Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Estimativas da Pegada Hídrica Azul e Verde da Batata-Doce no Agreste Sergipano1

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/iii.inovagri.2015-a399

 

downloadpdf

R. R. A. de Matos2 & I. F. de Sousa3

 

Resumo: O objetivo deste estudo foi estimar os valores da Pegada Hídrica dos componentes azul e verde para a produção da batata-doce utilizando o modelo CROPWAT durante os anos de 2010, 2011 e 2012. O trabalho desenvolveu-se no Perímetro de Irrigação Poção da Ribeira, pertencente à Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação do Estado de Sergipe (COHIDRO), localizado no município de Itabaiana, em Sergipe. Os resultados obtidos evidenciaram que os valores estimados do componente verde em 2010, 2011 e 2012, foram de 494,75 (m3/ton), 672,13 (m3/ton) e 402,81 (m³/ton) respectivamente, enquanto o componente azul em 2010, 2011 e 2012 mostraram valores estimados de 351,1 (m3/ton), 448,4 (m3/ton) e 570,06 (m3/ton) respectivamente. Os resultados obtidos mostraram que há relação entre os índices médios de produtividade da cultura com um maior consumo de água refletindo em maior Pegada Hídrica, que há influência da precipitação na Pegada Hídrica da batata-doce e que não há relação direta entre os índices de produtividade com as variáveis meteorológicas utilizadas no cálculos da Pegada Hídrica.

Palavras-chave: Pegada Hídrica, CROPWAT, batata-doce

 

Abstract: The objective of this study was to estimate the Water Footprint values of the blue and green components for the production of sweet using the CROPWAT model during the years 2010, 2011 and 2012. The work developed in the Perimeter Irrigation Poção da Ribeira, belonging to State of Sergipe Water Resources and Irrigation Development Company (COHIDRO), located in the city of Itabaiana, Sergipe. The results showed that the estimated values for the green component in 2010, 2011 and 2012 were 494.75 (m3 / ton), 672.13 (m3 / ton) and 402.81 (m3 / ton) respectively, while the blue component in 2010, 2011 and 2012 showed estimated values of 351.1 (m3 / ton), 448.4 (m3 / ton) and 570.06 (m³ / ton) respectively. The results showed no relationship between the average rates of crop yield with a higher consumption of water resulting in a higher Water Footprint, there is influence of precipitation on Water Footprint of sweet potato and that there is no direct relationship between productivity levels with weather variables used in calculations of the Water Footprint.

Key words: Water Footprint, CROPWAT, sweet potato

 

1 Artigo extraído da dissertação do primeiro autor.
2 Mestre em Recursos Hídricos – UFS, Professor, Escola Estadual 8 de Julho, Rua Coronel Américo Batalha, Ponto Novo, CEP 49097-110, Aracaju, SE. Fone (79) 32314885. E-mail: rodolforafaelm@bol.com.br.
3 Prof. Doutor, Depto de Engenharia Agronômica, UFS, São Cristóvão, SE. E-mail: inajafrancisco@gmail.com.

 

Literatura Citada

ALBUQUERQUE, M. F. Medições e Modelagem da Pegada Hídrica da Cana-de-Açúcar Cultivada no Brasil. Campina Grande, 2013. 40p. Dissertação (Mestrado em Meteorologia) - UFCG.

ALLEN, R. G.; PEREIRA, L. S.; RAES, D.; SMITH, M. Crop Evapotranspiration: Guidelines for Computing Crop Water Requirements. FAO Irrigation and Drainage Paper 56. Roma, 1998. 300p.

COHIDRO. Relatório de Atividades Exercício 2012. Aracaju: Cohidro, 2012. 63p.

FAO. CROPWAT 8.0 model. Roma: FAO. 2010. Disponível em http://www.fao.org/nr/water/infores_databases_cropwat.html. Acesso em 25 ago. 2013.

HOEKSTRA, A. Y.; CHAPAGAIN, A. K.; ALDAYA, M.; MEKONNEN, M. M. Manual de Avaliação da Pegada Hídrica: Estabelecendo o Padrão Global. Water Footprint Network, 2011. 191p.

MARACAJÁ, K. F. B.; SILVA, V. P. R.; ALEIXO, D. O.; NETO, J. D.; ARAÚJO, L. E. Uma medida de sustentabilidade ambiental: pegada hídrica. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 17, n. 1, p. 100-105, 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662013000100014

MELO, A. S.; COSTA, B. C.; BRITO, M. E. B.; NETTO, A. O. A.; VIÉGAS, P. R. A. Custo e Rentabilidade na Produção de Batata-Doce nos Perímetros Irrigados de Itabaiana, Sergipe. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 39, n. 2, p. 119-123, 2009.

MÜLLER, G. T. Emprego da Pegada Hídrica e da Análise de Ciclo de Vida para a Avaliação do Uso da Água na Cadeia Produtiva do Biodiesel de Soja. Porto Alegre, 2012. 188p. Dissertação (Mestrado em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental) - UFRGS.