Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

Diagnóstico da implantação de Sistemas Agroflorestais na comunidade Alto Rio Plantoja, no município de Santa Maria de Jetibá – ES

DOI: http://dx.doi.org/10.12702/VIII.SimposFloresta.2014.142-597-1

 

downloadpdf

Marilia A. Grugiki1, Luciene Laurett2, Jessica R. Rocon3 & Maria da P. M. Gonçalves1

 

Resumo:  O objetivo deste estudo foi investigar a adoção de sistemas agroflorestais nas propriedades da comunidade Alto Rio Plantoja, Município de Santa Maria de Jetibá- ES, assim como caracterizar as propriedades quanto às principais atividades agrícolas. O estudo foi realizado na comunidade Pomerana de Alto Rio Plantoja, a 35 km da sede do município de Santa Maria de Jetibá- ES e 1300 metros de altitude, composta por 60 propriedades voltadas para a prática da agricultura familiar. A coleta de dados foi realizada em outubro de 2012, através da aplicação de um questionário com questões objetivas e subjetivas que tinham como objetivo caracterizar as particularidades de cada propriedade: área total; área plantada; principais culturas agrícolas e espécies florestais implantadas; tipo de mão de obra empregada; presença da assistência técnica; conhecimento e implantação de SAFs nas propriedades. Quanto à implantação dos Sistemas Agroflorestais (SAFs), apenas uma propriedade há a adoção de um modelo agroflorestal, composto por café e cedro australiano. A adoção de Sistemas Agroflorestais na comunidade Alto Rio Plantoja é praticamente nula, sendo os principais fatores que determinam essa baixa adoção relacionados ao desconhecimento do sistema SAF pelos produtores é a falta de assistência técnica (ATER).

Palavras-chave: Agricultura familiar; Sistemas agroflorestais; ATER.

 

1 Universidade Federal Rural de Pernambuco (mariliagrugiki@yahoo.com.br; moreiraflorestal@hotmail.com)
2 Universidade Federal do Espírito Santo (lucienelaurett@gmail.com)
3 Faculdade da Região Serrana (jessicarocon@hotmail.com)

 

Literatura Citada

ABDO, M. T. V. N.; VALERI, S. V. Sistemas agroflorestais e agricultura familiar: uma parceria interessante. Revista tecnologia e inovação agropecuária, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 50-59, 2008.

BERNARDO NETO, J. Pequenas propriedades rurais e estrutura fundiária no espírito santo: uma tentativa de entendimento das particularidades capixabas. 2009. 177f. Monografia (Graduação em Bacharelado em Geografia) - Universidade Federal do Espírito Santo, 2009. Disponível em: <http://www.geo.ufes.br/sites/geografia.ufes.br/files/field/anexo/m_jaimeneto.pdf>. Acesso em: 01 fev. 2012.

BÖRNER, J. Serviços ambientais e adoção de sistemas agroflorestais na Amazônia: elementos metodológicos para análises econômicas integradas. In. PORRO, R. (Ed.). Alternativa agroflorestal na Amazônia em transformação. Brasília, DF: Embrapa, 2009. Parte 3, cap. 2, p.411-434.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2001. 653p.

GUANZIROLI, C. Agricultura Familiar e Reforma Agrária no Século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2001. 288p.

INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISA, ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL - INCAPER. Hidrometeorologia. Disponível em: <http://www.hidrometeorologia.incaper.es.gov.br>. Acesso em: 01 nov. 2012.

MONTAGNINI, F. Sistemas agroflorestales: principios y aplicaciones en los trópicos. 2.ed. San José: Organizacion para Estudos Tropicales, 1992. 622p.