente nº. 357 de 17 de março de 2005. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2005. 23 p..

CAVALCANTI FJA. 1998. Recomendações de adubação para o estado de Pernambuco (2a aproximação). Recife: IPA, 198p.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 2ª ed., UFV, 2003.

GREENWAY H & MUNNS R. (1980) Mechanisms of salt tolerance in nonhalophytes.AnnualReviewofPlantPhysiology, 31:149-190. http://dx.doi.org/10.1146/annurev.pp.31.060180.001053

GOMES, T.M.; BOTREL, T.A.; MODOLO,V.A.; OLIVEIRA,R.F. Aplicação de CO2 via água de irrigação na cultura da alface. Horticultura Brasileira, Brasília, v.23, n.2, p.316-319, abr-jun 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362005000200031

HERMES, C.C.; MEDEIROS, S.L.P.; MANFRON, P.A.; CARON, B.; POMMER, S.F.; BIANCHI, C. Emissão de folhas de alface em função de soma térmica. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Santa Maria, v.9, n.2, p.269-275, 2001.

LACERDA, C. F. et al. Soil salinization and maize and cowpea yield in the crop rotation system using saline waters. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.31, n.4, p.663-675, jul./ago. 2011.

LEON, S.; G. CAVALLINI, J.M. Tratamento e uso de águas residuárias. Campina Grande: UFPB, 1999. 110p.

MIZRAHI Y; PASTERNAK D. 1985. Effect of salinity on quality of various agricultural crops. PlantandSoil, 89:301-307. http://dx.doi.org/10.1007/978-94-009-5111-2_20

PANTERNIANI, J. E. S.; PINTO, J. M. Qualidadeda água salinização, fertirrigação e legislação. In: MIRANDA, J. H. de; PIRES, R. C. de M. (Ed.). Irrigação. v.1, São Paulo: FUNEP, 2001. p. 195-253.

RHOADES JD, KANDIAH A & MASHALI AM (2000) Uso de águas salinas para produção agrícola. Tradução de Gheyi HR; Sousa JR de & Queiroz JE. Campina Grande,UFPB, 117p. (Estudos FAO Irrigação e Drenagem, 48).

SILVA, F. A. S.; AZEVEDO, C. A. V. Principal componentsanalysis in the software assistat-statisticalattendance. In: WORLD CONGRESS ON COMPUTERS IN AGRICULTURE, 7, Reno-NV-USA: American Society of Agricultural and Biological Engineers, 2009.

SOARES TM. 2007. Utilização de águas salobras no cultivo da alface em sistema hidropônico NFT com alternativa agrícola condizente ao semi-árido brasileiro. Piracicaba: USP-ESALQ. 267 p. (Tese doutorado).

SOUSA, G. G. et al. Características agronômicas do amendoinzeiro sob irrigação com águas salinas em solo com biofertilizantes. Revista Agroambiente On-line, Boa Vista, v.6, n.2, p.124-132, maio/ago. 2012a.

TAVARES, T. de L.; KÖNIG, A.; CEBALLOS, B.S.O. de; AZEVEDO, M.R. de Q.A. Efeitos da adubação do solo e da irrigação sobre os componentes de produção da alface. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.9, p.231-5, 2005. Suplemento.

TRANI, P.E. Hortaliças folhosas e condimentos. In: PEREIRA, M.E.; CRUZ, M.C.P.; RAIJ, B. van; ABREU, C.A. Micronutrientes e elementos tóxicos na agricultura. Jaboticabal: CNPq/FAPESP/ POTAFOS, p.293-310, 2001